Alfabetização Matemática na Perspectiva do Letramento: Análise sobre a Produção Brasileira centrada nos Anos Iniciais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18593/r.v48.32863

Palavras-chave:

Anos iniciais, Educação Matemática, alfabetização, letramento

Resumo

O artigo apresenta as concepções sobre a alfabetização matemática na perspectiva do letramento nos Anos Iniciais, evidenciadas em teses e dissertações disponibilizadas no acervo nacional da Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações. A pesquisa buscou responder a seguinte questão: Quais concepções de alfabetização matemática na perspectiva do letramento são evidenciadas em pesquisas brasileiras (teses e dissertações), relativas aos Anos Iniciais do Ensino Fundamental, desenvolvidas no período de 2003 a 2020? A análise qualitativa realizada sobre um corpus de 42 trabalhos evidenciou três concepções: letramentos múltiplos, que envolvem as práticas de leitura e de escrita que permeiam as práticas sociais, sobretudo, as múltiplas linguagens que integram textos públicos nos espaços escolares ou fora dele; letramento ideológico, que se refere à valorização do contexto de produção e admissão de diferentes práticas letradas, a qual não apresenta natureza individual e não se limita a um evento, pois abrange o sentido lato inerente a aspectos culturais, sociais e políticos; letramento escolarizado, o qual confere ao sistema de escrita alfanumérica uma dimensão social, tendo o letramento escolar um caráter técnico e individual, que considera o ambiente formal da escola. A alfabetização matemática na perspectiva do letramento precisa estar voltada para o desenvolvimento da criança, tornando-a capaz de organizar o pensamento, argumentar e raciocinar matematicamente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Letícia Stein, Unviersidade Federal da Fronteira sul

Mestre em Educação pela Universidade Federal da Fronteira Sul. Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Comunitária da Região de Chapecó (2005). É especialista na área de "Formação para o magistério superior" em Educação Infantil e Series Iniciais do Ensino Fundamental, e especialista na area de Psicopedagogia institucional. Atua como professora efetiva da rede pública na Prefeitura Municipalde Saudades - SC. 

Marisol Vieira Melo, Unviersidade Federal da Fronteira sul

Licenciada em Matemática pela Universidade de Passo Fundo (UPF, RS, 1997). Mestre (2006) e Doutora (2013) em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP, SP). Atualmente é Professora Adjunto da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), Campus Chapecó/SC, vinculada ao curso de Licenciatura em Matemática. Atua principalmente nos seguintes temas: formação de professores que ensinam Matemática, desenvolvimento profissional, aprendizagem docente. Tem experiência na área de Educação, docência em Ensino Fundamental, Médio e Superior. Líder do Grupo de Estudos e Pesquisas com Professores que Ensinam Matemática - GEPREM/UFFS.

Adriana Richit, Universidade Federal da Fronteira Sul

Pós-doutorado em Educação Matemática - Didática da Matemática pela Universitat de Barcelona, Espanha (2022-2023). Pós-doutorado em Educação Matemática - Didática da Matemática pela Universidade de Lisboa, Portugal (2016-2017). Doutorado em Educação Matemática pela Universidade Estadual Paulista - UNESP de Rio Claro . Mestrado em Educação Matemática também pela UNESP, campus de Rio Claro/SP. Líder do Grupo de Estudos e Pesquisa em Educação Matemática e Tecnologias (GEPEM@T). Professora, classe E, nível associado III, na Universidade Federal da Fronteira Sul - UFFS, Campus de Erechim, RS. Docente do Programa de Pós-Graduação em Educação, da UFFS. Orienta trabalhos de pesquisa na área de Educação Matemática, atuando principalmente nos seguintes temas: Estudos de aula (lesson studies) e desenvolvimento profissional de professores, Conhecimento e Desenvolvimento Profissional Docente, Ensino e Aprendizagem, Tecnologias Digitais no Ensino e Aprendizagem de Matemática, Políticas Públicas Educacionais para a Formação de Professores, Formação Inicial e Continuada de Professores, Prática docente na Educação Básica.

Referências

BARDIN, L. Análise do Conteúdo. Lisboa, Portugal: Edições 70, 1977.

D’AMBROSIO, U. A educação matemática e o estado do mundo: desafios. In: CONGRESO IBEROAMERICANO DE EDUCACIÓN MATEMÁTICA-CIBEM, 7, 2013, Montevideo (Uruguay): Palestra Magna.

D’AMBROSIO, U. Sociedade, cultura, matemática e seu ensino. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 1, p. 99-120, 2005.

D’AMBROSIO, U. Etnomatemática: um programa a educação matemática. Revista da Sociedade Brasileira de Educação Matemática, v. 1, n. 1, p. 5-11, 1993.

DANYLUK, O. S. Alfabetização matemática: o cotidiano da vida. 5. ed. Passo Fundo: Gráfica e Editora UFP, 2015.

DANYLUK, O. S. Alfabetização matemática: as primeiras manifestações da escrita infantil. 2.ed. Porto Alegre: Meridional, 2002.

DANYLUK, O. S. Alfabetização matemática: as primeiras manifestações da escrita infantil. Porto Alegre: Sulina, 1998.

FONSECA, M. C. F.R. Alfabetização, letramento e numeramento: conceitos para compreender a apropriação das culturas do escrito. In: GOULART, C. M.; GONTIJO, C. M. M.; FERREIRA, N.S. (org.). A alfabetização como processo discursivo: 30 anos de A criança na fase inicia da escrita. São Paulo: Cortez, p. 165-177, 2017.

FONSECA, M. C. F. R. Alfabetização Matemática. In: BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa. Caderno de Apresentação Brasília: MEC/SEB, 2014.

FONSECA, M. C. F. R. Conceito(s) de numeramento e relações com o letramento. In: LOPES, C. E.; NACARATO, A. M. (org.). Educação Matemática, leitura e escrita: armadilhas, utopias e realidade. Campinas: Mercado de Letras, p. 47-60, 2009.

FONSECA, M. C. F. R.. Concepções de Matemática: para maiores informações vide bula. Presença Pedagógica, Belo Horizonte, Número especial, p. 83-91, 2005.

FONSECA, M. C. F. R. Letramento no Brasil: habilidades matemáticas. São Paulo: Global, 2004.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 17. ed. São Paulo: Ed. Paz e Terra, 1996.

FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido. 17.ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

GIARDINETTO, J. R. B. Matemática Escolar e Matemática da Vida Cotidiana. Campinas: Autores Associados, 1999.

GÓMEZ-GRANELL, C. A Aquisição da Linguagem Matemática: símbolo e significado. In: MACHADO, N. J. Matemática e Língua Materna: análise de uma impregnação mútua. 3. ed. São Paulo: Cortez, 1993.

KAMII, C. A criança e o número: implicações da teoria de Piaget para a atuação junto a escolares de 4 a 6 anos. 23.ed. Campinas: Papirus, 1997.

KLEIMAN, Â. Modelos de letramento e as práticas de alfabetização na escola. In: KLEIMAN, Â. (org.). Os significados do letramento: uma nova perspectiva sobre a prática social da escrita. Campinas: Mercado das Letras, 2008, p. 15-64.

KLEIMAN, Ângela. Preciso “ensinar” o letramento? Não basta ensinar a ler e a escrever? Cefiel/IEL/Unicamp, Linguagem e Letramento em foco nas séries iniciais, 2005.

KLEIMAN, Ângela. Os significados do letramento: uma nova perspectiva sobre a prática social da escrita. Campinas: Mercado da Letras, 1995.

LEITE J. A. O.; BOTELHO, L. S. Letramentos múltiplos: uma nova perspectiva sobre as práticas sociais de leitura e de escrita. Revista eletrônica da Faculdade Metodista Granbery, n. 10, 2011.

LORENSATTI, E. J. C. Linguagem matemática e Língua Portuguesa: diálogo necessário na resolução de problemas matemáticos. Conjectura, v. 14, n. 2, p. 89-99, 2009.

LOURENÇO, E. M. S.; BAIOCHI, V. T. B.; TEIXEIRA, A. C. Alfabetização matemática nas séries iniciais: o que é? Como fazer? Revista da Universidade Ibirapuera, São Paulo, v. 4, p. 32-39, 2012.

MACHADO, N. J. Matemática e Língua Materna - Edição ampliada. 6. ed. São Paulo: Cortez, v. 1, 2011.

MACHADO, N. J. Políticas Pedagógicas. In: OLIVA, L. (org.). Encontros com Educadores. São Paulo: Exclusiva Publicações, p. 63-68, 2010.

MACHADO, N. J. Os algoritmos devem ser ensinados? Pátio - Revista Pedagógica, Porto Alegre, v.11, n.41, p. 48-51, 2007.

MACHADO, N.J. Matemática e Realidade: análise dos pressupostos filosóficos que fundamentam o ensino da matemática, 5.ed. São Paulo: Cortez, 2001.

MAIA, M. G. B.; MARANHÃO, C. Alfabetização e letramento em língua materna e em matemática. Ciência e Educação, Bauru, v. 21, n. 4, p. 931-943, 2015.

MARTINS, M.H. O que é leitura. São Paulo: Brasiliense, 2003.

MENDES, J. R. Ler, escrever e contar: práticas de numeramento-letramento dos Kaiabi no contexto de formação de professores índios no Parque Indígena do Xingu. 2001. 333p. Tese (Doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Estudos da Linguagem, Campinas, SP. 2001.

MENDES, J. R. Matemática e práticas sociais: uma discussão na perspectiva do numeramento. In: MENDES, J. R.; GRANDO, R. C. (org.). Múltiplos olhares: Matemática e produção de conhecimento. São Paulo: Musa, 2007.

MUNIZ, C. A. Brincar e jogar: enlaces teóricos e metodológicos no campo da Educação Matemática. Belo Horizonte: Autêntica, 2014.

RICHIT, A. Desenvolvimento Profissional de Professores: um quadro teórico. Research, Society and Development, Vargem Grande Paulista, v. 10, n. 4, p.1-20, 2021.

RICHIT, A; MALTEMPI, M. V. Desafios e Possibilidades do trabalho com Projetos e com Tecnologias na Licenciatura em Matemática. Zetetiké, Campinas, v. 18, n. 1, p. 1-20, 2010.

RICHIT, A; STEIN, L.; MELO, M. V. Alfabetização matemática nos anos iniciais: perspectivas subjacentes à Base Nacional Comum Curricular. Conjectura: Filosofia e Educação, Caxias do Sul, v. 28, e023007, 2023.

RICHIT, A.; VENTURIN, S.; RODRIGUES, B. M. B. Ensino da Estatística nos Livros Didáticos Ápis e Coopera do Quarto Ano do Ensino Fundamental. Revista de Educação Matemática (REMat), São Paulo, v. 19, n. 01, p. 01-30, 2022.

ROJO, R. Letramentos múltiplos, escola e inclusão social. São Paulo: Parábola Editorial, 2009.

ROJO, R. O letramento escolar e os textos da divulgação científica: a apropriação dos gêneros de discurso na escola. Linguagem em (Dis)curso, v. 8, n. 3, p. 581-612, 2018.

ROMANOWSKI. J. P.; ENS, R. T. As Pesquisas Denominadas do Tipo “Estado da arte” em Educação. Diálogo Educacional. Curitiba, v. 6, n. 19, p. 37-50, 2016.

SKOVSMOSE, O. Educação Matemática crítica: a questão da democracia. Campinas: Papirus, 2001.

SMOLE, K. C. S.; DINIZ, M. I. S. V. (org.) . Ler, escrever e resolver problemas: habilidades básicas para aprender matemática. Porto Alegre: Artmed, 2001.

SOARES, M. Alfabetização e letramento. 6. ed. São Paulo: Contexto, 2011.

SOARES, M. Letramento: um tema em três gêneros. 4.ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2010.

SOARES, M. Oralidade, alafabetização e letramento. Revista Pátio, v.7, n.20, 2009.

SOARES, M. Alfabetização e letramento. 5.ed. São Paulo: Contexto, 2007.

SOARES, M. Letramento e alfabetização: as muitas facetas. Revista Brasileira de Educação, São Paulo, n. 25, p. 5-16, 2004.

SOARES, M. Letramento e Escolarização. In: RIBEIRO, V.M (org.). Letramento no Brasil. São Paulo: Global, 2004, p. 106-131.

SOARES, M. Letramento e escolarização. In: RIBEIRO, V.M. (org.). Letramento no Brasil. São Paulo: Global, 2003. p.89-115.

SOARES, M. Letramento: um tema em três gêneros. Belo Horizonte: Autêntica, 2000.

SOARES, M. Letramento: um tema em três gêneros. Belo Horizonte: Autêntica, 1995.

SOARES, M. As muitas facetas da alfabetização. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 52, p. 19-24, fev. 1985.

SOUZA, K. N. Alfabetização matemática: considerações sobre a teoria e a prática. Revista de Iniciação Científica da FFC. Marília, v. 10, n. 1, 2012.

STEIN, L. Alfabetização matemática na perspectiva do letramento: um mapeamento da produção brasileira nos anos iniciais. 113 f. 2021. Dissertação (Mestrado em Educação), Universidade Federal da Fronteira Sul, Chapecó, 2021.

STREET, B. V. Social Literacies. Critical Approaches to Literacy in Development, Ethnography and Education. Harow: Pearson, 1995.

STREET, B. V. Perspectivas interculturais sobre o letramento. Trad. Marcos Bagno. Filologia linguística do português, n. 8, p. 465-488, 2006.

TFOUNI, L. V. Alfabetizados: o avesso do avesso. 1986. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada) – IEL, Unicamp, Campinas, 1986.

TFOUNI, L. V. Letramento e Alfabetização. 9 ed. São Paulo: Cortez, 2010.

TFOUNI, L. V.; PEREIRA, A. C.; ASSOLINI, F. E. P. Letramento e alfabetização e o cotidiano: vozes dispersas, caminhos alternativos. Calidoscópio. São Leopoldo, v. 16, n. 1, p. 16-24, 2018.

VIAL, I. P; RICHIT, A. A noção de quantidade apresentada por crianças da pré-escola a partir de atividades baseadas na abordagem de Reggio Emilia. Revista de Educação Matemática, v. 19, p. 1-28, 2022.

Downloads

Publicado

20-12-2023

Como Citar

STEIN, L.; MELO, M. V.; RICHIT, A. Alfabetização Matemática na Perspectiva do Letramento: Análise sobre a Produção Brasileira centrada nos Anos Iniciais. Roteiro, [S. l.], v. 48, p. e32863, 2023. DOI: 10.18593/r.v48.32863. Disponível em: https://periodicos.unoesc.edu.br/roteiro/article/view/32863. Acesso em: 24 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos de demanda contínua