AVALIAÇÃO TÉCNICA E ECONÔMICA DA CONSERVAÇÃO E UTILIZAÇÃO DE SUBPRODUTOS DA INDÚSTRIA DE FRUTAS NA ALIMENTAÇÃO ANIMAL

Autores

  • Larissa Bizzon Universidade do Oeste de Santa Catarina
  • Joana Aparecida Cimadon Universidade do Oeste de Santa Catarina
  • Pedro Andrighetti
  • Aline Kuhn Sbruzzi Pasquali Universidade do Oeste de Santa Catarina
  • Gustavo Krahl Universidade do Oeste de Santa Catarina

Resumo

Introdução: Em Santa Catarina, principalmente na região do meio-oeste, com o crescimento da agroindústria no setor de processamento de sucos e frutas, geram uma quantidade significativa de resíduos. Esses subprodutos podem ser utilizados na alimentação animal, atendendo a demanda em períodos de escassez de forragens, reduzindo o desperdício e a contaminação do meio ambiente, e diminuindo consideravelmente os custos na produção. Objetivo: Mensurar o desempenho zootécnico e econômico de cordeiros confinados com dietas contendo níveis de bagaço de maçã desidratado. Método: O experimento foi conduzido na Fazenda Experimental da Unoesc de Campos Novos. Utilizou-se de 12 cordeiros cruzados com idade de 90 a 105 dias com de 40,8±6,5 kg. Os animais foram distribuídos em delineamento inteiramente casualizado, distribuídos em 3 tratamentos, dietas isonutritivas com 0%, 15% e 30% de inclusão de bagaço de maçã desidratado. Os animais foram alojados em baias individuais e suspensas de 1,44 m² com piso vazado. Além do concentrado era ofertado feno de azevém e água à vontade. A dieta foi calculada para animais de 40 kg de peso vivo com ganho de peso diário de 0,4 kg. Os animais foram pesados ao início e ao final dos 32 dias de avaliação para determinação do ganho de peso diário, e o consumo de concentrado foi mensurado. Foram coletadas amostras de sangue ao início e ao final da avaliação para verificação dos parâmetros bioquímicos dos animais. A partir dos custos dos ingredientes e da renda obtida com os animais, foi calculado o retorno econômico para os níveis de bagaço de maçã. Resultados: Observou-se que o custo com a alimentação aumenta proporcionalmente à inclusão de bagaço de maçã nas dietas, no entanto, o ganho de peso dos animais também aumenta. Com R$ 11,00/kg de bagaço de maçã e R$ 11,00/kg de peso vivo de cordeiro, foram obtidas sobras de R$ 44,33; R$ 49,75; e R$ 47,51 por cordeiro nos tratamento de 0, 15 e 30% de inclusão, respectivamente. No cenário atual, 15% seria o melhor nível de inclusão. O bagaço de maçã teria que custar R$ 14,59/kg para equiparar o rendimento entre 0% e 15% de inclusão de bagaço de maçã e R$ 11,98/kg para equiparar o rendimento entre 0% e 30% de inclusão de bagaço de maçã. Se o preço do cordeiro estiver até R$ 8.20/kg PV o melhor é 0% de inclusão, se o preço do cordeiro estiver entre R$ 8.20/kg PV e R$ 12.71/kg PV o melhor é 15% de inclusão e se o preço do cordeiro estiver entre R$ 12.71/kg PV o melhor é 30% de inclusão. Os parâmetros sanguíneos foram alterados quando comparados o início e final do período, porém, estão dentro dos parâmetros fisiológicos normais. Conclusão: A utilização de bagaço de maçã desidratado em dietas de cordeiros em confinamento é viável técnica e economicamente. As variações dos preços pagos pelo bagaço de maçã e pelo quilograma do cordeiro devem ser avaliados para definir o melhor nível de inclusão deste ingrediente nas dietas de confinamento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

10-11-2022

Como Citar

Bizzon, L., Cimadon, J. A., Andrighetti, P., Pasquali, A. K. S., & Krahl, G. (2022). AVALIAÇÃO TÉCNICA E ECONÔMICA DA CONSERVAÇÃO E UTILIZAÇÃO DE SUBPRODUTOS DA INDÚSTRIA DE FRUTAS NA ALIMENTAÇÃO ANIMAL. Seminário De Iniciação Científica E Seminário Integrado De Ensino, Pesquisa E Extensão, e31527. Recuperado de https://periodicos.unoesc.edu.br/siepe/article/view/31527

Edição

Seção

Joaçaba - Pesquisa