AS CONTRIBUIÇÕES DA PRÁTICA DO VOLEIBOL NA FORMAÇÃO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES ATENDIDOS PELO PROJETO DE INICIAÇÃO DESPORTIVA ESCOLAR - PIDE

Autores

  • Oriele Maria Meurer
  • Pablo Pelle Delpino
  • Richard William Machado dos Santos
  • Ronaldo Adriano Cardoso Junior
  • Gabriel Diaz Godinho
  • Sandra Fachineto Universidade do Oeste de Santa Catarina

Resumo

Introdução: O Projeto de Iniciação Desportiva Escolar (PIDE), criado pela Fundação Catarinense de Esporte (FESPORTE) beneficia crianças e adolescentes, entre 10 e 16 anos, no contraturno escolar com atividades esportivas em diversas modalidades, além de oportunizar que universitários atuem como monitores esportivos. Com o projeto, os alunos têm a oportunidade de melhorar as capacidades físicas de acordo com sua idade. Também, a prática esportiva auxilia no desenvolvimento integral deles, desenvolvendo valores éticos e morais. Objetivo: Desenvolver e aperfeiçar habilidades motoras, cognitivas e sócio afetivas de alunos de diferentes faixas etárias a partir da prática recreativa do Voleibol. Método: As atividades são desenvolvidas no Centro Esportivo da Universidade do Oeste de Santa Catarina – UNOESC, Campus de São Miguel do Oeste e também nos municípios de Anchieta e Guaraciaba, Santa Catarina. Participam 116 alunos com idades entre 10 e 16 anos, de ambos os sexos.  Para as práticas são utilizados diversos materiais disponibilizados pelo projeto como bolas, cones, além de outros disponíveis na instituição como a rede de voleibol, cordas, arcos, steps.  As aulas são desenvolvidas de forma que todos os alunos em suas diferentes idades e fases de desenvolvimento possam participar e aprender. Realizam-se atividades recreativas com jogos de estafetas, jogos adaptados até o jogo formal, utilizando-se do método global, aumentando a dificuldade para os alunos de forma gradativa. Essa forma facilita o aprendizado e é motivadora para o aluno. Abordagens lúdicas ou recreativas são utilizadas para trabalhar elementos técnicos e táticos, visto que são mais prazerosos e assim promovem melhor compreensão e aprendizado. Resultados: Pode-se perceber uma evolução positiva nas habilidades motoras, cognitivas e sócio afetivas dos alunos se comparado ao início do projeto. A percepção do espaço, tempo de bola, força e gesto motor ficaram mais evidentes além do ganho de autoconfiança. Nas atividades é perceptível o respeito, o espírito de equipe e cooperação, resultado das dinâminas de grupo envolvedo trabalho em equipe, empatia, resolução de problemas em grupo. As regras e fundamentos ainda devem ser trabalhadas, especialmente para as crianças menores e que não possuem um contato maior com a modalidade ou são pouco conhecidas por eles. Os alunos apresentam melhor controle e domínio da bola, visto que a vivência da modalidade é semanal. Conclusão: Conclui-se que a metodologia utilizada pelos monitores através de abordagens mais recreativas contribuem para melhorar aspectos ténicos e físicos além de promover maior interação entre o grupo participante.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sandra Fachineto, Universidade do Oeste de Santa Catarina

Professora do curso de Educação Física e de Fisioterapia da Unoesc, campus de São Miguel do Oeste

Downloads

Publicado

10-11-2022

Como Citar

Maria Meurer, O., Pelle Delpino, P., William Machado dos Santos, R., Adriano Cardoso Junior , R., Diaz Godinho, G., & Fachineto, S. (2022). AS CONTRIBUIÇÕES DA PRÁTICA DO VOLEIBOL NA FORMAÇÃO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES ATENDIDOS PELO PROJETO DE INICIAÇÃO DESPORTIVA ESCOLAR - PIDE . Seminário De Iniciação Científica E Seminário Integrado De Ensino, Pesquisa E Extensão, e32078. Recuperado de https://periodicos.unoesc.edu.br/siepe/article/view/32078

Edição

Seção

São Miguel do Oeste - Extensão