Ensino superior privado brasileiro na pandemia: do ERE ao processo híbrido de ensino e aprendizagem

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18593/r.v48.32891

Palavras-chave:

ensino remoto emergencial, covid-19, ensino superior privado, processo híbrido de ensino e aprendizagem

Resumo

Este artigo tem por objeto as implicações da promulgação da lei 14.040/2020 para o trabalho e a profissão docente nas Instituições de Ensino Superior (IES) privada com fins lucrativos, levando-se em conta o momento de excepcionalidade sanitária imposta pela pandemia da Covid-19. O objetivo geral é compreender os principais reflexos e alterações causadas no trabalho do profissional docente, a partir da promulgação da lei 14.040/2020, em cenário pandêmico e no contexto do capitalismo de vigilância, em que se encontra a sociedade do século XXI. A metodologia se baseou em uma pesquisa bibliográfica e documental, de legislações e artigos, tendo como fontes, especialmente, os bancos de dados, SciELO e LILACS. Como resultado obtido, tem-se que a pandemia intensificou a virtualização da profissão docente, fortalecendo a ideia de hibridização da educação, conforme documentos técnicos exarados pelo Conselho Nacional de Educação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ruan Carlos Pereira Costa, UNIUBE

Advogado atuante. Mestre em Direito Público pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), tendo sido aprovado com louvor em banca composta pelo renomado jurista brasileiro, Dr. Daniel Sarmento. Mestre em Educação pela Universidade de Uberaba (UNIUBE). Atuou como pesquisador do grupo de pesquisas em Direito Constitucional vinculado à Academia Brasileira de Direito Constitucional (ABDCONST). Atuou como pesquisador do grupo de pesquisas sobre Trabalho Docente, Tecnologias e Subjetividades (GEPETTES). Graduado em Direito pelo Centro Universitário de Patos de Minas (UNIPAM), Especialista em Direito Civil, Especialista em Direito Notarial e Registral. Trabalhou como estagiário no Juizado Especial Cível e Criminal da Comarca de Patos de Minas-MG, atuando nas diversas áreas que permeiam a tramitação processual. Exerceu a atividade como Conciliador Judicial do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), diligenciando de maneira proativa na solução de litígios extrajudiciais e judiciais entre as partes. Tem experiência na área de Direito, com ênfase em Direito Civil, Direito Constitucional, Direito Administrativo e Direito Imobiliário.

Sálua Cecílio, Uniube

Licenciada em Pedagogia pela Faculdade de Filosofia , Ciências e Letras Santo Tomás de Aquino (1971), Uberaba-MG, mestrado em Psicologia Social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1990) e doutorado em Sociologia pela Universidade de São Paulo (1999). Atualmente é pesquisadora e professora de tempo contínuo da Universidade de Uberaba. Integra o Comitê de Ética em Pesquisa e o Comitê do Banco de Avaliadores Ad Hoc do PIBIC-UNIUBE da referida instituição. É líder do Grupo de Estudos e Pesquisas Trabalho docente, tecnologias e subjetividade (GEPETTES). Tem experiência nas áreas de Sociologia, Educação e Psicologia, com ênfase em Trabalho, tecnologias e saúde, atuando principalmente na investigação dos seguintes temas: educação, trabalho, subjetividade, tecnologias digitais e trabalho docente, formação de professores e trabalho docente.

Referências

ANTUNES, R. Capitalismo pandêmico. São Paulo: Boitempo, 2022.

BRASIL, Decreto-Lei nº 2306, de 19 de agosto de 1997. Regulamenta, para o Sistema Federal de Ensino, as disposições contidas no art. 10 da Medida Provisória nº 1.477-39, de 8 de agosto de 1997, e nos arts. 16, 19, 20, 45, 46 e § 1º, 52, parágrafo único, 54 e 88 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 19 ago. 1997. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/d2306.htm. Acesso em: 02 nov. 2023.

BRASIL, Decreto-lei nº 9.057, de 25 de maio de 2017. Regulamenta o art. 80 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União, Brasília, 26 mai. 2017. Disponível em:

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2017/decreto/d9057.htm. Acesso em: 08 dez. 2022.

BRASIL. Portaria nº 2.117, de 6 de dezembro de 2019. Dispõe sobre a oferta de carga horária na modalidade de Ensino a Distância - EaD em cursos de graduação presenciais ofertados por Instituições de Educação Superior - IES pertencentes ao Sistema Federal de Ensino. Diário Oficial da União, Brasília, 11 dez. 2019. Disponível em: https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/portaria-n-2.117-de-6-de-dezembro-de-2019-232670913.

BRASIL. Lei nº 14.040, de 18 de agosto de 2020a. Estabelece normas educacionais

excepcionais a serem adotadas durante o estado de calamidade pública reconhecido pelo Decreto Legislativo nº 6, de 20 de março de 2020; e altera a Lei nº 11.947, de 16 de junho de 2009. Diário Oficial da União, Brasília, 19 ago. 2020. Disponível em:

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2019-2022/2020/lei/l14040.htm. Acesso em: 10 dez. 2022.

BRASIL. Parecer nº 14/2022, de 05 de julho de 2022. Diretrizes Nacionais Gerais para o desenvolvimento do processo híbrido de ensino e aprendizagem na Educação Superior. Conselho Nacional da Educação, Brasília, 05 jul. 2022. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=238781-pcp014-22&category_slug=julho-2022-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 10 dez. 2022.

BRASIL, Portaria nº 188, de 03 de fevereiro de 2020b. Declara Emergência em Saúde Pública de importância Nacional (ESPIN) em decorrência da Infecção Humana pelo novo Coronavírus (2019-nCoV). Diário Oficial da União, Brasília, 04 fev. 2020. Disponível em:

https://www.in.gov.br/em/web/dou/-/portaria-n-188-de-3-de-fevereiro-de-2020-241408388. Acesso em: 11 dez. 2022.

BRASIL, Portaria nº 343, de 17 de março de 2020c. Dispõe sobre a substituição das aulas presenciais por aulas em meios digitais enquanto durar a situação de pandemia do Novo Coronavírus – COVID-19. Diário Oficial da União, Brasília, 18 mar. 2020. Disponível em:

https://www.in.gov.bemen/web/dou/-/portaria-n-343-de-17-de-marco-de-2020-248564376. Acesso em: 09 dez. 2022.

BRASIL, Portaria nº 345, de 19 de março de 2020d. Altera a Portaria MEC nº 343, de 17 de março de 2020. Diário Oficial da União, Brasília, 19 mar. 2020. Disponível em:

https://www.in.govemr/en/web/dou/-/portaria-n-345-de-19-de-marco-de-2020-

?inheritRedirect=true&redirect=%2Fweb%2Fguest%2Fsearch%3FqSearch%3DPortaria%2520345%2520de%252019%2520de%2520mar%2ªC3%25A7o%2520de%25202020. Acesso em: 11 dez. 2022.

BRASIL, Portaria nº 356, de 11 de março de 2020e. Dispõe sobre a regulamentação e

operacionalização do disposto na Lei no 13.979, de 6 de fevereiro de 2020, que estabelece as medidas para enfrentamento da emergência de saúde pública de importância internacional decorrente do coronavírus (COVID-19). Diário Oficial da União, Brasília, 12 mar. 2020. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Portaria/PRT/Portaria%20nº%20356-

-MS.htm. Acesso em: 11 dez. 2022.

CALDERÓN, A. I. Universidades mercantis: a institucionalização do mercado universitário em questão. São Paulo em Perspectiva, v. 14, n. 1, p. 61–72, jan. 2000. Disponível em: https://www.scielo.br/j/spp/a/k4TVwx6cyh7JyxJgQ53snyL/abstract/?lang=pt#. Acesso em: 31 out. 2023.

FREIRE, M. M. O ensino remoto emergencial e a exigência imediata de letramento: reflexões sobre um tempo de exceção. DELTA: Documentação de Estudos em Linguística Teórica e Aplicada [online]. v. 37, n. 4, 2021. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1678-460X202156287. Acesso em: 14 dez. 2022.

GEMELI, C. E.; CLOSS, L. Q.; FRAGA, A. M. Multiformidade e pejotização: (re)configurações do trabalho docente no ensino superior privado sob o

capitalismo flexível. REAd. Revista Eletrônica de Administração (Porto Alegre) [online].

v. 26, n. 02, pp. 409-438, 2020. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1413-

289.101464. Acesso em: 14 dez. 2022.

GONÇALVES, R; SOUZA, E. Â. De. Somos todes youtubers? Indústria 4.0 e

precarização do trabalho docente em tempos de pandemia. Serv. Soc. Soc., São Paulo, n. 144, p. 33-51, set. 2022. Disponível em: http://old.scielo.br/scielo.php?

Script=sci_arttext&pid=S0101-66282022000200033&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 14 dez. 2022.

GUSSO, H. L. et al. Ensino superior em tempos de pandemia: diretrizes à gestão universitária. Educação & sociedade [online]. v. 41, 2020. Disponível em: https://doi.org/10.1590/es.238957. Acesso em: 19 dez. 2022.

HARAYAMA, R. M. Reflexões sobre o uso do big data em modelos preditivos de vigilância epidemiológica no Brasil. Cadernos Ibero-americanos de Direito Sanitário. Brasília, jul./set., 2020. Disponível em: http://dx.doi.org/10.17566/ciads.v9i3.702. Acesso em: 19 dez. 2022.

HODGES, C. et al. The difference between emergency remote teaching and online

learning. EDUCAUSE Review. 27 mar. 2020. Disponível em:

https://er.educause.edu/articles/2020/3/the-difference-between-emergency-remote-teaching-and-online-learning. Acesso em: 20 dez. 2022.

LAVAL, C. A Escola não é uma empresa: o neoliberalismo em ataque ao ensino

público. São Paulo: Boitempo, 2019.

LIMA, C. da C. de; RAMOS, M. E. N; OLIVEIRA, A. L. R. de. Implementação de uma política educacional no contexto da pandemia da Covid-19: o REANP em Minas Gerais. Educar em Revista [online]. v.38, 2022. Disponível em: https://www.scielo.br/j/er/a/VRLQXGLcfR3hz8HckkzdBjf/abstract/?lang=pt#. Acesso em: 23 dez. 2022.

MEIRELES, A. V. Algoritmos e autonomia: relações de poder e resistência no

capitalismo de vigilância. Opinião Pública [online]. v. 27, n. 1, p. 28-50, 2021. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1807-0191202127128. Acesso em: 05 jan. 2023.

MORAIS et al. Ensino Remoto Emergencial: orientações para elaboração do plano de aula. Natal: SEDIS/UFRN, 2020. Disponível em:

https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/29766. Acesso em: 05 jan. 2023.

POELL, T.; NIEBORG, D.; VAN DIJCK, J. Plataformização (Platformisation,

– Tradução: Rafael Grohmann). Revista Fronteiras – estudos midiáticos 22(1):2-10 janeiro/abril 2020. Unisinos. Disponível em:

https://revistas.unisinos.br/index.php/fronteiras/article/view/fem.2020.221.01/60747734. Acesso em: 10 jan. 2023.

SAMPAIO, Helena. Revista Ensino Superior Unicamp. 2011. Disponível em: https://www.revistaensinosuperior.gr.unicamp.br/edicoes/ed04_outubro2011/05_ARTIGO_PRINCIPAL.pdf. Acesso em: 02 nov. 2023.

SANTOS, G. M. R. F. dos; SILVA, M. E. da; BELMONTE, B. do R. COVID-19: Ensino remoto emergencial e saúde mental de docentes universitários. Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil [online]. v. 21, n. Suppl1, p. 237-243, 2021. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1806-9304202100S100013. Acesso em: 10 jan. 2023.

ZUBOFF, S. A era do capitalismo de vigilância. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2020.

ZUIN, A. Á. S. Inteligência Artificial e formação danificada: aprendizagem

profunda e ética rasa entre professores e alunos. Educar em Revista [online]. v. 37, 2021. Disponível em: https://doi.org/10.1590/0104-4060.80158. Acesso em: 18 jan. 2023.

Downloads

Publicado

20-12-2023

Como Citar

COSTA, R. C. P.; CECÍLIO, S. Ensino superior privado brasileiro na pandemia: do ERE ao processo híbrido de ensino e aprendizagem. Roteiro, [S. l.], v. 48, p. e32891, 2023. DOI: 10.18593/r.v48.32891. Disponível em: https://periodicos.unoesc.edu.br/roteiro/article/view/32891. Acesso em: 15 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos de demanda contínua

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.