CONHECIMENTO SOBRE AUTOMEDICAÇÃO DOS PACIENTES ATENDIDOS EM UMA FARMÁCIA DE UM MUNICÍPIO DO ALTO VALE DO RIO DO PEIXE

Autores

  • Larissa Pellin
  • Fabiana Andreia Schafer De Martini Soares Unoesc

Resumo

Introdução: A automedicação é o uso de medicamento sem prescrição, orientação ou acompanhamento de um profissional habilitado, com a procura de alívio rápido dos sintomas que os pacientes possuem, no entanto, essa prática pode mascarar doenças, provocar intoxicação ou até mesmo a morte do paciente.. Objetivo: avaliar a importância do profissional farmacêutico no combate da automedicação em uma rede de farmácia privada em uma cidade de Meio Oeste de Santa Catarina. Método: foi realizado uma pesquisa de caráter exploratório, observacional e descritivo com levantamento de dados entre os frequentadores de uma rede de farmácia de manipulação e dispensação de um município do Alto Vale do Rio do Peixe através da aplicação de um questionário estruturado durante os meses de fevereiro e agosto de 2021 Resultados: Foram entrevistadas 300 pessoas das quais 291 já utilizaram medicamentos sem a devida prescrição, sendo os mais utilizados analgésicos, fármacos para gripes e resfriados, relaxantes musculares, anti-inflamatórios e xarope para tosse. O consumo de medicamentos sem a devida prescrição é muito frequente na população estudada, visto que é mais frequente em mulheres, idade média de 18 a 30 anos, com renda salarial de um a três salários mínimos e com ensino superior completo. Notou-se também que quando os praticantes da automedicação têm dúvidas sobre o medicamento a ser utilizado, quem às sana são os atendentes de farmácia, sendo que os medicamentos, na maioria das vezes, são eficazes contra os sintomas apresentados e os entrevistados sabem que a prática traz riscos à saúde e sabem seus possíveis danos. Além de que o armazenamento e descarte são feitos de maneira correta. Conclusão: O consumo de medicamentos sem a devida prescrição é muito frequente na população estudada, portanto, o farmacêutico juntamente com demais profissionais da saúde e autoridades governamentais devem investir em ações para promover e garantir a saúde da população. O presente trabalho tornou-se necessário a fim de identificar a importância do profissional farmacêutico no combate da automedicação e avaliar quais as possíveis maneiras de interversão do profissional no intuito de evitar a prática e garantir maior qualidade de vida na população.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

10-11-2022

Como Citar

Pellin, L., & Schafer De Martini Soares, F. A. (2022). CONHECIMENTO SOBRE AUTOMEDICAÇÃO DOS PACIENTES ATENDIDOS EM UMA FARMÁCIA DE UM MUNICÍPIO DO ALTO VALE DO RIO DO PEIXE. Seminário De Iniciação Científica E Seminário Integrado De Ensino, Pesquisa E Extensão, e31276. Recuperado de https://periodicos.unoesc.edu.br/siepe/article/view/31276

Edição

Seção

Videira - Pesquisa