Justiça como reconhecimento do outro: dimensões éticas e pedagógicas das políticas de ação afirmativa

Autores

  • Alex Sander da Silva UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL DE SANTA CATARINA

Resumo

Este breve ensaio tem por objetivo analisar as dimensões éticas das políticas de ação afirmativa (para a população negra) que tenham referência à justiça como reconhecimento do outro, seu valor central. Pretende-se, aqui, apresentar de forma limitada alguns apontamentos e questionamentos que dizem respeito à tematização das políticas de ação afirmativa na problemática da desigualdade racial no Brasil. Trata-se de um esboço inicial, já que à medida que a temática da questão racial avança, consolida-se a necessidade do debate sobre o reconhecimento ético do combate ao racismo e de todas as formas de desigualdades raciais. Em linhas gerais, a ação afirmativa deve ser entendida como todo e qualquer esforço de promoção da igualdade dos grupos que sofrem ou são vulneráveis à discriminação. No entanto, não tratamos o tema da igualdade racial como significado de justiça de forma automática, trata-se aqui da necessidade do reconhecimento do outro como uma dimensão ética fundamental. Nesse sentido, tomamos como referência o pensamento da alteridade de Emmanuel Levinas, no qual nos deparamos com a centralidade do sentido ético e da própria interpelação da alteridade na busca da justiça.

Palavras-chave: Justiça. Reconhecimento. Levinas. Ação afirmativa.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

14-12-2011

Como Citar

DA SILVA, A. S. Justiça como reconhecimento do outro: dimensões éticas e pedagógicas das políticas de ação afirmativa. Roteiro, [S. l.], v. 36, n. 2, p. 363–374, 2011. Disponível em: https://periodicos.unoesc.edu.br/roteiro/article/view/610. Acesso em: 27 jan. 2023.

Edição

Seção

Artigos de demanda contínua