Educação do campo e a relação com os movimentos sociais: uma pesquisa sistemática

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18593/r.v47.28069

Palavras-chave:

Educação do Campo, Movimentos Sociais, Revisão Sistemática

Resumo

Este texto aborda a Educação do Campo e a sua relação conceitual com os movimentos sociais, com o objetivo de demonstrar e refletir sobre esta relação, a partir de publicações de periódicos da Capes, período de 1998 a 2019. A metodologia adotada é a revisão bibliográfica sistemática do tipo metassíntese qualitativa e, os principais autores utilizados são: Caldart; Arroyo, Caldart e Molina; Valadão e Backes, Nascimento, Ribeiro, Lopes e Fracolli etc. Destaca-se como relevante na pesquisa, a indissociabilidade entre Educação do Campo e os movimentos sociais, ainda que haja tensionamentos e, a luta como elemento que une esses dois campos; o papel da escola do campo que extrapola a escolarização e vincula teoria-prática, forjando novas práticas; críticas à Educação do Campo devido a sua relação com o Estado/políticas públicas e, por fim, verifica-se equívocos nas traduções do termo Educação do Campo na maioria dos textos analisados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Isaura Isabel Conte, Universidade Federal de Rondônia

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS/2014) na linha de pesquisa Trabalho, Movimentos Sociais e Educação com Doutorado Sanduíche realizado na Universidad Nacional Autónoma de México, Facultad de Filosofía y Letras com apoio do CNPq Brasil/2013. Mestra em Educação pela Universidade Regional do Noroeste do Rio Grande do Sul (2011). Graduada em Pedagogia pela Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (2007). Possui experiência na área de Educação em contextos escolares e não escolares, incluindo atuação em Pedagogia da Alternância. Atua principalmente nos seguintes temas: educação do campo, políticas públicas educacionais, políticas de educação do campo, didática e planejamento escolar, educação popular e movimentos sociais, mulheres camponesas, feminismo e campesinato, direitos humanos. Participa do grupo de estudos Educação e Direitos Humanos do CRDH/Unemat campus Cáceres e do Grupo de Pesquisa CNPq - SOU - Sociedade, Universidade e Cultura. Concluiu Pós-Doutorado Júnior, com apoio do CNPq na temática de Educação do Campo e é professora do curso de Pedagogia/UNEMAT/MT, campus de Juara.

Referências

ALENCAR, E. de S.; ALMOULOND, S. A. A metodologia de pesquisa: metassíntese qualitativa. Revista Reflexão e ação, Santa Cruz do Sul, v. 25, n. 3, p. 204-220, Set./Dez. 2017. Disponível em: < https://www.researchgate.net/publication/322446734_A_metodologia_de_pesquisa_metassintese_qualitativa/link/5a5908b10f7e9b5fb383fe5a/download>. Acesso em 29 mai. 2020. DOI: https://doi.org/10.17058/rea.v25i3.9731

ARROYO, M. G.; FERNANDES, B.M. A educção básica o movimento social do campo. Brasília, DF: Articulação Nacional Por Uma Educação Básica do Campo, 1999.

ARROYO, M. G. Educação básica e o movimento social do campo. In: ARROYO, M. G.; CALDART, R. S.; MOLINA, M. C. (Org.). Por uma educação do campo. Rio de Janeiro: Vozes, 2004. p. 65-86.

AZEVEDO, M. A.; AZEVEDO, I. R. B. Questão agrária e educação do campo: controvérsias e perspectivas. Holos, Rio Grande do Norte, vol.34, n. 1, p. 237-245. 2018. Disponível em: <http://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/HOLOS/article/view/1700/pdf>. Acesso em 24 fev. 2021. DOI: https://doi.org/10.15628/holos.2018.1700

BENTES, G. R. F.; COLARES, A. A. A casa familiar rural e a política de educação do campo: história de resistência do movimento social no oeste paraense. Revista Histedbr, São Paulo, vol.16, n. 69, p. 267-285. 2017. Disponível em: < https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8648231>. Acesso em 24 fev. 2021. DOI: https://doi.org/10.20396/rho.v16i69.8648231

BORGES E SILVA, G.; LOREDO, F.de S. G.; DA COSTA, F. J. L. Políticas Públicas de Educação do Campo: Revisão Sistemática das Publicações Brasileiras. Arquivos analíticos de políticas educativas. vol 28, n. 81. Arizona State University, 2019. DOI: https://doi.org/10.14507/epaa.27.3829

CALDART, R. S. Sobre educação do campo. In: SANTOS, C. A. Por uma educação do campo. Campo, políticas públicas, educação. Brasília: Incra/MDA, 2008. p. 67-86. (caderno n. 07).

CALDART, R. S. Educação do campo. In: CALDART, R. S.; PEREIRA, I. B.; ALENTEJANO, P. et al (Org.) Dicionário da educação do campo. São Paulo e Rio de Janeiro: Expressão Popular e Escola Politécnica de Saúde Joaquim Nabuco. p. 257-264. 2012.

CAMINI, I. Escola itinerante dos acampamentos do MST: um contraponto à escola capitalista? Tese (Doutorado em Educação). Faculdade de Educação. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. 245. Porto Alegre/RS, 2009.

FACCIO, S. de F. A educação do campo e os movimentos sociais: uma trajetória de lutas. In: GHEDIN, E. (Org.). Educação do campo. Epistemologia e práticas. São Paulo: Cortez, 2012. p. 195-205.

FERNANDES, B. M. Educação do campo e desenvolvimento territorial rural. Revista Nera, São Paulo, vol.14, n. 18, p.125- 136. 2011. Disponível em:< https://revista.fct.unesp.br/index.php/nera/article/view/1346/1334>. Acesso em 25 fev. 2021. DOI: https://doi.org/10.47946/rnera.v0i18.1348

GONÇALVES, M. A.; SILVA, M. A da. Trabalho e educação: o ensino profissional e o desenvolvimento rural. Roteiro, Santa Catarina, vol.36, n. 1, p. 187-206. 2011. Disponível em: <https://www.redalyc.org/pdf/3519/351961817011.pdf. Acesso em 24 fev. 2021.

GUHUR, D. M. P.; SILVA, I. M. de S. A contraditória relação entre movimento social e estado na disputa pela formulação de políticas públicas para educação do campo. Eccos, São Paulo, vol. 11, n. 2, p. 335-352. 2009. Disponível em: < https://periodicos.uninove.br/eccos/article/view/1898/1603>. Acesso em 24. fev. 2021. DOI: https://doi.org/10.5585/eccos.v11i2.1898

KOLLING, E. J.; NERY, I. J. Ir.; MOLINA, M. M. (Org.). Por uma educação do campo. Brasília: UnB, 1999. (caderno n. 01).

LIMA, E. N.; BEZERRA NETO, L. Educação e trabalho: é possível uma leitura marxista sobre os discursos e práticas educacionais no campo? Revista Histedbr, São Paulo, vol. 11, n. 41, p. 295-308. 2012. Disponível em:< https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8639911/7474>. Acesso em 25 fev. 2021. DOI: https://doi.org/10.20396/rho.v11i41e.8639911

LOPES, A. L. M.; FRACOLLI, L. A. Revisão sistemática de literatura e metassíntese qualitativa: considerações sobre sua aplicação na pesquisa em enfermagem. Texto Contexto Enfermagem. Florianópolis, 2008 Out-Dez; vol. 17, n. 4, p. 771-778. Disponível em: < https://www.scielo.br/pdf/tce/v17n4/20.pdf>. acesso em 29 mai. 2020. DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-07072008000400020

LOPES, J. C.; PULINO, L. H. C. Z.; BARBATO, M.; PEDROZA, R. L. S. Construções coletivas em educação do campo inclusiva: reflexões sobre uma experiência na formação de professores. Educ. Pesqui., São Paulo, vol. 42, n. 3, p. 607-623, jul/set. 2016. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/298/29847323003.pdf. Acesso em 24 fev. 2021. DOI: https://doi.org/10.1590/S1517-97022016144743

MELO, A. D.; SOUZA, S. C de. Educação do campo e o programa escola ativa: elementos históricos, conceituais e pedagógicos. Holos, vol. 29, n. 2, p.178-195. 2013. Disponível em:< http://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/HOLOS/article/view/1375/668>. Acesso em 25 de fev. 2021. DOI: https://doi.org/10.15628/holos.2013.1375

NASCIMENTO, C. G. do. Educação do campo e escola família agrícola de Goiás: o caminhar da teimosia de um movimento social educativo. Diálogo Educacional, São Paulo, v. 4, n. 8, p. 79-95. 2003. Disponível em:< https://periodicos.pucpr.br/index.php/dialogoeducacional/article/view/6626/6524>. Acesso em 24 fev. 2021. DOI: https://doi.org/10.7213/rde.v4i8.6626

NASCIMENTO, C. G. do. Educação do campo na encruzilhada entre emancipação versus reino do capital: uma leitura filosófica. Revista Nera, Presidente Prudente, vol.14, n. 18, p.106- 124. 2011. Disponível em:< https://revista.fct.unesp.br/index.php/nera/article/view/1346/1334>. Acesso em 25 fev. 2021. DOI: https://doi.org/10.47946/rnera.v0i18.1346

NASCIMENTO SOBRINHO; S.T.; SOUZA, R. da P.; SCALABRIN, R. Trabalho e educação profissional. Reflexões em torno do curso de agropecuária do Instituto Federal do Pará. Campus Marabá Rural. Trabalho & Educação. Belo Horizonte, vol 28, n. 2, p. 159-175. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/trabedu/article/view/9762>. Acesso em 24 fev. 2021. DOI: https://doi.org/10.35699/2238-037X.2019.9762

PAULI, M. M.; SIMÕES, B. dos S. Desafios e conquistas da educação do campo na legislação brasileira. Um olhar para o sudoeste do Paraná. Ciência e Natura, Santa Maria. vol.38, n. 3, p.1312-1318. 2016. Disponível em:< https://periodicos.ufsm.br/cienciaenatura/article/view/22356/pdf>. Acesso em 24 fev. 2021. DOI: https://doi.org/10.5902/2179460X22356

PETTY, M.; TOMBIN, A.; VERA, R. Uma alternativa de educação rural. In: WERTHEIN, J.; BORDENAVE, J. D. (Org.). A educação rural no terceiro mundo. Experiências e novas alternativas. Tradução de Paulo Roberto Kramer e Lúcia Teresa Lessa Carregal. Rio de Janeiro: Paz e terra, 1981. p. 31-64 (coleção educação e comunicação).

RIBEIRO, M. Educação rural. In: In: CALDART, R. S.; PEREIRA, I. B.; ALENTEJANO, P. et al (Org.) Dicionário da educação do campo. São Paulo e Rio de Janeiro: Expressão Popular e Escola Politécnica de Saúde Joaquim Nabuco. p. 293-298. 2012.

SANTOS, F. R dos; BEZERRA NETO, L. Práxis educativa para as populações campesinas brasileiras: do ruralismo pedagógico ao materialismo histórico-dialético. Acta Scientiarum. Education, Paraná, vol.39, n. 4, p.453-467. 2017. Disponível em:< http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/ActaSciEduc/article/view/31676/20595>. Acesso em 24 fev. 2012. DOI: https://doi.org/10.4025/actascieduc.v39i4.31676

VALADÃO, A. D.; BACKES, J. L. A pedagogia da alternância em Rondônia: um movimento educacional que valoriza o sujeito do campo. Reflexão & Ação. Santa Cruz do Sul. v. 26, n. 3, p. 136-150, set./dez. 2018. Disponível em:< https://online.unisc.br/seer/index.php/reflex/article/view/11144/pdf>. Acesso em 25 de fev. 2021. DOI: https://doi.org/10.17058/rea.v26i3.11144

VILLELA, F. F. Práticas educativas comparadas em educação do campo e os desafios da formação omnilateral na América Latina. Revista Nera, Presidente Prudente, n. 19 p. 90-103 Jul-dez./2011. Disponível em: https://revista.fct.unesp.br/index.php/nera/article/view/1802/1729>. Acesso em 25 fev. 2021. DOI: https://doi.org/10.47946/rnera.v0i19.1802

ZANLORENZI, M. A.; OLIVEIRA, A. M. Educação Matemática em territórios contestados: um currículo diferenciado para as ilhas do litoral do Paraná. Educ. Mat. Pesq., São Paulo, vol.19, n. 3, 2017. Disponível em:< https://revistas.pucsp.br/index.php/emp/article/view/33087/pdf>. Acesso em 24 fev. 2021. DOI: https://doi.org/10.23925/1983-3156.2017v19i3p209-229

Downloads

Publicado

13-07-2022

Como Citar

CONTE, I. I. Educação do campo e a relação com os movimentos sociais: uma pesquisa sistemática. Roteiro, [S. l.], v. 47, p. e28069, 2022. DOI: 10.18593/r.v47.28069. Disponível em: https://periodicos.unoesc.edu.br/roteiro/article/view/28069. Acesso em: 28 set. 2022.

Edição

Seção

Seção temática: Educação do Campo: análises e resistências em movimento

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)