ESTUDO EXPERIMENTAL PARA REDUÇÃO DA PLASTICIDADE EM SOLO DE ORIGEM BASÁLTICA COM A INTRODUÇÃO DE PÓ DE CASCA DE OVO

Autores

  • Jackson Santos
  • Fabiano Alexandre Nienov UNOESC

Resumo

Introdução: A construção de qualquer obra de engenharia em solos instáveis geotecnicamente é considerada arriscada, pois estão suscetíveis a recalques diferenciais e mudanças de volume quando em presença de umidade por exemplo. Portanto, há um desejo de aprimorar certas propriedades necessárias, como capacidade de carga, parâmetros de resistência ao cisalhamento e reduzir a mudança de volume. Em qualquer estrutura apoiada sobre o solo, é muito importante que ele tenha resistência suficiente para absorver esses carregamentos sem gerar deslocamentos excessivos. Em obras geotécnicas, torna-se necessário o melhoramento do solo natural quando ele não possui as características necessárias para desempenhar as suas funções a que são destinados. Objetivo: O presente trabalho buscou estudar a adição de pó de casca de ovo em solo residual (considerável fração argilosa) do Meio Oeste do Estado de Santa Catarina para reduzir sua plasticidade. Método: Os resíduos de casca de ovos foram coletados em padarias e confeitarias, lavadas para retirar a membrana interna. Após a secagem ao sol, as cascas de ovos foram submetidas a temperatura de 100 °C.  Esse processo de secagem ocorreu em estufa com temperatura controlada. Após passar pelo procedimento de secagem a 100 °C, as cascas de ovos foram transformadas em pó (biochar) utilizando almofariz e mão de gral. As misturas de casca de ovo e solo foram  nas proporções de 4%, 6%, 8%, 12%, 16%, 20%, 22%, 24%, 26%, 28% e 30%. Essa mistura foi em substituição de solo, ou seja, para o traço com 4% de biochar terá 96% de solo formando 100% de mistura.  Resultados: Foi possível observar que com a adição do resíduo da casca de ovo (Biochar) no solo ocorreu redução da plasticidade do solo. Essa estabilização ocorreu já em 8% de substituição não variando mais nas outras porcentagens. O limite de plasticidade do solo foi de 55% e com a substituição de 4% passou para 53%, já para 8% de substituição foi de 47% e mantendo esses valores até os 30% de substituição. Conclusão: O biochar obtido com as cascas de ovos de galinha tem demonstrado um potencial benéfico em misturas com solo estudado no sentido de redução de plasticidade que é um problema em obras geotécnicas. Além disso, sua geração ocorre em grande escala, conforme estimado, tornando ainda mais relevante o seu reaproveitamento.

Palavras-chave: Biochar; Casca de Ovo; Plasticidade.

Contato: Jackson Santos, jackson.cjb1@gmail.com

Agradecimentos: O autor Jakson Santos agradece ao Programa de Bolsas Universitárias do Estado de Santa Catarina (UNIEDU) pela concessão de bolsa de iniciação científica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fabiano Alexandre Nienov, UNOESC

ACET - UNOESC

Downloads

Publicado

10-11-2022

Como Citar

Santos, J., & Nienov, F. A. (2022). ESTUDO EXPERIMENTAL PARA REDUÇÃO DA PLASTICIDADE EM SOLO DE ORIGEM BASÁLTICA COM A INTRODUÇÃO DE PÓ DE CASCA DE OVO . Seminário De Iniciação Científica E Seminário Integrado De Ensino, Pesquisa E Extensão, e31619. Recuperado de https://periodicos.unoesc.edu.br/siepe/article/view/31619

Edição

Seção

Joaçaba - Pesquisa