Do tradicional ao contemporâneo: representações sociais do professor construídas por alunos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18593/r.v43i3.16423

Palavras-chave:

Representação social, Aluno, Professor, Profissional desejado, Desafios da profissão

Resumo

Esta pesquisa teve por objetivo caracterizar as representações sociais construídas pelos alunos do ensino fundamental acerca do professor. Participaram do estudo 75 alunos do ensino fundamental da rede pública municipal de ensino de Mossoró, RN, de ambos os sexos e faixa etária entre 9 e 15 anos. Utilizou-se como suporte teórico a teoria das representações sociais de Serge Moscovici. Na coleta utilizou-se a técnica desenho-estória com tema. Inicialmente, fez-se uma análise detalhada dos desenhos e temas. Em seguida, as produções escritas foram analisadas por meio da análise de conteúdo. Os resultados indicam que a imagem do professor foi associada a três diferentes categorias: um professor tradicional ancorado em posturas firmes, como detentor de saber, que exige uma turma obediente e silenciosa; uma segunda que representa o professor como um profissional atualizado, desejado, que utiliza diferentes estratégias de aprendizagens que ultrapassam o espaço da sala de aula; e a terceira expressa os desafios enfrentados pelos docentes, mostrando um professor que luta por melhores condições de trabalho. Essas associações são resultados tanto das vivências dos alunos quanto das informações e representações veiculadas no seu grupo de pertença.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Silvia Fernandes do Vale, Universidade de Fortaleza - UNIFOR

Doutora em Psicologia pela Universidade de Fortaleza - UNIFOR (2017). Mestre em Psicologia pela Universidade de Fortaleza - UNIFOR (2013). Possui pós-graduação em Letras pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte e Mídias na Educação pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte. Com experiência profissional em coordenação pedagógica, docência do ensino infantil, fundamental e superior. Pesquisadora do Laboratório de Estudos sobre Trabalho - LET, do programa de Pós-graduação em Psicologia da Universidade de Fortaleza.

Referências

AIELLO-VAISBERG, T. M. J. Investigação de representações sociais. In: TRINCA, W. (Org.). Formas compreensivas de investigação psicológica: procedimentos de desenhos-estórias – procedimento de desenhos de famílias com estórias. 1. ed. São Paulo: Vetor, 2013. p. 225-228.

ALVES-MAZZOTTI, A. J. Representações sociais: aspectos teóricos e aplicações à Educação. Em Aberto, v. 13, n. 61, p. 60-78, 2008.

BALAGTAS, M. U. et al. 21st Century teacher image to stakeholders of teacher education institutions in the Philippines. E-International Scientific Research Journal, v. 6, p. 1-21, 2016.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. 1. ed. Lisboa: Edições 70, 2011.

BASTOS, M. L. A influência da mídia na desconstituição da identidade do professor: uma análise de pressupostos e subentendidos. Revista Historiador, n. 5, p. 163-174, 2012.

CAMARGO, B. V.; JUSTO, A. M.; ALVES, C. D. B. As funções sociais e as representações sociais em relação ao corpo: uma comparação geracional. Temas em Psicologia, v. 19, n. 1, p. 269-281, 2011.

CÁRDENAS, J. P; HERNÁNDEZ, D. La representación social del maestro y la opinión pública. 2014. Disponível em: <http://clepso.flacso.edu.mx/sites/default/files/clepso.2014_eje7_paez_y_hernandez.pdf>. Acesso em: 02 jan. 2017.

COPE, B.; KALANTZIS, M. Towards a New Learning: The Scholar social knowledge workspace, in theory and practice. E-learning and Digital Media, v. 10, i. 4, p. 332-356, 2013.

COUTINHO, M. P. L. Depressão infantil e representação social. Psicologia da Saúde, v. 14, n. 2, p. 160-170, 2005.

DAMETTO, J.; ESQUINSANI, R. S. S. Mãe, mulher... professora! Questões de gênero e trabalho docente na agenda educacional contemporânea. Acta Scientiarum. Human and Social Sciences, v. 37, n. 2, p. 149, 2015.

DE BARROS, E. A. B. R. Representações, valores e crenças em discursos de professores da educação básica e implicações na (form)ação docente. Scripta, v. 19, n. 36, p. 201-228, 2016.

DIEB, M.; ARAÚJO, J.; VASCONCELOS, J. L. A representação social de professor em fanpages do Facebook. Revista Linguagem & Ensino, v. 17, n. 3, p. 705-726, 2014.

ESTEVE, J. M. La formación de profesores en Europa. Hacia un nuevo modelo de formación. In: Actas del II Congreso anual sobre fracaso escolar. Goven de les llles Balears: Palma de Mallorca, 2008. p. 1-36.

GARCIA, C. M. O professor iniciante, a prática pedagógica e o sentido da experiência. Formação Docente, v. 3, n. 3, p. 11-49, 2010.

GOIGOUX, R. Étude de l’influence des pratiques d’enseignement de la lecture et de l’écriture sur la qualité des premiers appresentissages. Universidade de Lyon: IFÉ, 2016. Disponível em:

<http://ife.ens-lyon.fr/ife/recherche/lire-ecrire/rapport/synthese-du-rapport-lire-et-ecrire>. Acesso em: 05 jan. 2017.

GONÇALVES, J. P.; OLIVEIRA, L. A. de. Representações sociais relacionadas aos professores homens do ensino fundamental e as inevitáveis associações às professoras. Acta Scientiarum, v. 38, n. 4, p. 383-393, 2016.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA. Ministério da Educação. Censo Escolar da Educação Básica 2016: notas estatísticas. Brasília, DF: INEP/MEC, 2017.

JODELET, D. Representações sociais: um domínio em expansão. In: JODELET, D. (Org.). As representações sociais. Rio de Janeiro: Ed. UERJ, 2001. p. 17-44.

LOPES, E. S. L.; PARK, M. B. Representação social de crianças acerca do velho e do envelhecimento. Estudos de Psicologia, Natal, v. 12, n. 2, p. 141-148, 2007.

MATIAS, K. Representations sociales et implication des étudiants de L’UFR SHS (Sciences de l’Homme et de la Societe) de L’Universite Felix Houphouët Boigny Face au systeme LDM. Canadian Social Science, v. 12, n. 9, p. 70-78, 2016.

MIDDLETON, K. E.; PITITT, E. A. Simply the Best: 29 Thins Students Say the Best Teacher Do Around Relationships [Kindle Edition]. 2010. Disponível em: <https://books.google.com.br/books?id=U6_JfOas9K8C&pg=PA3&lpg=PA3&dq=Simply+the+Best:+29+Things+Students+Say+the+Best+Teachers+Do+Around+Relationships%5B&source=bl&ots=mNuGkagxTJ&sig=czM0GDNCGWiopnv06Xz_qqBW6Mk&hl=pt-BR&sa=X&ved=0ahUKEwj1__3e3cjUAhURPJAKHY-FAaUQ6AEIODAD#v=onepage&q=Simply%20the%20Best%3A%2029%20Things%20Students%20Say%20the%20Best%20Teachers%20Do%20Around%20Relationships%5B&f=false>. Acesso em: 23 abr. 2017.

MOSCOVICI, S. Representações sociais: investigações em psicologia social. 10. ed. Petrópolis: Vozes, 2013.

OLIVEIRA, L. de et al. A profissão sob o olhar dos alunos do ensino médio. Revista da SBENBIO, v. 9, p. 5007-5018, 2016.

OSTI, A.; BRENELLI, R. P. Sentimentos de quem fracassa na escola: análise das representações de alunos com dificuldades de aprendizagem. Psico-USF, v. 18, n. 3, p. 417-426, 2013.

PARDAL, L. et al. Teaching: what is constant and what is not consolidated in the social representation. Procedia-Social and Behavioral Sciences, v. 159, p. 25-31, 2014.

PESCAROLO, J. K.; BODÊ DE MORAES, P. R. O declínio da autoridade docente na escola contemporânea. Revista Diálogo Educacional, v. 16, n. 47, p. 147-168, 2016.

PROFICE, C. et al. Janelas para a percepção infantil de ambientes naturais. Psicologia em Estudo, v. 18, n. 3, p. 529-539, 2013.

ROCHA, L. F. Teoria das representações sociais: a ruptura de paradigmas das correntes clássicas das teorias psicológicas. Psicologia: Ciência e Profissão, v. 34, n. 1, p. 46-65, 2014.

SCHWARTZ, S.; BITTENCOURT, Z. A. B. Quem é o bom professor universitário? Estudantes e professores de cursos de licenciatura em pedagogia dizem quais são as (ideais) qualidades deste profissional. In: SEMINÁRIO DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO DA REGIÃO SUL, 9., Caxias do Sul, 2012. Anais... Caxias do Sul: Anped, 2012. p. 1-14. Disponível em: <http://www.ucs.br/etc/conferencias/index.php/anpedsul/9anpedsul/paper/viewFile/1423/976>. Acesso em: 12 fev. 2017.

SEIDMAN, S. et al. Construção identitária e prática docente. Reflexões a partir da teoria das representações sociais. In: PLACCO, V. M. N. de S.; VILLAS BÔAS, L. P. S.; SOUSA, C. P. de (Org.). Representações sociais: diálogos com a educação. 1. ed. Curitiba: Champagnat, 2012. p. 43-56.

SILVA, N. M. A.; OSCHSLER, K. M. O bom professor na revista Nova Escola: do herói ao profissional ativo. Atos de Pesquisa em Educação, v. 7, n. 4, p. 1202-1223, 2013.

SILVA, R.; SOFIA, C. A Relação Dinâmica Transferencial entre professor-aluno no ensino. Ciências & Cognição, v. 8, p. 164-170, 2006.

TÉNÉDOR, M. L’autorité de l’enseignant: des représentations á la réalité des pratiques. Éducation. 2012. Dissertação (Master Métiers de l’Education, de l’Enseignement)–Université D’Orléans, IUFM Centre Val de Loire, 2012. Disponível em: <https://dumas.ccsd.cnrs.fr/dumas-00760927/document>. Acesso em: 22 fev. 2017.

TRINCA, W. Investigação clínica da personalidade: o desenho livre como estímulo de apercepção temática. Belo Horizonte: Interlivres, 1976.

UMAÑA, S. A. Las representaciones sociales: ejes teóricos para su discusión. Cuardeno de Ciencias Sociales, v. 127, p. 9-79, 2002.

WINNICOTT, D. W. O brincar e a realidade. Rio de Janeiro: Imago Editoram, 1991. Disponível em: <https://www.passeidireto.com/arquivo/5378049/winnicott-dw-o-brincar-e-a-realidade>. Acesso em: 04 jan. 2017.

Downloads

Publicado

19-12-2018

Como Citar

VALE, S. F. do; MACIEL, R. H.; RODRIGUES, S. W. D. M. Do tradicional ao contemporâneo: representações sociais do professor construídas por alunos. Roteiro, [S. l.], v. 43, n. 3, p. 861–890, 2018. DOI: 10.18593/r.v43i3.16423. Disponível em: https://periodicos.unoesc.edu.br/roteiro/article/view/16423. Acesso em: 1 mar. 2024.

Edição

Seção

Artigos de demanda contínua