A escola como instituição socialmente construída

Autores

  • Fábio Cesar Gelati

Resumo

Neste artigo objetiva-se participar do diálogo a respeito da natureza da escola, não somente como produtora e reprodutora do conhecimento, mas como espaço de transformação e humanização do homem; discutir o papel e a função da escola na convivência em sociedade; investigar o caráter institucionalizador da escola, onde e como responde às necessidades sociais e de sobrevivência, bem como seu aspecto institucionalizado, os reflexos da produção humana, da cultura socialmente construída, no modo como se faz educação. A partir das reflexões, repensar a escola, a educação; visualizar caminhos pedagógicos para que o espaço escolar contribua, efetivamente, na humanização do homem, para uma habitação e utilização dos recursos da biosfera de forma responsável, sustentável; para que a sociedade, em sua totalidade, compreenda a vida planetária de forma solidária, ética e reencontre a identidade humana planetária; regenere os paradigmas epistemológicos, a fim de que supere a barbárie, a fome, a desigualdade social, o preconceito, a ausência de amor, o ódio.

Palavras-chave: Escola. Conhecimento institucionalizado. Socialização do indivíduo (conduta humana). Ambiente natural e humano. Identidade humana planetária.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Como Citar

GELATI, F. C. A escola como instituição socialmente construída. Roteiro, [S. l.], v. 34, n. 1, p. 79–92, 2010. Disponível em: https://periodicos.unoesc.edu.br/roteiro/article/view/297. Acesso em: 31 jan. 2023.

Edição

Seção

Artigos