Educação do campo em tempos de pandemia no município de Riacho de Santana

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18593/r.v47.27913

Palavras-chave:

Covid-19, tecnologias educacionais, formação docente, políticas públicas

Resumo

Este artigo tem como objetivo principal apresentar os efeitos da organização do trabalho docente e as discussões sobre a dinâmica da educação do campo em tempos de pandemia da Covid-19, no município de Riacho de Santana, Bahia, refletindo acerca do papel das políticas públicas neste processo de mudanças no novo formato educacional. A coleta de dados ocorreu através de um questionário pelo aplicativo WhatsApp com cinco (05) docentes que atuam nas escolas do campo do município de Riacho de Santana. As discussões são fruto de uma pesquisa empírica, contemplando o uso de levantamento bibliográfico-documental. Os resultados apontam que a pandemia introduziu novas demandas e intensificou esforços, aos docentes, diante da organização da dinâmica educativa, desde a adaptabilidade às ferramentas tecnológicas disponíveis, até a transposição de metodologias presenciais para o ambiente virtual, bem como, ocasionou a expansão da carga horária de trabalho, desmotivação e conflitos com as famílias dos estudantes. Assim, é notável que, além de ampliar os dilemas já existentes, a pandemia projetou ainda o desafio da (re)invenção do fazer docente numa conjuntura de crise na educação pública, com desarticulações entre as políticas públicas educacionais e o novo contexto, principalmente, na modalidade de educação do campo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Antônio Domingos Moreira, Professor da Rede Municipal de Riacho de Santana –Ba

Mestre em Educação pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - PPGEd/UESB; Especialista em Agroecologia pelo IF/Baiano e Supervisão Escolar e Coordenação Pedagógica - Faculdade Montenegro; Professor da Rede Municipal de Riacho de Santana –Ba; Membro do Grupo de Estudos e Pesquisas em Movimentos Sociais, Diversidade e Educação do Campo e da Cidade - GEPEMDECC

Ramofly Bicalho Santos, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

Docente na UFRRJ - Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Campus Seropédica. Lotado no Departamento de Educação do Campo, Movimentos Sociais e Diversidade. Atualmente, coordeno a Licenciatura em Educação do Campo da UFRRJ. Sou docente no PPGEA - Programa de Pós-Graduação em Educação Agrícola. Atuo com as seguintes temáticas: História da Educação do Campo e os Movimentos Sociais. Educação Popular e Educação de Jovens e Adultos.

Referências

BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil 03/constituição/ConstituicaoCompilado.htm. Acesso em: 04 fev. 2022.

BRASIL. Câmara dos Deputados. Medida Provisória n. 934, de 1º de abril de 2020. Estabelece normas excepcionais sobre o ano letivo da educação básica e do ensino superior decorrentes das medidas para enfrentamento da situação de emergência de saúde pública de que trata a Lei n. 13.979, de 6 de fevereiro de 2020. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/medpro/2020/medidaprovisoria- 934-1-abril-2020-789920-norma pe.html#:~:text=EMENTA%3A%20Estabelece%20normas%20excepcionais%20sobre,6%20de%20fe vereiro%20de%202020. Acesso em: 24 maio 2021.

BRASIL. Decreto n. 7.352, de 04 de novembro de 2010. Dispõe sobre a política de educação do campo e o Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária – PRONERA. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 2010.

BRASIL. Lei n. 9.394/de 20 de Dezembros de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. LDB-Lei de Diretrizes e Bases da Educação. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em: 23 maio 2021.

BRASIL. Ministério da Educação – MEC, 2020. Portaria n. 343, de 17 de março de 2020. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Portaria/PRT/Portaria%20n%C2%BA%20343-20-mec.htm. Acesso em: 04 fev. 2022.

BRASIL. Ministério da Educação. Portaria n. 343, de 17 de março de 2020. Dispõe sobre a

substituição das aulas presenciais por aulas em meios digitais[...]. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, p. 39, 18 mar. 2020. Disponível em: https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/portaria-n-343-de-17-de-marco-de-2020-248564376 Acesso em: 04 fev. 2022.

BRASIL. Portaria n. 2.117, de 6 de dezembro de 2019. Dispõe sobre a oferta de carga horária na modalidade de Ensino a Distância – EaD. Disponível em: https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/portaria-n-2.117-de-6-de-dezembro-de-2019-232670913. Acesso em: 04 fev. 2022.

BRASIL. Resolução CNE/CEB n. 1, de 03 abril de 2002. Institui Diretrizes Operacionais para a Educação Básica nas Escolas do Campo. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/escola-de-gestores-da-educacao-basica/323-secretarias-112877938/orgaos-vinculados-82187207/13200-resolucao-ceb-2002. Acesso em: 20 maio 2021.

BRASIL. Resolução CNE/CEB n. 2, de 28 de abril de 2008. Estabelece diretrizes complementares, normas e princípios para o desenvolvimento de políticas públicas de atendimento da Educação Básica do Campo. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/mais-educacao/323-secretarias-112877938/orgaos-vinculados-82187207/12759-resolucoes-ceb-2008. Acesso em: 15 maio 2021.

CALDART, R. S. Educação do Campo: notas para uma análise de percurso. Trab. Educ. saúde, Rio de Janeiro, v. 7 n. 1, p. 35-64, mar./jun. 2009. DOI: https://doi.org/10.1590/S1981-77462009000100003

CAMACHO, A. C. et al. Alunos em vulnerabilidade social em disciplinas de educação à distância em tempos de COVID-19. Research, Society and Development, Itabira, v. 9, n. 7, p. e275973979, maio 2020. ISSN 2525-3409. Disponível em: https://rsd.unifei.edu.br/index.php/rsd/article/view/3979/3105. Acesso em: 04 fev. 2022. DOI: https://doi.org/10.33448/rsd-v9i7.3979

CAMPOS, G. H. B.; ROQUE, G. O. B.; AMARAL, S. B. Dialética da Educação a Distância. Rio de Janeiro: PUC-Rio, 2007.

CARMO, R. O. S.; FRANCO, A. P. Da docência presencial à docência online: aprendizagens de professores universitários na educação a distância. Educação em Revista, v. 35, p. e210399, 2019. DOI: https://doi.org/10.1590/0102-4698210399

FERREIRA, F. J.; BRANDÃO, E. C. Educação do campo: um olhar histórico, uma realidade concreta. Revista Eletrônica de Educação, ano V, n. 09, jul./dez. 2011.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas, 1999.

GODOY, A. S. A pesquisa qualitativa e sua utilização em administração de empresas. Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 35, n. 4, p. 65-71, jul./ago. 1995. DOI: https://doi.org/10.1590/S0034-75901995000400008

HABOWSKI, A. C.; CONTE, E.; JACOBI, D. F. Interlocuções e discursos de legitimação em EAD. Ensaio: avaliação e políticas públicas em Educação, v. 28, n. 106, 2020. DOI: https://doi.org/10.1590/s0104-40362019002701365

IBGE. Riacho de Santana, Bahia, 2018. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/ba/riacho-de-santana/panorama. Acesso em: 04 fev. 2022.

LEITE, S. C. Escola Rural: urbanização e políticas educacionais. 2 ed. São Paulo: Cortez, 2002. (Coleção Questões da Nossa Época. v. 70).

MARX, K.; ENGELS, F. O Manifesto Comunista. Fonte digital: RocketEdition, 1999.

MENEZES FILHO, N.; KIRSCHBAUM, C. Educação e desigualdade no Brasil. In: ARRETCHE, M. (org.). Trajetórias das desigualdades: como o Brasil mudou nos últimos cinquenta anos. 1. ed. São Paulo: Editora Unesp, 2015. p. 109-132.

MÉSZÁROS, I. Educação para Além do Capital. 2. ed. São Paulo: Boitempo Editorial, 2008.

QEdu. Riacho de Santana/BA, 2020. Disponível em: https://www.qedu.org.br/cidade/3067-riacho-de-santana/censoescolar? year=2020&dependence=0&localization=0&education_stage=0&item=. Acesso em: 04 jun. 2021.

RABELO, M. E. Lições do Coronavírus: ensino remoto emergencial não é EAD. 2020. Disponível em: https://desafiosdaeducacao.grupoa.com.br/coronavirus-ensino-remoto/. Acesso em: 04 de fev. 2022.

SANTOS, A. R.; NUNES, C. P. Reflexões sobre Políticas Públicas Educacionais para o Campo no contexto brasileiro. Editora Edufba: Salvador, BA, 2020.

Downloads

Publicado

14-02-2022

Como Citar

DOMINGOS MOREIRA, A. .; SANTOS, R. B. Educação do campo em tempos de pandemia no município de Riacho de Santana. Roteiro, [S. l.], v. 47, p. e27913, 2022. DOI: 10.18593/r.v47.27913. Disponível em: https://periodicos.unoesc.edu.br/roteiro/article/view/27913. Acesso em: 8 dez. 2022.

Edição

Seção

Seção temática: Educação do Campo: análises e resistências em movimento