A redução do papel do professor-mestre à condição ilusória de empreendedor

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18593/r.v47.28387

Palavras-chave:

Neoliberalismo educacional, Docência na Educação Básica, Formação docente, Pensamento reflexivo

Resumo

No estudo em tela, problematiza-se a redução do papel do professor a condição de colaborador no meio educacional. Tal redução representa a destituição desse profissional de uma posição de mestre/educador engajado na formação humana para a de um empreendedor que submete sua autonomia e intelectualidade às demandas da escola que adota a dinâmica empresarial. Por meio do método analítico-hermenêutico, desenvolve-se a hipótese de que tal alteração de substantivos oculta a articulação com a racionalidade neoliberal, objetificando o mestre/educador e concebendo sua função como subordinada aos anseios do setor mercantil quanto à formação oferecida na educação básica. A partir disso, retoma-se ideário de John Dewey (1979a; 1979b) acerca do papel do professor no processo educativo, na busca pela formação de sujeitos ativos e reflexivos, capazes de compreender e agir na sociedade em que se situam, apontando-se perspectivas para o enfrentamento do viés que tenta torná-lo um mero reprodutor das expectativas capitalistas na educação. Organizado em três seções que seguem a sistemática indicada, o artigo se constitui como de natureza básica, qualitativo quanto à abordagem, exploratório em relação aos seus objetivos e bibliográfico no que se refere aos procedimentos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Altair Alberto Fávero, Universidade de Passo Fundo

Altair Alberto Fávero

Possui Pós-Doutorado (Bolsista Capes) pela Universidad Autónoma del Estado de México (UAEMéx), Doutorado em Educação (UFRGS), Mestre em Filosofia do Conhecimento (PUC/RS), Especialista em Epistemologia das Ciências Sociais (UPF) e Graduado em Filosofia (UPF). Atua como professor titular III e pesquisador no Curso de Filosofia, no Mestrado e Doutorado em Educação da UPF, onde coordena os projetos de Pesquisa Docência Universitária e políticas educacionais (em andamento desde março de 2012) e Políticas Curriculares para o Ensino Médio (em andamento desde outubro de 2020). Além de diversas publicações em periódicos qualificados pela Mercado de Letras é autor do livro Educar o educador: reflexões sobre formação docente (em coautoria com Carina Tonieto, lançado em 2010) e é organizador das Coletâneas Leituras sobre John Dewey e a educação (em co-organização com Carina Tonieto lançado em 2011), Leituras sobre Hannah Arendt: educação, filosofia e política (em co-organização com Edison Alencar Casagranda, lançado em 2012), Leituras sobre Richard Rorty e a educação (em co-organização com Carina Tonieto, lançado em 2013) e Docência Universitária: pressupostos teóricos e perspectivas didáticas (em co-organização com Carina Tonieto e Leandro Carlos Ody, lançado em 2015). Pela Editora CRV publicou Espaço Europeu de Educação Superior (EEES) para além da Europa (em co-organização com Maria de Lurdes Pinto de Almeida e Afrânio Mendes Catani, publicado em 2015) e Políticas de Educação Superior e Docência Universitária: diálogos Sul-Sul (em co-organização com Gionara Tauchen, lançado em 2016); Epistemologias da Docência Universitária (em co-organização com Altair Alberto Fávero, publicao em 2016); Interdisciplinaridade e formação docente (em co-organização com Carina Tonieto e Evandro Consaltér, publicado em 2018); Leituras sobre Zygmunt Bauman e a educação (em co-organização com Carina Tonieto e Evandro Consaltér, publicado em 2019); Leituras sobre Educação e Neoliberalismo (em co-organização com Carina Tonieto e Evandro Consaltér, publicado em 2020). Coordenador do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Superior - GEPES/UPF, vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade de Passo Fundo - RS/Brasil e ao Grupo Internacional de Estudos e Pesquisas sobre Educação Superior -  GIEPES, ligado à Unicamp. Membro do Grupo Interinstitucional EMpesquisa e pesquisador do projeto "A reforma Ensino Médio com a Lei 13415/2017: percursos da implementação nas redes estaduais e da rede federal de Ensino Médio". E-mail: altairfavero@gmail.com

 

Ana Lucia Vieira, Universidade de Passo Fundo

 Mestranda em Educação pela Universidade de Passo Fundo (UPF). Graduada em Pedagogia (UPF). Professora da Rede Municipal de Passo Fundo. E-mail: analucia.vieira32@gmail.com  

Renata Cecília Estormovski, Universidade de Passo Fundo

Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade de Passo Fundo com bolsa da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) na linha de Políticas Educacionais. Possui especialização em Gestão Educacional pela Universidade Federal de Santa Maria e é graduada em Letras pela Faplan e em Pedagogia pela Universidade Federal de Santa Maria. Professora da rede estadual de ensino do Rio Grande do Sul. Faz parte do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre gestão e indicadores de qualidade na educação básica (GE-Quali) e do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Superior (GEPES). E-mail: renataestormovski@gmail.com

Referências

ANTUNES, R. O privilégio da servidão: o novo proletariado de serviços na era digital. São Paulo: Boitempo, 2018.

BALL, S. J. Educação Global S. A.: Novas redes políticas e o imaginário neoliberal. Ponta Grossa: UEPG, 2014.

BRASIL. Plano Diretor da Reforma do Aparelho do Estado. Brasília: Presidência da República, Câmara da Reforma do Estado, 1995. Ministério da Administração Federal e Reforma do Estado. Disponível em: http://www.bresserpereira.org.br/documents/mare/planodiretor/planodiretor.pdf. Acesso em: 9 jan. 2021.

DARDOT, P.; LAVAL, C. A nova razão do mundo: ensaio sobre a sociedade neoliberal. Tradução Mariana Echalar. São Paulo: Boitempo, 2016.

DEWEY, J. A escola e a sociedade, a criança e o currículo. Tradução: Paulo Faria, Maria João Alvarez e Isabel Sá. Lisboa: Relógio D’água, 2002.

DEWEY, J. Como pensamos. Tradução: Haydée Camargo Campos. São Paulo: Nacional, 1979a.

DEWEY, J. Democracia e educação. Tradução: Godofredo Rangel e Anísio Teixeira. São Paulo: Nacional, 1979b.

DEWEY, J. Experiência e educação. 2 ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1976.

FÁVERO, A. A.; CONSALTÉR, E.; PIRES, D. de O. Escola conveniada ou charter school? Uma abordagem sobre termo de colaboração entre prefeitura e o terceiro setor para oferta da educação básica em Porto Alegre. Revista Espaço Pedagógico, Passo Fundo, v. 27, n.1, jan./abr. 2020. Disponível em: http://seer.upf.br/index.php/rep/article/view/10577. Acesso em: 21 abr. 2021.

FÁVERO, A. A.; TONIETO, C.; CONSALTÉR, E. O neoliberalismo pedagógico como produto do sujeito empresarial: ameaças à democracia educacional. Currículo sem Fronteiras, Porto Alegre, v. 20, n. 1, jan./abr. 2020. Disponível em: https://www.curriculosemfronteiras.org/vol20iss1articles/favero-tonieto-consalter.pdf. Acesso em: 21 abr. 2021.

FÁVERO, A. A.; TONIETO, C. A educação democrática na escola deweyana: para discutir a relação entre educação escolar e democracia. Filosofia e Educação, Campinas, SP, v. 7, n. 2, p. 75–93, 2015. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rfe/article/view/8637549. Acesso em: 31 jul. 2021.

FÁVERO, A. A.; TONIETO, C. (org.). Leituras sobre John Dewey e a educação. Campinas: Mercado de Letras, 2011.

FÁVERO, A. A.; TONIETO, C.; ROMAN, M. F. Formação de professores reflexivos: a docência como objeto de investigação. Educação (UFSM), Santa Maria, v. 38, n. 2, maio-ago. 2013. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/1171/117127493003.pdf. Acesso em: 21 jul. 2021.

FÁVERO, A. A.; TREVISOL, M. G. Quando a educação se torna um negócio: ideologia neoliberal na educação e a cristalização do novo senso comum pedagógico. Educação Unisinos, São Leopoldo, v. 24, p. 1-19, 2020. Disponível em: http://revistas.unisinos.br/index.php/educacao/article/view/edu.2020.241.18/60747814. Acesso em: 21 jul. 2021.

FONTANA, M. J.; FÁVERO, A. A. Professor reflexivo: uma integração entre teoria e prática. REI – Revista de Educação do IDEAU, Getúlio Vargas, v. 8, n. 17, jan./jun., 2013. Disponível em: https://www.caxias.ideau.com.br/wp-content/files_mf/de946928fc01518999bb019ba65f89a830_1.pdf. Acesso em: 21 jul. 2021.

LAVAL, C. A Escola não é uma empresa: o neoliberalismo em ataque ao ensino público. São Paulo: Boitempo, 2019.

MÉSZÁROS, I. A crise estrutural do capital. 2 ed. São Paulo: Boitempo, 2011.

PAULA, C. C. et al. Movimento analítico-hermenêutico heideggeriano: possibilidade metodológica para a pesquisa em enfermagem. Acta Paulista de Enfermagem, São Paulo, n. 6, v. 25, 2012. p. 984-989. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ape/a/mZVcpt6B7CBxvRZd4NdNWBQ/?form. Acesso em: 1 mar. 2022.

PERONI, V. (org.). Diálogos sobre as redefinições das fronteiras entre o público e o privado: implicações para a democratização da educação. São Leopoldo: Oikos, 2015.

Downloads

Publicado

30-08-2022

Como Citar

FÁVERO, A. A.; VIEIRA, A. L.; ESTORMOVSKI, R. C. A redução do papel do professor-mestre à condição ilusória de empreendedor . Roteiro, [S. l.], v. 47, p. e28387, 2022. DOI: 10.18593/r.v47.28387. Disponível em: https://periodicos.unoesc.edu.br/roteiro/article/view/28387. Acesso em: 3 out. 2022.

Edição

Seção

Artigos de demanda contínua