História da educação no século XVIII: Educação e Fisiocracia

Autores

  • Laurice de Fátima Gobbi Ricardo
  • Terezinha Oliveira

Resumo

A proposta, nesta comunicação, é analisar algumas obras de François Quesnay à luz da economia do século XVIII e do contexto sociopolítico traçado pelo Estado da França. Serão verificadas quais foram as medidas ou práticas econômicas e políticas públicas que ele propôs em suas obras, na expectativa de que elas afetassem a educação. Destaca-se, assim, o papel que ele atribuiu à educação para a formação do pensamento, para a divisão da força de trabalho e para a transformação social no período. Com base em autores contemporâneos que se dedicaram a levantar e analisar fatos ocorridos no século XVIII se intentará situá-lo em seu tempo, contextualizar sua participação no processo educativo do homem na sociedade francesa e averiguar se as medidas políticas, econômicas, públicas e educacionais que ele propôs estavam em consonância com esse processo. Em termos mais amplos, procura-se identificar no espaço da história o papel que o homem comum desempenhou ao estabelecimento da política econômica e do processo educativo na França, na época da fisiocracia, uma vez que ele era o responsável pela produção da riqueza nacional.

Palavras-chave: Educação. Fisiocracia. François Quesnay.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Como Citar

RICARDO, L. de F. G.; OLIVEIRA, T. História da educação no século XVIII: Educação e Fisiocracia. Roteiro, [S. l.], v. 34, n. 1, p. 63–78, 2010. Disponível em: https://periodicos.unoesc.edu.br/roteiro/article/view/296. Acesso em: 31 jan. 2023.

Edição

Seção

Artigos