CONEXÕES ENTRE SAÚDE, DOENÇA E RELIGIOSIDADE NA PERSPECTIVA DE BENZEDEIRAS QUE ATUAM NA REGIÃO EXTREMO OESTE DO ESTADO DE SANTA CATARINA

Autores

  • Michelli C STYBURSKI
  • Taíza Gabriela Zanatta Crestani

Resumo

Introdução: Muitos rótulos e estereótipos aparecem associados às benzedeiras devido ao fato da abordagem utilizada pelas mesmas ser essencialmente ritualística e heterogênea (variando de acordo com o solo onde se encontram enraizadas). O estudo das nuances culturais que edificam estes saberes torna-se relevante, vez que contribuem para trazer a baila as especificidades do diálogo entre as práticas que caracterizam a sabedoria popular na interface com outros campos de conhecimento (institucionalizados e não institucionalizados).  Objetivo: Analisar a prática da benzedura efetuada por mulheres que desenvolvem este ofício na região Extremo Oeste do Estado de Santa Catarina, lançando luz às especificidades do diálogo entre as práticas que caracterizam a sabedoria popular na interface com outros campos de conhecimento (institucionalizados e não institucionalizados).I Método: Para compreender de que forma benzedeiras que residem e atuam em municípios da região extremo oeste do Estado de Santa Catarina organizam os rituais de cura e relacionam as condições de saúde e adoecimento à crença/prática religiosa, optou-se pelo desenvolvimento de uma pesquisa de abordagem qualitativa. Os dados foram coletados no ano de 2021 por meio da realização de entrevistas individuais (sem roteiro pré-definido) e da observação-participante – o que caracteriza um estudo etnográfico.  Resultados: Este estudo permitiu constatar que a integração de formas de cuidado adotadas pelas benzedeiras no intuito de atender indivíduos queixosos reflete a complexidade do modo segundo o qual as mesmas compreendem a saúde e a doença. A doença é vista como um desequilíbrio que se revela no corpo físico mas à ele não se reduz, sendo preciso buscar estratégias de

intervenção capazes de contemplar, também, o seu aspecto transcendente. Por este motivo, as orações, as palavras de conforto, e os pedidos endereçados às divindades tornam-se essenciais. Destaca-se também, que a representação da benzedeira, sob o ponto de vista do doente, é considerado um fator importante no processo de cura ou amenização de um estado de sofrimento.  Conclusão: Em linhas gerais, conclui-se que as condições de saúde e doença são interpretadas pelas benzedeiras sob ângulos plurais, privilegiando-se as conexões entre corpo-mente e sujeito-meio ambiente. Portanto, apresentam uma concepção de estado de bem-estar holística, que privilegia o contexto onde as relações sociais se desenham, fazendo frente ao dualismo cartesiano e a explicações estritamente biologicistas. Entender o universo da benzedura é valorizar os saberes tradicionais construídos pela comunidade como recurso de cuidado de si - daí a importância da psicologia esforçar-se em compreender a riqueza deste universo.

Palavras-chave: Saúde; Doença; Benzedeira; Religiosidade Popular; Extremo Oeste Catarinense.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

10-11-2022

Como Citar

STYBURSKI, M. C., & Crestani, T. G. Z. (2022). CONEXÕES ENTRE SAÚDE, DOENÇA E RELIGIOSIDADE NA PERSPECTIVA DE BENZEDEIRAS QUE ATUAM NA REGIÃO EXTREMO OESTE DO ESTADO DE SANTA CATARINA. Seminário De Iniciação Científica E Seminário Integrado De Ensino, Pesquisa E Extensão, e32097. Recuperado de https://periodicos.unoesc.edu.br/siepe/article/view/32097

Edição

Seção

São Miguel do Oeste - Ensino