“Do sacrifício ao futuro promissor”: aluno de ensino médio nas representações sociais de professores

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18593/r.v48.30627

Palavras-chave:

Aluno, Ensino médio, Professor, Representações Sociais

Resumo

Este artigo tem como objetivo identificar a estrutura das representações sociais de “aluno de escola pública de ensino médio,” elaboradas por seus professores. Adotamos a Teoria das Representações Sociais (TRS), particularmente, abordagem estrutural dessas representações.  Desenvolvemos um estudo de campo online com 71 professores da Rede Estadual de Pernambuco, os quais responderam a um questionário do tipo Google Doc e um Teste de Associação Livre de Palavras. As evocações, analisadas com auxílio do software Iramuteq, revelaram representações sociais de “aluno de escola pública de ensino médio” pautadas em dificuldades, decorrentes da situação de desigualdade social desses estudantes. Apesar disso, nessas evocações e justificativas dos professores, ganham relevância a capacidade de superação e a determinação dos alunos para enfrentar os obstáculos que lhes são impostos. Isto significa que, a despeito do sacrificio, nas representações sociais dos docentes, esses estudantes são desafiados, mas alcançam um futuro promissor. Os achados sugerem a necessidade de medidas capazes de equalizar as oportunidades e minimizar as desigualdades a fim de se construir as bases necessárias ao desenvolvimento social das juventudes que ingressam na escola de ensino médio.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Laeda Bezerra Machado, Universidade Federal de Pernambuco

Doutora em Educação, professora vinculada ao Departamento de Administração Escolar e Planejamento  Educacional e Programa de Pós-graduação em Educação Núcleo de Formação de Professores e Prática Pedagógica da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Recife, Pernambuco, Brasil. Bolsista do CNPq.  E-mail: laeda01@gmail.com

Lucivania Barbosa Evangelista, UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO

Possui graduação em Relações Públicas pela Escola Superior de Relações Públicas (2009) e graduação em Pedagogia pela Universidade Federal de Pernambuco (2018). Integrou entre 2015-2018 ao Programa de Iniciação Científica (PIBIC) estudando temas referentes a Profissão Docente, Representações Sociais, Professor Iniciante e Escola Pública. Mestre em educação PPGEdu/ UFPE na linha de pesquisa Formação de Professores e Prática Pedagógica.

Referências

ALAMEIDA, L. A. A de; BEZERRA, A. A; LINS, C. P. A. Políticas curriculares no novo ensino médio de Pernambuco: sentidos constituídos em disciplinas eletivas. Revista Espaço Pedagógico. [s.l], v. 30. e14352,2023. DOI 105335/rep.v30i0.14352. Disponível em: http://see.ufp.br/index.php/rep/article/view/14352. Acesso em: 21 out. 2023.

ABRIC, J. C. (org.). Pratiques et représentations sociales. Paris: PUF, 1994.

ABRIC, J. C. A abordagem estrutural das representações sociais. In: MOREIRA, A. S. P.; OLIVEIRA, D. C. (org.). Estudos interdisciplinares de Representação Social. Goiânia: AB, p. 27-38, 1998.

ABRIC, J. C. Abordagem estrutural das representações sociais: desenvolvimentos recentes. In: CAMPOS, P. H. F.; LOREIRO, M. C. S. (org.). Representações sociais e práticas educativas. Goiânia: Ed. da UCG, p. 37-57, 2003.

ARAÚJO, R. M. Ensino Médio brasileiro: dualidade, diferenciação e desigualdade social. Cadernos de Pesquisa, São Luís, v. 26, n. 4, p. 107-122, out./dez., 2019. Disponível em:

http://www.periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/cadernosdepesquisa/article/view/13051. Acesso em: 19 mar. 2021.

ARROYO, M. G. Políticas educacionais e desigualdades: à procura de novos significados. Revista educação e sociedade, Campinas, v. 31, n. 113, p. 1381-1416, out./dez. 2010.

ARROYO, M. G. Os jovens, seu direito a se saber e o currículo. In: DAYRELL, J., CARRANO, P., MAIA, C. (org.). Juventude e Ensino médio Sujeitos e currículos em Diálogo. Belo Horizonte: UFMG, p. 158-203, 2014.

BOURDIEU, P. A escola conservadora: as desigualdades frente à escola e à cultura. In: NOGUEIRA, M. A.; CATANI, A. (org.) Escritos de educação. Petrópolis: Vozes: p. 39-64, 1998.

BRASIL. Lei nº 9394, de 20 de dezembro de 1996. Dispõe sobre as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, p. 27833, 23 dez. 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9394.htm. Acesso em: nov. 2018.

BRASIL. Resolução n. 3, de 26 de junho de 1998. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. Conselho Nacional de Educação (CNE). Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, p. 21, 5 ago. 1998a.

BRASIL. Lei n° 13.415, de 16 de fevereiro de 2017. Altera as Leis n º 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, e 11.494, de 20 de junho 2007, que regulamenta o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação, a Consolidação das Leis do Trabalho - CLT, aprovada pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943, e o Decreto-Lei nº 236, de 28 de fevereiro de 1967; revoga a Lei nº 11.161, de 5 de agosto de 2005; e institui a Política de Fomento à Implementação de Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, p. 1, 17 fev. 2017. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2017/Lei/L13415.htm. Acesso em: nov. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular–BNCC. Brasília, DF: MEC, 2018. Disponível em:

http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em: 02 abr. 2021.

BRANCO, A. B.; BRANCO, E. P.; IWASSE, L.F.; NAGASHIMA, L.A. Urgência da

reforma do ensino médio e emergência da BNCC. Revista Contemporânea de

Educação, v. 14, n. 29, jan/abr. 2019.

CAMARGO B. V.; JUSTO, A. M. IRAMUTEQ: Um Software Gratuito para Análise de Dados Textuais. Temas em Psicologia. v. 21, n. 2, p. 513-518, 2013.

CASTRO. Evolução e desigualdade na educação brasileira. Educ. Soc., Campinas, vol. 30, n. 108, p. 673-697, out. 2009.

CORADINI, L. Reforma do ensino médio: o novo papel da educação pública no Brasil. Jornal Pragmatismo Político, 06 de março de 2017. Disponível em: https://www.pragmatismopolitico.com.br/2017/03/reforma-ensino-medio-educacao-publica.html. Acesso em: 07 nov. 2018.

DAYRELL, J.; CARRANO, P. Juventude e ensino médio: quem é este aluno que chega à escola? In: DAYRELL, J.; CARRANO, P.; MAIA, C. (org.). Juventude e Ensino médio Sujeitos e currículos em Diálogo. Belo Horizonte: UFMG, p. 101-133, 2014.

DAYRELL, J. T.; JESUS, R. E. Juventude, ensino médio e os processos de exclusão escolar. Educ. Soc., Campinas, v. 37, nº. 135, p. 407-423, abr.-jun., 2016.

DAYRELL, J. T.; LEÃO, G.; REIS, J. B. Jovens olhares sobre a escola do ensino médio. Cad. Cedes, Campinas, vol. 31, n. 84, p. 253-273, maio-ago. 2011.

DAYRELL, J.; CARRANO P. Juventude e ensino médio: quem é este aluno que chega à escola? In: DAYRELL, J., CARRANO, P., MAIA, C. (org.). Juventude e Ensino médio Sujeitos e currículos em Diálogo. Belo Horizonte: UFMG, p. 101-133, 2014.

EVANGELISTA, L. B.; MACHADO, L. M. A escola pública e seus professores nas representações sociais de estudantes universitários de ciências sociais aplicadas e informática da UFPE. Revista Semana Pedagógica, v. 1 n. 1, 2019.

FLAMENT, C. Approche structurale et aspects normatifs des représentations sociales. Psychologie & Société, nº 4; 57-80; 2001/2.

FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Novo Aurélio Século XXI: o dicionário da língua portuguesa. 3 ed. (totalmente rev. e ampl.). Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1999.

FITA, E. C. O professor e a motivação dos alunos. In: TAPIA, J. A.; FITA, E. C. A motivação em sala de aula: o que é, como se faz. 4. ed. São Paulo, Loyola, p. 65-135, 1999.

FRANCO, M. L. P. B. Representações sociais de jovens sobre a escola e suas perspectivas de futuro. Atos de Pesquisa em Educação. V. 5, n. 1, p. 93-109. Jan./abr. 2010.

FRIGOTTO, G. Reforma do ensino médio do (des) governo de Temer: decreta-se uma escola para os ricos e outra para os pobres. Boletim da Anped, 22 de set. 2016. Disponível em: https://www.anped.org.br/news/reforma-de-ensino-medio-do-des-governo-de-turno-decreta-se-uma-escola-para-os-ricos-e-outra. Acesso em: 22 out. 2023.

GALLI, I. A teoria das representações sociais: do nascimento ao seu desenvolvimento mais recente. Tradução de Alexandre Rosado. Revista ADM. MADE. 2012. p. 01-14, 2012.

INEP. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo escolar da educação básica 2020: resumo técnico. Brasília. 2021Disponível em: https://download.inep.gov.br/publicacoes/institucionais/estatisticas_e_indicadores/resumo_tecnico_censo_escolar_2020.pdf. Acesso em: 21 mar. 2021.

JODELET, D. Representações Sociais: um domínio em expansão. In: JODELET, D. (org). As representações sociais. Rio de Janeiro: EdUERJ, p. 17-44, 2001.

KRAWCZYK, N. Reflexão sobre alguns desafios do ensino médio no Brasil hoje. Cadernos de Pesquisa. v. 41, n. 144. set/dez., 2011.

KRAWCZYK, N. Uma roda de conversa sobre os desafios do ensino médio. In: DAYRELL, J., CARRANO, P., MAIA, C. (org.). Juventude e Ensino médio Sujeitos e currículos em Diálogo. Belo Horizonte: UFMG, p. 75-98, 2014.

KRAWCZYK, N.; FERRETTI C. J. Flexibilizar para quê? Meias verdades da “reforma”. Revista retratos da escola, Brasília, v. 11, n. 20, p. 33-44, jan./jun. 2017.

LEÃO, G. M. Experiências da desigualdade: os sentidos da escolarização elaborados por jovens pobres. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 32, n. 1, p. 31-48, jan./abr. 2006.

LEÃO, A. M. A (des) motivação extrínseca no contexto escolar: análise de um estudo de caso. Revista Ibero-Americana de estudos em educação, v. 6, n. 1, 2011.

MACHADO, L. B. ANDRADE, L. M.; EVANGELISTA, L. B.; A Escola Pública e seus Professores: reflexões preliminares em torno das representações sociais de estudantes universitários. InterMeio: revista do Programa de Pós-Graduação em Educação, Campo Grande, MS, v. 24, n. 47, p. 169-188, jan./jun. 2018.

MARQUES, P. B.; CASTANHO, M. I. S. O que é a escola a partir do sentido construído por alunos. R. Semestral da associação brasileira de Psicologia Escolar e Educacional, São Paulo, v. 15, n. 1, p. 23-33. Jan./jun. 2011.

MENEZES, J. A.; NASCIMENTO, M. A.; SANTOS, R. M. Os sentidos da escola pública para jovens pobres da cidade do recife. Revista Latinoamericana de Ciencias Sociales, Niñez y Juventud. 10 (1), p. 289-300, 2012.

MOSCOVICI, S. Representações sociais: investigações em Psicologia Social. 9. ed. Petrópolis: Vozes, 2012.

NEVES, E. R.; BORUCHOVITCH, E. A Motivação de Alunos no Contexto da Progressão Continuada. Psic.: Teor. e Pesq., Brasília, v. 20 n. 1, p. 077-085, jan.-abr. 2004.

OLIVEIRA, S. M. A relação entre professores e alunos os processos de socialização e a cultura escolar. In: XI CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO, 2013, Curitiba.

OLIVEIRA, R. O ensino médio e a precocidade do trabalho juvenil. Educar em Revista, Curitiba, Brasil, v. 34, n. 67, p. 177-197, jan./fev. 2018.

OLIVEIRA, M. B. Representações Sociais e sociedades: a contribuição de Serge

Moscovici. Revista Brasileira de Ciências sociais. Vol. 19, n. 55 p. 180-186, 2014.

Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-

Acesso em: 09 maio 2020.

RAMOS, M. Entrevista: MÉDIOTEC: nova cara do PRONATEC para acelerar Reforma do Ensino Médio. Poli: saúde, educação, trabalho. Rio de Janeiro, v. 9, n. 50, p. 6-7, mar./abr. 2017.

SÁ, Celso Pereira de. A construção do objeto de pesquisa em representações sociais. RJ, EdUERJ, 1998.

SÁ, Celso Pereira de. Representações sociais: teoria e pesquisa do núcleo central. Temas psicol. Ribeirão Preto, v. 4, n. 3, p. 19-33, dez. 2002.

VINUTO, J. A amostragem em bola de neve na pesquisa qualitativa: um debate em aberto. Temáticas, Campinas, 22, (44): 203-220, ago/dez. 2014.

WELLER, W. Os jovens, seu direito a saber e o currículo. In: DAYRELL, J., CARRANO, P., MAIA, C. (org.). Juventude e Ensino médio Sujeitos e currículos em Diálogo. Belo Horizonte: UFMG, p. 157-203, 2014.

Downloads

Publicado

19-12-2023

Como Citar

MACHADO, L. B.; BARBOSA EVANGELISTA, L. “Do sacrifício ao futuro promissor”: aluno de ensino médio nas representações sociais de professores . Roteiro, [S. l.], v. 48, p. e30627, 2023. DOI: 10.18593/r.v48.30627. Disponível em: https://periodicos.unoesc.edu.br/roteiro/article/view/30627. Acesso em: 15 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos de demanda contínua

Artigos Semelhantes

1 2 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.