ANÁLISE DE TRATAMENTO DE ÁGUA EM CALDEIRA

Autores

  • Guilherme Alexandre Mezarobba UNOESC
  • Carla Suntti Universidade do Oeste de Santa Catarina
  • Rodrigo Geremias UNOESC

Resumo

Introdução: Caldeiras são equipamentos imprescindíveis em diversos processos
industriais que necessitam de grandes volumes de vapor, temperaturas elevadas,
trabalhando em fluxo contínuo e de maneira segura. São equipamentos que
requerem um controle eficaz e contínuo da qualidade da água utilizada, contudo,
a água contém minerais, gases, sólidos em suspensão e matéria biológica, que se
não forem removidos adequadamente, podem gerar dificuldades operacionais e
impactos na economia de todo o processo. Objetivo: O objetivo deste trabalho foi
identificar e caracterizar a formação de incrustações em uma caldeira utilizada em
indústria alimentícia no meio-oeste catarinense, constatando se o tratamento
aplicado garante segurança e confiabilidade a cadeia produtiva em que ela está
envolvida. Método: Foram avaliados parâmetros de qualidade da água e
alterações que eles sofrem durante a passagem pelos equipamentos para
alimentação de uma caldeira em indústria alimentícia no meio-oeste catarinense.
Foi realizada análise dos pontos de pré abrandador, pós abrandador, alimentação
e saída da caldeira, para os parâmetros de pH, condutividade e dureza total que
possuem ligação direta com a formação de incrustações em superfícies de troca
térmica. Resultados: Os resultados apontam que as análises de condutividade se
apresentaram abaixo dos limites especificados em 100% da amostragem, com
media de 252,2 µs.cm-1 na água de alimentação da caldeira. A dureza total média
da água estava com 20 mg.L-1 no pré abrandador, entrando na caldeira com 3 mg.L-
1, sendo o ideal para a caldeira em estudo de 0,3 mg.L-1, o que foi atendido em 64%
das análises, o resultado não foi superior pois é natural a saturação das resinas do
abrandador, permitindo a breve passagem de dureza até ser realizado a
regeneração das resinas. A eficiência da regeneração do abrandador foi de 100%,
comprovando que realizar a regeneração do sistema evita a passagem de dureza
até o próximo ciclo de regeneração. O ciclo médio atual do abrandador é de 4,8
dias. Analisando as antigas formações de incrustações presentes no interior da
tubulação, 77,19% é resultante de Cálcio e Magnésio decorrente da passagem de
dureza na água de alimentação ao longo dos anos de operação da caldeira..
Conclusão: Com base nos resultados, foi possível comprovar que o tratamento atual
da água de alimentação a caldeira é eficaz, evidenciar a importância do atendimento da frequência de regeneração do abrandador e confirmar que os
antigos depósitos de incrustação se formaram através da passagem de dureza ao
longo dos anos de operação. É necessário realizar um acompanhamento constante
para garantir que a qualidade do tratamento permaneça e desta forma evite a
formação de novas incrustações na geração de vapor.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carla Suntti, Universidade do Oeste de Santa Catarina

Professora do Curso de Engenharia Sanitária e Ambiental

Área das Ciências Exatas e da Terra

Downloads

Publicado

10-11-2022

Como Citar

Mezarobba, G. A., Suntti, C., & Geremias, R. (2022). ANÁLISE DE TRATAMENTO DE ÁGUA EM CALDEIRA. Seminário De Iniciação Científica E Seminário Integrado De Ensino, Pesquisa E Extensão, e31692. Recuperado de https://periodicos.unoesc.edu.br/siepe/article/view/31692

Edição

Seção

Videira - Pesquisa