A INTENÇÃO DE EMPREENDER DE ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS

Autores

  • Sandra Sandra Mara Ramos Batista Arcego Universidade do Oeste de Santa Catarina UNOESC
  • Graciele Tonial Professora da Universidade do Oeste de Santa Catarina - UNOESC

Resumo

O campo de pesquisa em relação ao empreendedorismo e a intenção de empreender (IE) se apresenta como oportuno e relevante, uma vez que o ambiente universitário tem se estabelecido como, um dos principais atores para formar novos indivíduos empreendedores e expandir a cultura empreendedora, Schaefer e Minello (2017). Ainda de acordo com Marcon, Silveira e Frizon (2020), pesquisas que busquem analisar os fatores intrínsecos da IE na carreira de estudantes universitários são ainda necessárias para ampliar o entendimento sobre o tema. Neste mesmo sentido, Lima et al., (2015), sugerem ampliar as análises da relação com a educação empreendedora, bem como ampliar os estudos sobre IE, visto que esta é um fator inquestionável para jovens empreendedores. Martins, Santos e Silveira (2018), explicam que as análises sobre quais gatilhos desenvolvem empreendedores, dentre eles os fatores ligados às características dos empreendedores, suas necessidades e hábitos, incluindo fatores como valores, crenças e competências pessoais. Assim compreender a intenção de empreender de jovens em âmbitos de uma universidade e suas intenções de careira são de suma importância.  Objetivo: Diante ao exposto, o objetivo deste estudo é analisar a Intenção de empreender de estudantes do curso de Ciências Contábeis. Método: A pesquisa é caracterizada como de abordagem quantitativa, e adotou o método de levantamento do tipo survey. O instrumento para a coleta dos dados é um questionário com perguntas fechadas. A população e amostra desta pesquisa é caracterizada por alunos dos cursos de ciências contábeis de uma universidade de Santa Catarina. Resultados: Os resultados do modelo estatístico proposto para esta pesquisa demonstram que os alunos em sua maioria ou seja 60% dos respondentes tem intenção de iniciar um negócio. Porém a educação empreendedora (EE) não apresentou força significativa na intenção de empreender. Conclusão:  Com base nos achados desta pesquisa, foi possível concluir que os fatores da auto eficácia empreendedora apresentaram significãncia quando analisada como variável que afeta os programas de aprendizagem sobre educação empreendedora. Este estudo contribuiu teoricamente para o avanço das pesquisas que buscam relacionar ambas as temáticas IE e EE. As implicações práticas servem para nortear as universidades  no ambiito de ampliar o papel sobre programas de EE, como também discutir novas metodologias de ensino, promovendo o empreendedorismo, com o intuit de potencializar a IE nos estudantes universiários.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Graciele Tonial, Professora da Universidade do Oeste de Santa Catarina - UNOESC

Mestre pela Universidade do Vale do Itajai - UNIVALI

Doutoranda pela Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC

Downloads

Publicado

10-11-2022

Como Citar

Arcego, S. S. M. R. B., & Tonial, G. (2022). A INTENÇÃO DE EMPREENDER DE ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Seminário De Iniciação Científica E Seminário Integrado De Ensino, Pesquisa E Extensão, e31917. Recuperado de https://periodicos.unoesc.edu.br/siepe/article/view/31917

Edição

Seção

Xanxerê - Pesquisa