As contribuições da teoria histórico-cultural de Vigotski no âmbito da educação especial no Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18593/r.v47.27221

Palavras-chave:

Políticas de educação especial, Desenvolvimento humano, Ensino e aprendizagem, Formação de professores

Resumo

A entrevista com a professora Anna Maria Lunardi Padilha visa a discutir as contribuições da Teoria Histórico-Cultural de Vigotski e de seus seguidores no âmbito da educação especial no Brasil, enfocando temas como: contribuições da Teoria Histórico-Cultural para a educação escolar hoje; desenvolvimento humano em uma perspectiva histórica e cultural e suas implicações para os processos de ensino e de aprendizagem; desafios políticos e educacionais na escolarização de pessoas com deficiência e formação de professores para atuar com alunos público-alvo da educação especial na educação básica. Tendo em vista o percurso profissional e acadêmico-científico da professora Anna Padilha, bem como seu comprometimento com a educação pública, universal, gratuita e de qualidade social para todos, suas considerações sobre a temática em foco neste dossiê podem trazer grandes contribuições para o debate.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ivone de Oliveira, Universidade Federal do Espírito Santo

Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Estadual de Campinas (1985), mestrado em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (1993), doutorado em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (2001) e pós-doutorado pela Universidade Federal do Espírito Santo (2016). É Professora Titular do Departamento de Teorias do Ensino e Práticas Educacionais da Universidade Federal do Espírito Santo, onde trabalha desde 1994. Integra a Linha de Pesquisa "Educação Especial e Processos Inclusivos" do Programa de Pós-Graduação em Educação do Centro de Educação da UFES, desenvolvendo atividades de ensino e pesquisa desde 2002. É coordenadora do Grupo de Pesquisa Desenvolvimento Humano e Práticas Educativas em espaços escolares e não escolares, vinculado à Universidade Federal do Espírito Santo. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Ensino e Aprendizagem, atuando principalmente nos seguintes temas: desenvolvimento e aprendizagem, educação especial, educação infantil e formação de professores.

Referências

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular: educação é a base. Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio. BrasíliaMinistério da Educação, 2018. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/abase/#introducao. Acesso em: 7 jan. 2021.

BRECHT, B. Aos vacilantes. In: BRECHT, B. Poemas: 1913-1956. São Paulo: Editora 34, 2000.

FREITAS, L. C. A reforma empresarial na educação: nova direita, velhas ideias. São Paulo: Expressão Popular, 2018.

PRESTES, Z. R. 80 anos sem Lev Semionovich Vigotski e a arqueologia de sua obra. Revista Eletrônica de Educação, São Carlos, v. 8, n. 3, p. 5-14, 2014. Disponível em: http://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/1055/352. Acesso em: 7 jan. 2021. DOI: https://doi.org/10.14244/198271991055

SAVIANI, D. Pedagogia Histórico-Crítica quadragésimo ano: novas aproximações. Campinas: Autores Associados, 2019.

VAN DER VEER, R.; VALSINER, J. Vygotsky: uma síntese. São Paulo: Loyola, 1996.

Downloads

Publicado

17-03-2022

Como Citar

OLIVEIRA, I. de. As contribuições da teoria histórico-cultural de Vigotski no âmbito da educação especial no Brasil. Roteiro, [S. l.], v. 47, p. e27221, 2022. DOI: 10.18593/r.v47.27221. Disponível em: https://periodicos.unoesc.edu.br/roteiro/article/view/27221. Acesso em: 28 nov. 2022.

Edição

Seção

Seção temática: Políticas públicas, educação especial e processos de inclusão: perspectivas críticas