O EFEITO DE UM PROGRAMA DE EXERCÍCIO FÍSICO NO AMBIENTE DE TRABALHO SOBRE A MOTIVAÇÃO PARA A PRÁTICA DA ATIVIDADE FÍSICA

Autores

  • Larissa Dornelles de Oliveira Unoesc
  • Rosana Vargas UNOESC
  • Dayanne Sampaio Antonio UFPR
  • Rafael Cunha Laux Universidade do Oeste de Santa Catarina https://orcid.org/0000-0003-2723-3130

Resumo

Introdução: o local de trabalho tem sido proposto como o cenário chave para a proteção, promoção e prevenção da saúde. Oferecer intervenções de saúde no local de trabalho é reconhecido como uma estratégia viável e potencialmente eficaz para a prevenção e controle de condições clínicas. Na perspectiva de promover a saúde dos trabalhadores, surgem os Programas de Promoção de Saúde do Trabalhador nos quais, podem estar inclusos os que preveem exercícios físicos no próprio ambiente de trabalho. Esses programas são comumente conhecidos, no Brasil, como Ginástica Laboral ou Programas de Exercício Físico no Ambiente de Trabalho (PEFAT). A diferença entre os dois métodos é o tempo de duração e a quantidade de sessões diárias e semanais na qual são realizadas as intervenções. No entanto é necessário verificar se este tipo de intervenção é eficaz para modificar o perfil de motivação do sujeito em relação ao exercício físico, já que a motivação influência o comportamento das pessoas em relação a prática de atividade física. Objetivo: verificar o efeito de um Programa de Exercício Físico no Ambiente de Trabalho sobre a motivação para a prática de atividade física de funcionários técnicos administrativos de uma universidade. Método: participaram da pesquisa 18 participantes inativos fisicamente de ambos os sexos, com idade média de 30,69 (dp 5,86) anos. A intervenção constituiu de 36 sessão, de dez minutos de exercício físico no ambiente de trabalho, divididos em três sessões semanais durante 12 semanas.  A avaliação da motivação foi feita por meio do Behavioral Regulation in Exercise Questionnaire (BREQ 3), aplicado no período pré e pós-intervenção. Os dados foram analisados utilizando o SPSS® para Windows® versão 21.0. Os participantes foram divididos em número iguais entre grupo controle e grupo experimental. Resultados: verificou-se no grupo experimental aumento no domínio da Motivação de Regulação Introjetada (p=0,0047) e da Motivação Intrínseca (p=0,0263) entre os momentos pré e pós-intervenção. E no grupo controle não ocorreu nenhuma mudança no perfil motivacional. Conclusão: o programa foi efetivo para a modificação da motivação dos seus praticantes nas variáveis de motivação de regulação introjetada e motivação intrínseca, que não ocorreu no grupo controle.

Palavras-chave: Exercício Físico; Motivação; Saúde do trabalhador.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rafael Cunha Laux, Universidade do Oeste de Santa Catarina

Mestre em Educação Física (UFSM), Especialista em Personal Training (UNOESC). Coordenador do Laboratório de Fisiologia do Exercício e Professor do Curso de Educação Física da UNOESC Chapecó.

Downloads

Publicado

10-11-2022

Como Citar

Oliveira, L. D. de, Vargas, R., Antonio, D. S., & Laux, R. C. (2022). O EFEITO DE UM PROGRAMA DE EXERCÍCIO FÍSICO NO AMBIENTE DE TRABALHO SOBRE A MOTIVAÇÃO PARA A PRÁTICA DA ATIVIDADE FÍSICA. Seminário De Iniciação Científica E Seminário Integrado De Ensino, Pesquisa E Extensão, e31679. Recuperado de https://periodicos.unoesc.edu.br/siepe/article/view/31679

Edição

Seção

PIBIC- CNPq