A PRÁTICA DA EQUOTERAPIA COM AUTISTAS

Autores

  • Pamela Gemo Universidade do Oeste de Santa Catarina (UNOESC)
  • Fabiana Piccoli D'Agostini UNOESC

Resumo

Este trabalho trata-se de um relatório de estágio curricular supervisionado apresentado no curso de Psicologia, tem por objetivo relatar as atividades desenvolvidas com os alunos autistas praticante da Equoterapia na APAE - Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Videira, a partir da observação realizada no período de estágio curricular supervisionado de Psicologia no primeiro e segundo semestre de 2022. Pretende-se descrever os aspectos físicos e históricos da escola, as características dos alunos autistas e as práticas desenvolvidas com estes durante o período de estágio. A prática da Equoterapia é usada como método terapêutico que tem o cavalo como um aliado para o desenvolvimento e estimulação do indivíduo diagnosticado TEA (Transtorno Espectro Autista). O método utilizado foi de obervação dos praticantes da Equoterapia. A prática da Equoterapia é usada como método terapêutico que tem o cavalo como um aliado para o desenvolvimento e estimulação do indivíduo diagnosticado TEA. Assim, o trabalho apresenta primeiramente um referencial teórico alicerçado em importantes autores que conceituam o autismo e as características deste transtorno que acomete muitas pessoas nos dias atuais, bem como aborda a Equoterapia e seus benefícios para o desenvolvimento destes sujeitos. Durante o período de estágio foi possível observar o método como meio de melhoria no desenvolvimento de habilidades motoras, emocionais e sociais, através de sua desenvoltura e segurança nas atividades diárias, proporcionando a socialização do praticante com o meio ambiente, com a sociedade e com a família contribuindo para o bem-estar dos envolvidos. Durante toda a sessão, que tem o tempo de 30 minutos por aluno, os profissionais ajudam a estimular a fala, a linguagem, a lateralidade, cores, organização e orientação espacial e vários outros aspectos. A Equoterapia também ajudou a diminuir a agressividade, tornar o paciente mais sociável, devido ao contato intenso com o animal. Foi possível analisar a prática deste método com os alunos autistas e como a Equoterapia auxilia tanto no desenvolvimento motor, e, principalmente na área cognitiva, pois a partir do contato intenso com o cavalo o aluno desenvolve a autoconfiança e a afetividade com o outro. O trabalho do psicólogo foi realizado junto da equipe multidisciplinar, desafiando o aluno a socialização, lidar com seus limites e os limites do outro, autoestima, autoconhecimento, autocontrole, dentre tantos outros benefícios. Desta forma, conclui-se a prática do estágio como fundamental para a formação acadêmica, especialmente por entender que a Equoterapia não se trata de um tema não muito conhecido no campo da Psicologia pois ainda que trata importantes benefícios para o praticante ainda é uma prática pouco explorada.

Palavras-chave: Autismo; Equoterapia; Psicologia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

10-11-2022

Como Citar

Gemo, P., & Piccoli D’Agostini, F. (2022). A PRÁTICA DA EQUOTERAPIA COM AUTISTAS . Seminário De Iniciação Científica E Seminário Integrado De Ensino, Pesquisa E Extensão, e31949. Recuperado de https://periodicos.unoesc.edu.br/siepe/article/view/31949

Edição

Seção

Videira - Ensino