Prática educativa em salas multisseriadas do campo a partir dos temas geradores de Paulo Freire

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18593/r.v47.29363

Palavras-chave:

salas multisseriadas, educação do campo, ensino-aprendizagem, temas geradores

Resumo

. Este artigo é fruto de uma pesquisa de mestrado desenvolvida durante os anos de 2018-2020 e que buscou investigar o processo de ensino-aprendizagem em sala multisseriada de uma escola do campo no município de Linhares/ES na busca por uma atuação pedagógica humanizadora a partir dos temas geradores na perspectiva de Paulo Freire. Justifica-se pela relevância que representa para a educação do nosso país, no sentido de deixar explícito, para a sociedade, a importância da valorização da Educação do Campo e das salas multisseriadas, porque nos deparamos com um cenário em que muitas escolas multisseriadas vêm sendo fechadas, o que representa um retrocesso perante toda luta e resistência defendidas pelos movimentos sociais, que buscam garantir uma Educação Básica do campo com foco na realidade dos (as) camponeses (as). O referencial teórico-metodológico utilizado fundamenta-se nos conceitos de Salomão Hage (2014), que aborda conhecimentos relevantes sobre as salas multisseriadas e suas características, Roseli Caldart (2004), refletindo sobre a luta histórica por uma Educação do Campo e a partir das ideias de Paulo Freire (2019, 2018), que discute sobre o processo de ensino-aprendizagem em uma perspectiva crítica libertadora

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Débora Monteiro do Amaral , Universidade Federal do Espírito Santo

Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Federal de São Carlos (2007). É Mestre em Educação pelo Programa de Pós Graduação em Educação pela UFSCar (2010), na linha de pesquisa "Práticas Sociais e Processos Educativos". Doutora em Educação (2014) na mesma Linha de pesquisa. Faz pesquisa na área de Educação Popular com foco na Educação do Campo e Movimentos Sociais do campo. Atualmente é docente na Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) atuando no curso de Licenciatura em Educação do Campo. Coordena Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação do Campo do Espírito Santo (GEPECES) e é Membro do Grupo de Estudos e Pesquisas Paulo Freire (GEPPF - UFES). Atua como docente do Mestrado Profissional em Educação da UFES. Membro no Comitê Estadual de Educação do Campo do Espírito Santo (COMECES). Membro da Comissão de Verificação de Autodeclaração à demanda social de cotas raciais na Universidade Federal do Espírito Santo.

Irani da Silva de Jesus, UFES

Mestra em Educação pela Universidade Federal do Espírito Santo (2018), Especialista em Educação, Pobreza e Desigualdade Social pela Universidade Federal do Espirito Santos(2017), possui graduação em Pedagogia pela Universidade do Estado da Bahia (2014).Atualmente atua como pedagoga em uma Escola Municipal de Linhares. É membro do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação do Campo do Espírito Santo (GEPECES). Tem experiência em processo de Alfabetização e Letramento,classes multisseriadas, oratória e Didática para formação de professores, Educação Infantil e seus processos Educativos.

Referências

AMARAL, D. M. do.; GIOVEDI, V. M.; PEREIRA, N. da S. Formação de educadores(as) na perspectiva da educação popular freireana em uma escola do campo. Revista e-curriculum, São Paulo: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, [Programa de Pós-graduação em Educação: Currículo], v.15, n.4, p.1100-1126 out./dez.2017– PUC/SP. DOI: https://doi.org/10.23925/1809-3876.2017v15i4p1100-1126

BRASIL ESCOLA. As diferenças entre aulas expositivas e aulas dialogada. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/. Acesso em: set. 2020.

BRASIL. Instituto Nacional De Estudos E Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo da Educação Básica: Sinopse Estatística – 2018. Disponível em: http://www.inep.gov.br/superior/censosuperior/sinopse/default.asp. Acesso em: set. 2020.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal: Centro Gráfico, 1988.

CALDART, R. S. Pedagogia do Movimento Sem Terra. ed. Expressão Popular, edição. 2004.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. 67º ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2019.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 57°ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2018.

GIOVEDI, V. M. A concepção de ensino aprendizagem, de Paulo Freire: Fundamentos Teóricos-Filosóficos. Curitiba. Publishing, 2019. DOI: https://doi.org/10.31012/978-65-5016-052-4

GIOVEDI, V. M. SILVA, I. M. da. AMARAL, D. M. do. A Didática Que Emerge Da Pedagogia Do Oprimido. Revista e-Curriculum, São Paulo, v.16, n.4, p. 1110-1141 out./dez.2018 e-ISSN: 1809-3876 Programa de Pós-graduação Educação: Currículo – PUC/SP. Disponível em: http://revistas.pucsp.br/index.php/curriculum. Acesso em: 20 set. 2022 DOI: https://doi.org/10.23925/1809-3876.2018v16i4p1110-1141

HAGE, S. A. M. Transgressão do paradigma da (multi)seriação como referência para a construção da escola pública do campo. Educ. Soc. Campinas, v. 35, n°. 12, p. 1165 -1182, out. Dez., 2014. DOI: https://doi.org/10.1590/ES0101-73302014144531

HAGE, S. A. M. (org.). Educação do campo na Amazônia paraense: retratos de realidades de escolas Multisseriadas no Pará. Belém: Gráfica e Editora Gutemberg Ltda, 2005.

WATTERSON, W.B. Charge sobre as diferenças entre aulas expositivas e aulas dialogada. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/. Acesso em: set. 2020.

Downloads

Publicado

08-08-2022

Como Citar

AMARAL , D. M. do; JESUS, I. da S. de. Prática educativa em salas multisseriadas do campo a partir dos temas geradores de Paulo Freire. Roteiro, [S. l.], v. 47, p. e29363, 2022. DOI: 10.18593/r.v47.29363. Disponível em: https://periodicos.unoesc.edu.br/roteiro/article/view/29363. Acesso em: 28 set. 2022.

Edição

Seção

Seção temática: Educação do Campo: análises e resistências em movimento