CONDIÇÕES DE SAÚDE, SEGURANÇA E MEIO AMBIENTE DOS TRABALHADORES DO SETOR FLORESTAL

Autores

  • Carla Suntti Universidade do Oeste de Santa Catarina
  • Rodrigo Geremias UNOESC

Resumo

Introdução: O setor florestal representa um destaque na economia brasileira. No
entanto, no desenvolvimento das atividades florestais, verifica-se um grande risco de
acidentes, seja pelo uso de diversos tipos de maquinários e equipamentos, como
pelo uso de produtos químicos e ainda pela própria atividade de extração florestal,
desde a derrubada da árvore até o carregamento da madeira. A crescente
demanda pela certificação florestal, a fim de atestar a origem da madeira, o manejo
sustentável e a adequação das atividades dos colaboradores, muitas empresas
carecem de um sistema de verificação do atendimento a tais normas. Objetivo: Este
trabalho objetivou verificar a implantação das normas regulamentadoras de saúde
e segurança no desenvolvimento das atividades florestais a campo, bem como o
atendimento às questões ambientais legais. Método: Nesta pesquisa participaram
duas empresas, das quais entrevistou-se cinco equipes de trabalho a campo,
utilizando-se uma lista de verificação com base nos principais aspectos práticos de
saúde e segurança da NR 31 bem como critérios ambientais das legislações vigentes.
A lista verificação, permitiu estabelecer um indicador das condições que os
trabalhadores estão expostos no campo: classificando-se em ótimo, bom e requer
atenção. As coletas de dados a campo foram realizadas durante o mês de agosto
de 2022, sendo respeitados os princípios éticos de pesquisa, conforme aprovação
pelo Parecer nº 5.545.911. Resultados: Por meio da lista de verificação, constatou-se
que 37,5% dos entrevistados já sofreram algum tipo de acidente, prioritariamente no
momento da extração das árvores. 62% relataram ficar exausto ao final da jornada
de trabalho. Dos indicadores avaliados, a questão do meio ambiente foi a que mais
apesentou pontos a serem melhorados, como cuidados com as perdas de solo em
estradas, possível contaminação do solo por derramamento de óleo e combustível.
Na questão de segurança, verificou-se em algumas equipes a falta do uso de
Equipamentos de Proteção Individual. Na área de saúde, algumas equipes não
apresentaram local adequado para alimentação e banheiros químicos. Das equipes
avaliadas e entrevistadas, 60% delas ficaram com o indicador ótimo para as
condições a campo, sendo 20% como bom e 20% como requer atenção. Conclusão:
A certificação florestal proporciona um maior cuidado com as questões de saúde e segurança e meio ambiente, visto que das equipes avaliadas, a maior parte delas
estava comprometida de alguma forma com esses critérios. Observa-se, contudo,
que se deve direcionar maior atenção quando se tem equipes terceirizadas, pois
foram as que apresentaram menor pontuação para os critérios avaliados. É
necessário um monitoramento contínuo dos critérios avaliados e da importância de
um diálogo mais frequente sobre segurança e meio ambiente para que os
trabalhadores possam compreender que as orientações são com a finalidade de
promover e manter a saúde deles no exercício das suas atividades.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carla Suntti, Universidade do Oeste de Santa Catarina

Professora do Curso de Engenharia Sanitária e Ambiental

Área das Ciências Exatas e da Terra

Downloads

Publicado

10-11-2022

Como Citar

Suntti, C., & Geremias, R. (2022). CONDIÇÕES DE SAÚDE, SEGURANÇA E MEIO AMBIENTE DOS TRABALHADORES DO SETOR FLORESTAL. Seminário De Iniciação Científica E Seminário Integrado De Ensino, Pesquisa E Extensão, e31689. Recuperado de https://periodicos.unoesc.edu.br/siepe/article/view/31689

Edição

Seção

Videira - Pesquisa