Ensino remoto emergencial de didática em Cursos de Licenciaturas do Sul do Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18593/r.v47.30118

Palavras-chave:

Ensino de Didática, Ensino remoto emergencial, Tecnologias digitais

Resumo

A situação pandêmica alterou o cotidiano da educação superior exigindo novas formas de organização do trabalho docente. Imersos nesse “novo” contexto de educação, o presente trabalho objetivou analisar, na perspectiva dos estudantes dos cursos de licenciaturas de universidades federais e estaduais do Sul do Brasil, o ensino de Didática de modo remoto emergencial, levando em consideração tanto as condições dos estudantes para sua participação nas atividades pedagógicas, quanto às especificidades do ensino de Didática. A pesquisa quanti-qualitativa e de abordagem empírica utilizou questionários on-line como instrumento para coleta de dados. Nossa base teórica e analítica situou-se no campo da Didática. Os resultados da pesquisa apontam os desafios enfrentados pelos estudantes, dentre eles: os limitados recursos tecnológicos, a instabilidade da internet e a dificuldade financeira para mudar tal situação. Observamos também o impacto emocional que afetou o modo como os estudantes se envolviam nas atividades de ensino e aprendizagem. Por outro lado, os estudantes destacam as potencialidades do ensino de Didática de modo remoto, mencionando a importância de incorporar o uso das tecnologias nas suas formações e em suas futuras práticas pedagógicas, ressaltando que o ensino remoto da Didática alterou o modo de interação entre professores e estudantes e a mediação do conteúdo. Estas potencialidades convocam a Didática, enquanto campo de conhecimento, a construir outras formas de ensinar e de aprender, ampliando a compreensão sobre o uso educativo e pedagógico das tecnologias sem incorrer na instrumentalização.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nadiane Feldkercher, Universidade Estadual de Maringá

Doutora e Mestre em Educação pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel). Licenciada em Pedagogia pela Universidade Federal de Santa Maria. Professora da Universidade Estadual de Maringá, vinculada ao Departamento de Teoria e Prática da Educação. Vice-representante da Região Sul na ANDIPE. Desenvolve estudos e pesquisas sobre formação de professores, iniciação à docência, estágio curricular supervisionado, pedagogia universitária, docência, didática e práticas de ensino.

Lui Nörnberg, Universidade Federal de Pelotas

Possui graduação em Pedagogia Licenciatura Plena Orientação Educacional pelo Instituto Luterano de Ensino Superior de Ji Paraná RO (2001), Mestrado (2003) e Doutorado (2008) em Educação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos. Atualmente é professor Adjunto no Departamento de Fundamentos da Educação na Faculdade de Educação da Universidade Federal de Pelotas. Conselheiro do NATE (Núcleo de Apoio às Tecnologias Educacionais). Representante da Região Sul na ANDIPE (Associação Nacional de Didática e Práticas de Ensino); Professor no Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática Mestrado Profissional - Linhas de Pesquisa: Formação de Professores de Ciências e de Matemática e Estratégias Metodológicas e Recursos Educacionais para o Ensino de Ciências e Matemática. Atua e desenvolve estudos nos seguimentos: Formação de professores e Práticas de Ensino, Educação a Distância, Pedagogia Universitária, Pedagogia Hospitalar.

Referências

ALONSO, K. M. Educação a Distância e Didática: Anotações sobre especificidades. In: LIBÂNEO, J. C.; SUANNO, M. V. R.; LIMONTA, S. V. Qualidade na escola pública: políticas educacionais, didática e formação de professores. Goiânia: Ceped Publicações; Gráfica e Editora América: Kelps, 2013. p. 207-222.

ANDIPE. Associação Nacional de Didática e Práticas de Ensino. Relatório da pesquisa Ensino de Didática na modalidade online: desafios e prospecções no contexto da pandemia pela COVID-19. Salvador, ANDIPE, 2020. Disponível em https://www.andipe.com.br/pesquisa-1. Acesso em: 12 nov. 2021.

BELLONI, M. L. Educação a Distância. 2.ed. São Paulo: Editora Autores Associados, 1999.

BELLONI, M. L. Ensaio sobre a educação a distância no Brasil. Revista Educação & Sociedade, Campinas, v. 23, n. 78, abr. 2002. DOI: https://doi.org/10.1590/S0101-73302002000200008

BRAGA, N. G. S.; TAVARES, C. Z. Práticas docentes na cultura digital em um centro universitário na cidade de São Paulo. Revista Triângulo, Uberaba, v. 8, n. 2, p. 147-162, jul-dez, 2015. DOI: https://doi.org/10.18554/rt.v8i2.1556

CASTELLS, M. A sociedade em rede. 10. ed. Tradução: Roneide Venancio Majer. Atualização: Jussara Simões. São Paulo: Paz e Terra, 2007.

COMITÊ GESTOR DA INTERNET NO BRASIL. Pesquisa sobre o uso das tecnologias de informação e comunicação nos domicílios brasileiros. São Paulo: Comitê Gestor da Internet no Brasil, 2021.

D´ÁVILA, C. Métodos e técnicas de ensino e aprendizagem para a Educação Superior: cardápio pedagógico. Salvador: EDUFBA, 2021.

DAMÁSIO, A. A estranha ordem das coisas. A vida, os sentimentos e as culturas humanas. Lisboa, Portugal: Editora Temas e Debates, 2017.

FARIAS, I. M. S. et al. Didática e docência: aprendendo a profissão. Brasília: Líber Livro, 2009.

KENSKI, V. M. Tecnologias e ensino presencial e a distância. 3. ed. Campinas, SP. Papirus, 2003.

LIBÂNEO, J. C. Didática e Trabalho Docente: a mediação didática do professor nas aulas. In: LIBÂNEO, J. C.; SUANNO, M. V. R.; LIMONTA, S. V. (orgs.). Concepções e práticas de ensino num mundo em mudança: diferentes olhares para a didática. Goiânia: CEPED/Editora PUC Goiás, 2011. p. 85-100.

LIBÂNEO, J. C. Didática. 2. ed. São Paulo: Editora Cortez, 2013.

LIBÂNEO, J. C. Ensinar e Aprender, Aprender e ensinar: o lugar da teoria e da prática em didática. In: LIBÂNEO, J. C.; ALVES, N. (org.). Temas de Pedagogia: diálogos entre didática e currículo. SP: Cortez, 2012. p. 35-60.

NASCIMENTO, J. E. T. Estudos investigativos sobre a influência das novas tecnologias na educação e na qualidade de vida dos adultos. Dissertação de Mestrado - Universidade Federal do Ceará – UFC, Fortaleza, Ceará, Brasil, 2001.

PEIXOTO, J. Tecnologia na Educação: uma questão de transformação ou de formação? In: GARCIA, D. M. F.; CECÍLIO, S. (orgs.) Formação e Profissão Docente em Tempos Digitais. Campinas, SP: Editora Alínea, 2009. p. 217-236.

SALES, M. V. S.; KENSKI, V. M. Sentidos da inovação em suas relações com a educação e as tecnologias. Revista FAEEBA – Educação e Contemporaneidade, Salvador, v. 30, n. 64, p. 19-35, out./dez. 2021. DOI: https://doi.org/10.21879/faeeba2358-0194.2021.v30.n64.p19-35

TEIXEIRA, L. A. C. et al. Saúde mental dos estudantes de Medicina do Brasil durante a pandemia do coronavírus disease 2019. Jornal Brasileiro de Psiquiatria, Rio de Janeiro, 2021, v. 70, n. 1. p. 21-29. Disponível em: https://www.scielo.br/j/jbpsiq/a/yjxwLdpJ6q5CJJCpPNxKr5R/abstract/?lang=pt. Acesso em: 30 de maio de 2022. DOI: https://doi.org/10.1590/0047-2085000000315

ZUIN, A. Á. S. Educação a Distância ou Educação Distante? O Programa Universidade Aberta do Brasil, o Tutor e o Professor Virtual. Educação & Sociedade, Campinas, v. 27, n. 96, p. 935-954, out. 2006. DOI: https://doi.org/10.1590/S0101-73302006000300014

Downloads

Publicado

04-08-2022

Como Citar

FELDKERCHER, N.; NÖRNBERG, L. Ensino remoto emergencial de didática em Cursos de Licenciaturas do Sul do Brasil. Roteiro, [S. l.], v. 47, p. e30118, 2022. DOI: 10.18593/r.v47.30118. Disponível em: https://periodicos.unoesc.edu.br/roteiro/article/view/30118. Acesso em: 27 set. 2022.

Edição

Seção

Seção temática: O ensino da didática na formação de professores

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)