A EQUOTERAPIA NA PSICOLOGIA

Autores

  • Jessica Argenta Queiroz Universidade do Oeste de Santa Catarina (UNOESC)
  • Carlos Henrique Chiarini de Paula Universidade do Oeste de Santa Catarina (UNOESC)
  • Fabiana Piccoli D'Agostini UNOESC

Resumo

Durante alguns dias foi realizado um estudo na AUNO (ASSOCIAÇÃO UM NOVO OLHAR) que consiste num espaço de práticas de Equoterapia, sua equipe de trabalho é formada pela Fisioterapeuta, o Equitador e a Psicóloga. A Equoterapia é um método terapêutico podendo ser praticado por qualquer pessoa de qualquer idade. A técnica terapêutica é muito importante nos casos de pessoas com alguma necessidade física ou mental.O objetivo deste estudo foi realizar o nosso primeiro contato com a prática na área da Psicologia, assim adquirindo novos conhecimentos, experiências e práticas dando o foco na Equoterapia. Na atividade de observação nota- se um grande vínculo entre a pessoa e o cavalo, desde a forma do balanço de cima para baixo e de um lado para o outro estimula a mente e o corpo. Os impulsos que o corpo faz ao andar do cavalo gera impulsos nervosos que percorrem toda a coluna. As sinapses transmitem o impulso nervoso de um neurônio para o outro,  são realizadas informações sensoriais vindas pela medula espinhal até o sistema nervoso central.  Durante a sessão que dura em torno de 30 minutos realizamos contato com o paciente que estava em cima do cavalo, como brincadeiras com interação, cantamos músicas do seu gosto, fizemos algumas perguntas e para aqueles que se sentiam à vontade fizemos contato físico. O paciente que mais chamou atenção foi  o que é diagnosticado com a síndrome de hutchinson-gilford. Estima-se que exista 7 a 10 casos no Brasil e cerca de 100 casos no mundo. É uma doença genética rara e que consiste no envelhecimento precoce a cerca de sete vezes em relação a taxa normal de idade. Pode se concluir que a Equoterapia tem influencia muito grande na evolução tanto pessoal, cognitiva e comportamental como na interação social os diversos casos. Cada caso é um caso, pode-se se dizer que cada paciente que observamos foi uma experiência diferente, houve casos de Autismo, TDAH, Síndromes e Lesões em geral. Vale ressaltar a importância da ação do Psicólogo junto com os outros profissionais, ele avalia fatores biológicos, mentais e sociais, como frustrações, autoestima, rejeição, criatividade, noção de espaço e consciência corporal.

Palavras-chave: Equoterapia; Saúde mental; Psicologia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

10-11-2022

Como Citar

Argenta Queiroz, J., Chiarini de Paula, C. H., & Piccoli D’Agostini, F. (2022). A EQUOTERAPIA NA PSICOLOGIA . Seminário De Iniciação Científica E Seminário Integrado De Ensino, Pesquisa E Extensão, e31672. Recuperado de https://periodicos.unoesc.edu.br/siepe/article/view/31672

Edição

Seção

Videira - Ensino