A Campsiandra laurifolia REDUZ A LESÃO TECIDUAL E A INFLAMAÇÃO EM RATOS COM COLITE ULCERATIVA INDUZIDA POR ÁCIDO ACÉTICO

FONSECA, Sandielly Rebeca Benitez1@; SOUZA, Lucas Petitemberte2; SCHEMITT, Elizângela Gonçalves1; BRASIL, Marilda da Silva3; ENGEROFF, Millena de Oliveira4; ADAMI, Gabriela Girardi4; COLARES, Josieli Raskopf1; FILLMANN, Henrique Sarubbi5; MARRONI, Norma Possa1,3.

@Autor correspondente: Sandielly Rebeca Benitez Fonseca. sandielly.benitez@gmail.com.

Introdução: A retocolite ulcerativa (RCUI) é uma doença inflamatória intestinal que afeta a mucosa e a submucosa do intestino grosso. O excesso na produção de espécies reativas de oxigênio (ERO) leva ao estresse oxidativo que tem envolvimento direto no processo inflamatório da RCUI. Estudos comprovaram que o extrato aquoso da Campsiandra laurifolia, também conhecida como acapurana, possui alto teor de compostos fenólicos e taninos totais, bem como um elevado potencial antioxidante. A RCUI é uma doença de etiologia não totalmente conhecida que afeta pessoas jovens e que apresenta aumento na prevalência mundial, sendo que as possibilidades terapêuticas atuais são de eficácia variável e sem evidência de cura. O extrato aquoso da acapurana é um possível agente terapêutico na RCUI devido ao seu alto potencial antioxidante. Objetivo: Avaliar o efeito da Campsiandra laurifolia sobre a colite ulcerativa induzida por ácido acético. Método: O estudo foi realizado no Hospital de Clínicas de Porto Alegre e aprovado pela CEUA com o número 2019-0196. Foram utilizados 24 ratos Wistar machos, com 60 dias e em média 350 gramas. Os animais foram divididos em 4 grupos: controle (CO), controle+acapurana (CO+A), colite (CL) e colite+acapurana (CL+A). A indução da colite foi feita por enema com 4 ml de ácido acético a 4%. O extrato da acapurana foi administrado via gavagem na dose de 25mg/Kg por dois dias nos grupos CO+A e CL+A. No 4º dia os animais foram mortos e o tecido intestinal foi coletado para análise histológica e para avaliação da expressão do NFκB e da iNOS por imunohistoquímica. Uma escala de danos microscópicos foi utilizada para mensurar o dano histológico. A análise estatística foi ANOVA seguido do teste Student Newman Keuls (média±EP) significativo quando p<0,05. Resultados: Na análise histológica do grupo CL+A observou-se regeneração das criptas, diminuição da hemorragia e da inflamação em relação ao grupo CL, ficando semelhantes aos grupos CO e CO+A. A pontuação na escala de danos microscópicos aumentou significativamente no grupo CL em relação aos grupos controles, já nos animais do grupo CL+A houve redução significativa desta pontuação em relação ao grupo CL. Na quantificação da expressão dos mediadores inflamatórios NFκB e iNOS constatou-se que no grupo CL houve um aumento significativo em relação aos grupos CO e CO+A, sendo que esta expressão reduziu significativamente no grupo CL+A em relação ao grupo CL. Em relação ao grupo CO+A, não se observou diferença significativa em nenhuma das análises realizadas quando comparado ao grupo CO. Conclusão: Diante dos dados apresentados, sugere-se que o extrato aquoso da Campsiandra laurifolia reduziu a lesão tecidual e o processo inflamatório em ratos Wistar com colite ulcerativa induzida por ácido acético.

Palavras-chave: Estresse Oxidativo. Colite Ulcerativa. Antioxidante.


1 Laboratório Experimental de Ciências Pneumológicas e Inflamação, Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS.

2 Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, RS.

3 Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas: Fisiologia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS.

4 Curso de Graduação em Biomedicina, Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre, Porto Alegre, RS.

5 Faculdade de Medicina, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS.

A EDUCAÇÃO EM SAÚDE PARA PREVENÇÃO DAS COMPLICAÇÕES DO DIABETES MELLITUS

DIAS, Jordana Silva1@; NOGUEIRA, Esther Marina Beraldo2; ABRANTES, Gabriela Maria Candido Faria2; BARBOSA, Paula Gabriela Ferreira3; QUEIROZ, Pedro Paulo Borba1; MAZZARO, Marcia Carolina4; MARTINS, Marlene Andrade5; FARÃO, Elaine Miguel Delvivo5.

@Autor correspondente: Jordana Silva Dias. jordana.dias@discente.ufj.edu.br.

Introdução: O Diabetes Mellitus (DM), é uma doença crônica não transmissível em que o paciente apresenta um quadro hiperglicêmico sérico. Quando estabelecido, o DM pode aumentar drasticamente a morbidade dos pacientes por meio de suas complicações, ou por tornar estes mais suscetíveis ao agravamento dos quadros em outras doenças, além de se apresentar como grande fator de oneração do Sistema de Saúde. Nesse sentido, as ações de educação em saúde são importantes para favorecer a qualidade de vida desses pacientes e minimizar as complicações agudas e crônicas decorrentes da doença. Assim, os integrantes do projeto de extensão “Reflexões Sobre as Necessidades em Saúde do Usuário com Diabetes Mellitus” da Universidade Federal de Jataí (UFJ) promovem ações de educação em saúde no município. Objetivo: relatar as ações de extensão voltadas para a promoção da educação em saúde acerca das complicações do diabetes realizadas na UBS do município de Jataí. Método: Em abril e maio de 2022 foram elaborados materiais impressos para serem distribuídos na UBS escolhida para campo de atuação dos discentes durante as atividades de extensão. O tema escolhido para a ação foi o “Pé diabético” tendo em vista a possibilidade de prevenção e necessidade de cuidado relatada pela equipe da unidade de saúde. O material elaborado foi preparado com linguagem simples e figuras ilustrativas favorecendo a compreensão dos usuários da unidade. As salas de espera tiveram duração média de vinte minutos sendo divididas em três momentos: explanação inicial da temática, demonstração e distribuição do material ilustrativo e por último dinâmica para favorecer o esclarecimento de dúvidas e a participação dos usuários. Resultados: Foram realizadas duas salas de espera na UBS, com média de dez participantes por sala de espera realizada. Foi executado uma explicação inicial sobre a temática com a demonstração do pé das discentes para os usuários presentes na sala de espera da UBS, a fim de chamar a atenção para a temática. Após este primeiro contato com o tema “pé diabético”, os participantes presentes demonstraram interesse no assunto, por meio de questionamentos. Sendo observado pela equipe interdisciplinar que os usuários possuíam déficits no conhecimento sobre a DM e suas complicações. No panfleto distribuído foi colocado uma receita prática de bolo de banana sem açúcar, favorecendo a adoção de hábitos saudáveis. Após as explicações, os pacientes foram encorajados a tirar suas dúvidas acerca do assunto, sendo realizada educação em saúde de forma individual para três usuários da unidade. Todos os usuários participaram da dinâmica proposta, favorecendo a compreensão da temática abordada. Conclusão: Em virtude do exposto, fica evidente a necessidade de realizar regularmente atividades educativas em saúde nas salas de espera, a fim de alcançar a população leiga, proporcionando o compartilhamento de conhecimento de forma coletiva, a interação com escuta ativa individual após o encerramento da atividade, favorecendo a prevenção de complicações da doença e consequentemente melhora na qualidade de vida das pessoas. Além disso, o momento de espera para o atendimento nas unidades torna-se mais produtivo, aumentando as possibilidades de educação em saúde para a comunidade.

Palavras-chave: Complicações do Diabetes. Educação em Saúde. Salas de Espera.


1 Curso de Graduação em Medicina, Universidade Federal de Jataí, Jataí, GO.

2 Curso de Graduação em Enfermagem, Universidade Federal de Jataí, Jataí, GO.

3 Programa de Pós-Graduação em Ciências Aplicadas à Saúde, Universidade Federal de Jataí, Jataí, GO.

4 Docente do Curso de Graduação em Medicina, Universidade Federal de Jataí, Jataí, GO.

5 Docente do Curso de Graduação em Enfermagem, Universidade Federal de Jataí, Jataí, GO.

A GLUTAMINA PROTEGE O FÍGADO CONTRA OS PARÂMETROS DE MORTE CELULAR NA INSUFICIÊNCIA HEPÁTICA AGUDA GRAVE EXPERIMENTAL

SCHEMITT, Elizângela Gonçalves1@; FONSECA, Sandielly Rebeca Benitez da1; BRASIL, Marilda da Silva1,2; MARTINS, Gabriela dos Santos1,2; ENGEROFF, Millena de Oliveira1,3; ADAMI, Gabriela Girardi1,3; MARRONI, Norma Possa1,2,4..

@Autor correspondente: Elizângela Gonçalves Schemitt. elizschemitt@yahoo.com.br.

Introdução: A Insuficiência Hepática Aguda Grave (IHAG) é caracterizada por disfunção repentina das células hepáticas. Em condições de estresse celular pode ocorrer uma perturbação no sistema de proteção da célula que ativa as vias de sinalização de morte celular. A glutamina (Gln) é considerada um aminoácido que possui muitas funções metabólicas essenciais. Objetivo: Avaliar a ação da glutamina sobre as perturbações celulares decorrentes da IHAG em ratos. Método: Foram utilizados 28 ratos, divididos nos grupos CO, G, TAA, TAA+G. Duas doses do xenobiótico tioacetamida foram administradas (400 mg/kg ip) em um intervalo de oito horas. Três doses de Gln (25 mg/kg ip) foram administradas em intervalos de 12 horas. Ao final de 48 horas, os animais foram mortos. O fígado foi coletado para análise de proteínas envolvidas nas vias de sinalização celular, apoptose e autofagia pela técnica de Western Blot. Fragmentos do fígado foram utilizados para avaliação histológica. Análise estatística: ANOVA+Student-Newman-Keuls (significativo quando p<0,01) TAA+G (p<0,001). A expressão da proteína Bcl-2 apresentou-se diminuída no grupo TAA em relação aos grupos controles (p<0,001) e aumentada no grupo que recebeu a Gln como tratamento (p<0,001). A proteína desencadeadora Bax e a proteína efetora da apoptose, caspase 3 estavam aumentadas no grupo TAA em relação aos grupos CO e CO+G (p<0,05) e essa expressão diminuiu significativamente no grupo dos animais tratados com Gln (p<0,05). Ao analisar a expressão das proteínas envolvidas no processo autofágico (mTOR, Beclin1 e LC3α/β) foi observado um aumento significativo no grupo TAA em relação aos grupos controle (p<0,01) e uma diminuição significativa no grupo TAA+G quando comparado ao grupo TAA (p<0,05). Na avaliação histopatológica a Gln promoveu uma re-estruturação do parênquima hepático com diminuição do infiltrado inflamatório, da balonização e das áreas com necrose. Conclusão: A Gln diminuiu a apoptose, a autofagia e a necrose hepática, contribuindo dessa forma para a sobrevivência celular no modelo experimental de IHAG.

Palavras-chave: Apoptose. Autofagia. Insuficiência Hepática.


1 Laboratório Experimental de Ciências Pneumológicas e Inflamação do Hospital de Clínicas de Porto Alegre.

2 Programa de Pós-Graduação em Fisiologia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS.

3 Curso de Graduação em Biomedicina, Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre, Porto Alegre, RS.

4 Programa de Pós-Graduação em Medicina: Ciências Médicas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS.

A LIMITAÇÃO DA CONSTRUÇÃO DO NINHO INDUZIU COMPORTAMENTO PRECOCE TIPO-DEPRESSIVO NA PROLE

PEREIRA, Luiza1@; DA RÉ, Teresa¹; ROCHA, Bianca¹; CASTILHO, Debora2; Giusti- Paiva A.²; VILELA, F.C².

@Autor correspondente: Luiza Pereira. luiza.pereira@sou.unifal-mg.edu.br.

Introdução: O modelo de Limitação da Construção do Ninho (LCN) mimetiza a negligência materna. Ao reduzir a quantidade de maravalha disponível, cria-se um ambiente que dificulta o cuidado materno essencial, resultando na exposição dos filhotes ao estresse precoce. O estresse no início da vida gera efeitos adversos nas funções do eixo hipotálamo-hipófise-adrenal e pode tornar o indivíduo mais vulnerável ao desenvolvimento de psicopatologias, como transtornos depressivos. Objetivo: O objetivo deste estudo foi investigar se os animais submetidos a negligência materna pelo LCN apresentam comportamento precoce tipo-depressivo na prole. Método: Para realização dos experimentos foram utilizadas ratas prenhes Wistar divididas em grupos Controle e LCN (n=8 por grupo). No dia pós-natal 1 (PND1) os filhotes foram padronizados em 4 machos e 4 fêmeas e pesados a cada 3 dias em ninhada até o desmame. Após o desmame foram pesados individualmente até o dia dos testes. As progenitoras foram pesadas no mesmo intervalo a cada 3 dias até o desmame. No PND2 ao PND9 os animais do grupo LCN foram mantidos em caixas com maravalha reduzida (1500mL) e o Controle com maravalha normal (4500 mL), o projeto aprovado pelo protocolo CEUA: 0006/2022. No PND5 e PND7 foi feita a avaliação do comportamento materno (CM) das mães e, paralelamente, no PND6 foi feito o teste de Campo Aberto nas progenitoras. No PND26-PND28 a prole foi avaliada pelos testes: Campo Aberto, Nado Forçado, Comportamento Social de Brincar. Os resultados obtidos foram expressos como média ± erro padrão da média e analisados por two-way ANOVA seguido por pós-teste de Bonferroni ou t-Student. Resultados: No CM observou-se no PND5, que as progenitoras submetidas ao LCN, reduziram o tempo de lambida quando comparados ao grupo controle (406,00±69,01 para 243,00±47,59 s; p<0.05). No PND7, as progenitoras LCN aumentaram a latência para pegar o 1º filhote (18,75±4,49 para 78,63±31,06 s; p<0.05), a latência para construir o ninho(172,60±40,58 para 706,60±288,20 s; p<0.05), o tempo de self-grooming (24,63±8,22 para 43,38±5,96 s; p<0.05) e diminuíram o tempo de lambida(757,90±72,75 para 566,60±37,67 s; p<0.05) quando comparados com as do grupo controle. No teste de nado forçado, os machos e fêmeas LCN apresentaram um maior tempo de imobilidade quando comparados com grupo controle (18,75±3,34 para 42,00±9,09 s; p<0.001) e (16,88±2,29 para 52,88±7,59 s; p<0.05)

respectivamente. Não houve diferença entre os grupos experimentais no teste de campo aberto e comportamento social de brincar. Conclusão: O modelo de Limitação da Construção do ninho foi capaz de reduzir o comportamento materno e impactou no desenvolvimento de comportamento tipo-depressivo na prole.

Palavras-chave: Negligência Materna. Limitação da Construção do Ninho. Depressão.

Apoio financeiro: CNPq, Capes e Fapemig.


1 Curso de Graduação em Biomedicina, Instituo de Ciências Biomédicas da Universidade Federal de Alfenas, MG.

2 Programa de Pós-Graduação em Biociências Aplicadas à Saúde da Universidade Federal de Alfenas, Alfenas, MG.

A SUPLEMENTAÇÃO DE ÔMEGA-3 EM RATOS WISTAR NÃO ATENUA AS RESPOSTAS COMPORTAMENTAIS E NEUROINFLAMATÓRIAS PROVOCADAS POR DIETA DE CAFETERIA

DIAS, Victor1; JANTSCH, Jeferson2; RODRIGUES, Fernanda2; NETO, João2; GIOVENARDI, Marcia2,3; PORAWSKI, Marilene2,4; GUEDES, Renata Padilha 2,3@.

@Autor correspondente: Renata Padilha Guedes. renata.guedes@ufcspa.edu.br.

Introdução: Nas últimas décadas a obesidade tem crescido em proporções pandêmicas. Além de provocar doenças cardiovasculares e disfunções metabólicas, mais recentemente, a obesidade tem sido relacionada a doenças no sistema nervoso central (SNC) por gerar neuroinflamação, desencadeando comprometimento de funções cognitivas e emocionais. Os ácidos graxos da família do ômega-3 têm potencial anti-inflamatório e neuroprotetor, e por isso, podem minimizar os impactos causados pela obesidade. Objetivo: Avaliar os efeitos da suplementação de ômega3 em marcadores neuroinflamatórios e memória social de ratos com obesidade. Método: Ratos Wistar machos receberam dieta de cafeteria (CAF) por um período de 20 semanas. Entre a 16ª e a 20ª semana, foi realizada suplementação de omega-3 (500 mg/Kg) por gavagem. Após a eutanásia, o hipocampo e o córtex cerebral foram coletados para análise do perfil de ácidos graxos saturados, bem como a expressão proteica de Toll-like receptor 4 (TLR-4) e Claudina-5. Resultados: No córtex cerebral, foram encontradas concentrações aumentadas dos ácidos caprílico, miristoleico e palmítico em resposta à suplementação com ômega-3. Foi encontrado aumento de TLR-4 nos animais do grupo CAF, sem efeito do ômega-3; já no hipocampo não houve diferenças significativas na expressão de TLR-4. A expressão de claudina-5 diminuiu no hipocampo do grupo CAF, sem diferenças no córtex cerebral. A respeito do teste de memória social, houve um aumento da exploração do animal intruso nos grupos que receberam CAF, independentemente da suplementação de ômega-3, indicando uma maior capacidade de reconhecimento nos animais obesos. Conclusão: Os animais com obesidade induzida por meio da dieta de cafeteria manifestaram aumento na concentração de ácido palmítico no córtex cerebral. No entanto, a suplementação com ômega-3 não foi capaz de reverter o estado neuroinflamatório causado por este ácido graxo de cadeia longa. Também observamos um aumento na expressão de TLR-4 nos grupos CAF, o que pode indicar que a severidade da obesidade causada pela dieta pode inibir as ações do ômega-3. Ademais, os grupos CAF demonstraram melhora nas capacidades sociais dos animais, porém, novos estudos devem ser realizados para compreender melhor os mecanismos dessa resposta comportamental.

Palavras-chave: Obesidade. Neuroinflamação. Interação Social.


1 Curso de Graduação em Biomedicina, Departamento de Ciências da Saúde, Porto Alegre, Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA).

2 Programa de Pós-Graduação em Biociências, Departamento de Ciências da Saúde, Porto Alegre, Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA).

3 Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, Departamento de Ciências da Saúde, Porto Alegre, Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA).

4 Programa de Pós-Graduação em Medicina: Hepatologia, Departamento de Ciências da Saúde, Porto Alegre, Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA).

A SUPLEMENTAÇÃO DE ÔMEGA-3 TEM EFEITOS LIMITADOS SOBRE A DISFUNÇÃO METABÓLICA E DISBIOSE PROVOCADAS PELA OBESIDADE

MILCZARSKI, Vitória Luiza de Camargo1; JANTSCH, Jeferson2; RODRIGUES, Fernanda2; NETO, João2; GIOVENARDI, Márcia2,3; PORAWSKI, Marilene2,4; GUEDES, Renata Padilha2,3@.

@Autor correspondente: Renata Padilha Guedes. renata.guedes@ufcspa.edu.br.

Introdução: A dieta ocidental consiste em alto consumo de alimentos ultraprocessados com concentrações elevadas de açúcares e gorduras e alto índice calórico, o que predispõe ao desenvolvimento de obesidade. As alterações metabólicas decorrentes da obesidade podem desencadear um quadro inflamatório sustentado, acompanhado de disbiose da microbiota intestinal. A disbiose consiste no desequilíbrio entre as principais bactérias simbióticas da microbiota intestinal, que em indivíduos saudáveis é composta principalmente pelos filos Bacteroidetes, Firmicutes, Actinobacteria, Proteobacteria, e Verrucomicrobia. Ainda, essas alterações podem ser acompanhadas de aumento na translocação de lipopolissacarideo (LPS) para a circulação, e redução na produção dos ácidos graxos de cadeia curta (AGCC). Os ácidos graxos da família ômega-3 (n3) têm ação anti- inflamatória e apresentam efeitos benéficos sobre as disfunções metabólicas, podendo ser um aliado no combate aos efeitos deletérios da obesidade. Objetivo: Analisar o efeito da suplementação de ômega-3 em ratos obesos sobre a morfologia intestinal, índices séricos de LPS e AGCC, em consonância com a avaliação da composição de bactérias na microbiota intestinal. Método: 48 ratos Wistar machos foram divididos em quatro grupos: um grupo alimentado com uma dieta de cafeteria (CAF), a qual é constituída de alimentos palatáveis frequentemente consumidos pela sociedade ocidental; um grupo alimentado com CAF suplementado com n3 (CAF+n3); um grupo controle alimentado com uma dieta padrão de biotério (CT); e um grupo controle suplementado com n3 (CT+n3). Amostras de intestino grosso foram processadas para histologia e coradas com hematoxilina e eosina. A análise da composição da microbiota intestinal foi feita por sequenciamento de nova geração. Por fim, foi realizada cromatografia líquida acoplada à espectrometria de massas para a quantificação de LPS e AGCC no plasma. Resultados: Houve uma diminuição da profundidade das criptas intestinais dos animais que receberam CAF. A suplementação com n3 foi capaz de causar aumento na profundidade das criptas apenas nos animais CT, mas não nos obesos. Quanto à microbiota intestinal, foi observada uma razão aumentada de Firmicutes/Bacteroidetes nos animais tratados com n3. Ainda, foi encontrada uma menor diversidade bacteriana nos animais obesos, porém, sem efeito do n3. Houve um aumento de Proteobacteria no grupo que recebeu CAF em relação àquele com CAF+n3 e uma queda de Actinobacteria nos animais do grupo CAF. Sobre os AGCC, notou-se a presença elevada de acetato, butirato, isobutirato e isocaproato nos grupos que receberam CAF. A suplementação com n3 diminuiu os níveis de butirato e isobutirato nos animais obesos. Por fim, houve um aumento nos níveis de LPS nos animais alimentados com CAF, entretanto, a suplementação com n3 foi capaz de atenuar este efeito. Conclusão: A CAF provocou alteração da composição da microbiota intestinal e disbiose, aumento dos níveis de AGCC e de LPS. O ômega-٣, por sua vez, não reverteu todas as alterações provocadas pela obesidade, mas reduziu os níveis de LPS, o que indica que sua utilização pode ser benéfica no sentido de reverter a endotoxemia metabólica, característica da obesidade.

Palavras-chave: Microbiota. LPS. Inflamação.


1 Curso de Graduação em Biomedicina, Departamento de Ciências da Saúde, Porto Alegre, RS.

2 Programa de Pós-Graduação em Biociências, Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA), Porto Alegre, RS.

3 Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA), Porto Alegre, RS.

4 Programa de Pós-Graduação em Medicina: Hepatologia, Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA), Porto Alegre, RS.

ABORDAGEM MULTI INSTRUMENTAL PARA AVALIAÇÃO DA INFLUÊNCIA DO OMEPRAZOL EM PROCESSOS DE DISSOLUÇÃO DE COMPRIMIDOS MAGNÉTICOS

BARBOZA, João M.1@; SILVA, Mateus P. P.1; STOPPA, Erick G.2; BURANELLO, Laís P.2; SOARES, Guilherme A.2; MIRANDA, José R. A.2

@Autor correspondente: João M. Barbosa. jm.barboza@unesp.br.

Introdução: A farmacomagnetografia consiste na utilização de uma técnica biomagnética aliada à análises farmacocinéticas, simultaneamente, afim de avaliar o comportamento de formas farmacêuticas sólidas no trato gastrointestinal (TGI) humano e a concentração plasmática do fármaco, essa abordagem multi instrumental permite avaliar a influência exercida pelas variáveis do TGI na administração de fármacos. Objetivo: O estudo consiste na utilização da farmacomagnetografia para avaliar a influência do Omeprazol na liberação e absorção do Metronidazol, administrado por via oral em comprimidos magnéticos revestidos. Método: Os comprimidos magnéticos foram obtidos por compressão direta em prensa hidráulica, contendo 100mg de Metronidazol e revestidos com Eudragit® E-100. Para os ensaios in-vivo foram selecionados 12 voluntários hígidos, participando em duas fases do projeto (placebo e omeprazol) em diferentes dias para avaliação da biodisponibilidade do Metronidazol Resultados: Foram observadas alterações conforme o aumento do pH da solução e retardo no processo de dissolução do Metronidazol, mostrando que o aumento do pH interfere nos processos de liberação de comprimidos revestidos com E-100. Conclusão: Esse estudo demonstrou que a farmacomagnetografia se mostra eficiente como ferramenta para análises correlativas multi instrumentais de processos de desintegração e biodisponibilidade de fármacos.

Palavras-chave: Farmacomagnetografia; Biosusceptometria de Corrente Alternada; Comprimidos Magnéticos.


1 Curso de Graduação em Física Médica, Instituto de Biociências, Botucatu-SP.

2 Programa de Pós-Graduação em Ciências Biomoleculares e Farmacológicas, Instituto de Biociências, Botucatu-SP.

AÇÃO DA MELATONINA E DO EXERCÍCIO FÍSICO NO ESTRESSE OXIDATIVO E NO PROCESSO INFLAMATÓRIO NO FÍGADO DE RATOS CIRRÓTICOS

MARTINS, Gabriela1,2@; ROSA, Carlos Gustavo3; COLARES, Josieli2; BRASIL, Marilda1,2; ENGEROFF, Millena1; ADAMI, Gabriela1; PICADA, Jaqueline3; MARRONI, Norma1.

@Autor correspondente: Gabriela Martins. gabriela_martins96@hotmail.com

Introdução: A cirrose hepática caracteriza-se pelo surgimento de septos e nódulos fibróticos, bem como alterações estruturais e funcionais do fígado. A obstrução prolongada do ducto biliar é um modelo experimental eficaz para indução de cirrose biliar secundária. A Melatonina (MLT) é um hormônio lipofílico sintetizado a partir de serotonina vem sendo estudada devido suas propriedades, incluído seu potencial antioxidante. Objetivo: Avaliar a ação da MLT e do exercício físico (EX) no fígado de ratos cirróticos, submetidos ao modelo experimental de ligadura de ducto biliar (LDB). Metodologia: Foram utilizados 48 ratos Wistar machos, divididos em oito grupos: Controle (CO), CO+MLT, CO+EX, CO+MLT+EX) LDB, LDB+MLT, LDB+EX e LDB+MLT+EX. Os tratamentos ocorreram do 15° ao 28° dia pós-operatório. A dose da MLT foi de 20 mg/kg administrada via i.p. (1 x ao dia), e para a realização do EX, os animais foram colocados para nadar em pares por 10min/dia. Amostras de sangue foram coletadas para as análises de AST, ALT e FA, o fígado foi coletado para análise histológica, lipoperoxidação (LPO) e atividade das enzimas, catalase (CAT), superóxido dismutase (SOD) e Glutationa peroxidase (GPx). A análise estatística utilizada foi ANOVA Student-Newman-Keuls significativo quando (p<0,05). Projeto aprovado: 2018/516 - CEUA da ULBRA. Resultados: As enzimas de integridade hepática AST, ALT e FA tiveram uma redução significativa nos grupos LDB+MLT, LDB+EX e LDB+MLT+EX quando comparados ao grupo LDB (p≤0,01). Na avaliação da lipoperoxidação (LPO) observou-se um aumento significativo no grupo LDB quando comparado aos grupos controles e uma redução nos grupos LDB+MLT, LDB+EX e LDB+MLT+EX quando comparado ao grupo LDB (P<0,05). Na avaliação das enzimas antioxidantes CAT, SOD e GPx foi observado um aumento significativo no grupo LDB em relação aos grupos controles e uma diminuição significativa no grupo LDB+MLT, LDB+EX e LDB+MLT+EX (P<0,05). Na análise histológica por HE observa-se desorganização tecidual e infiltrado inflamatório no grupo LDB, evidenciamos uma reorganização do parênquima, nos grupos LDB+MLT, LDB+EX e LDB+MLT+EX. Na imunohistoquímica (NF-kB), e uma marcação positiva da coloração no grupo LDB, em contraste, a marcação foi mínima nos animais do grupo LDB+MLT, LDB+EX e LDB+MLT+EX. CONCLUSÃO: A melatonina e o exercício físico foram eficazes na restauração dos diferentes padrões avaliados em ratos submetidos ao modelo de cirrose induzida por LDB.

Palavras-chave: Cirrose; Melatonina; Exercício fisico.


1 Laboratório Experimental de Ciências Pneumológicas e Inflamação do Hospital de Clínicas de Porto Alegre – HCPA/UFRGS.

2 Programa de pós-graduação em fisiologia (PPGFisio) – UFRGS.

3 Programa de pós-graduação em Biologia Molecular aplicada a saúde – ULBRA, Canoas, Rio grande do Sul.

AÇÃO DA QUERCETINA EM RATOS COM CIRROSE HEPÁTICA INDUZIDA POR DIETILNITROSAMINA

ADAMI, Gabriela Girardi1@; ENGEROFF, Millena de Oliveira1; SCHEMITT, Elizângela Gonçalves2; FONSECA, Sandielly Rebeca Benitez da2; MARTINS, Gabriela dos Santos3; BRASIL, Marilda da Silva3; MARRONI, Norma Possa2,3,4.

@Autor correspondente: Gabriela Girardi Adami. gabrielaad@ufcspa.edu.br.

Introdução: As hepatopatias são responsáveis por consideráveis números de atendimentos e internações hospitalares e, portanto, representam um grande problema de saúde pública: a cirrose é uma das maiores causas e apresenta crescente índice de mortalidade. A cirrose hepática de humanos e suas alterações hepáticas podem ser reproduzidas por meio do modelo de cirrose por dietilnitrosamina (DEN). A quercetina (Q) é um dos flavonoides mais abundantes da dieta e pode ser encontrada em muitos vegetais e seus derivados, sendo reconhecida por reduzir o efeito oxidativo e citotóxico. Objetivo: Avaliar a ação da Q na modulação da homeostase celular no modelo experimental de cirrose hepática induzida por DEN. Método: Foram utilizados 24 ratos machos Wistar (peso médio de 130 gramas) divididos nos grupos CO, CO+Q, DEN, DEN+Q. Foram submetidos à administração de 50 mg/Kg de DEN i.p. (2x/semana por 7 semanas) e receberam fenobarbital na água de beber na dose de 0,3g/dl como indutor enzimático. A Q (50mg/Kg i.p.) foi iniciada na 5ª semana, perdurando até o final na 7ª semana. Ao final do experimento foi coletado o sangue para as análises de enzimas de integridade hepática AST e ALT e o fígado para as demais análises. Foram avaliados os pesos dos animais, a relaçãohepatossomática, a lipoperoxidação por TBARS e a atividade das enzimas CAT eGST. Projeto aprovado CEUA/HCPA: 14-0311. Resultados: O grupo DEN apresentou menor ganho de peso (em gramas) ao final do experimento quando comparado ao grupo CO (356,00±10,69; 549,64±28,82) (p<0,001). No grupo DEN observou-se uma relação hepatossomática (11,75%) maior que o grupo CO (3,16%) e o grupo DEN+Q (8,24%) (p<0,05). Foi observado um aumento dos níveis de TBARS (em nmol/mg Prot) no grupo DEN (0,659±0,083) em relação ao grupo CO (0,156±0,012) e uma diminuição no grupo DEN+Q (0,197±0,021) em relação ao grupo DEN (p<0,05). Na atividade da enzima CAT (em pmol/min/mg Prot) foi observada uma diminuição significativa no grupo DEN (2,382±0,205) em relação ao grupo CO (3,676±0,628) e um aumento significativo no grupo DEN+Q (4,548±0,777) quando comparado a grupo DEN (p<0,05). Na atividade da GST (µmol/min/mg Prot) verificou-se um aumento da atividade no grupo DEN (1,638±0,09) em comparação ao grupo CO (1,135±0,04) e uma diminuição significativa no grupo DEN+Q (1,145±0,01) em relação ao grupo DEN (p<0,01). Conclusão: A julgar pelos dados avaliados, é sugerido que a administração de DEN produziu efeito tóxico no fígado e a Q mostrouse capaz de atenuar os danos hepáticos neste modelo experimental.

Palavras-chave: Quercetina; Cirrose; Dietilnitrosamina.


1 Curso de Graduação em Biomedicina, Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre, Porto Alegre, RS.

2 Laboratório Experimental de Ciências Pneumológicas e Inflamação do Hospital de Clínicas de Porto Alegre.

3 Programa de Pós-Graduação em Fisiologia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS.

4 Programa de Pós-Graduação em Medicina: Ciências Médicas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS.

ACONSELHAMENTO MÉDICO E MEDO-EVITAÇÃO NA DOR LOMBAR

PESTANA, Priscylla Ruany Mendes1@; SILVA, Fredson Danilo1; SANTOS, Rodrigo Alves de Carvalho1; DURÃES, Renata Ribeiro1; RODRIGUES, Ana Carolina de Melo Alves1; SOARES, Lidiane Santos1; BRAGA, Ana Paula dos Santos Xavier1; SOUSA, Adriene dos Santos1; REIS, Jeane Fraga1; FREIRE, Rafael Silveira1.

@Autor correspondente: Priscylla Ruany Mendes Pestana. priscyllapestana@gmail.com.

Introdução: dor lombar (DL) é definida como uma dor localizada abaixo da margem costal e acima das dobras glúteas inferiores, podendo ou não estar associada à dor nas pernas. Sua prevalência estimada em algum momento da vida é de até 84%, tornando-se crônica em até 40% dos casos. Indivíduos com DL crônica podem apresentar comportamentos de medo-evitação relacionados ao movimento, devido à crença que este pode ser prejudicial ao seu quadro. O aconselhamento médico é um componente importante no processo de reabilitação. Aconselhamentos para se manter minimamente ativo podem prevenir ou minimizar comportamentos de medo- evitação, que, em geral, estão relacionados à recomendações de repouso absoluto. Objetivo: o presente estudo tem como objetivo investigar a influência do aconselhamento médico no comportamento de indivíduos com DL crônica. Método: trata-se de um estudo transversal de caráter descritivo e análise quantitativa realizado na cidade de Montes Claros-MG. O projeto de pesquisa foi previamente aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da FUNORTE com parecer 4.951.879 /2021. A amostra foi composta por 30 indivíduos com DL crônica que tinham sintomas a mais de 3 meses. Foram excluídos os indivíduos com doenças graves na coluna, com histórico de cirurgia na coluna, pacientes psiquiátricos/psicológicos e gestantes. A coleta dos dados ocorreu de setembro a novembro de 2021. A avaliação do comportamento de medo-evitação foi através do Fear Avoidance Beliefs Questionnaire (FABQ), a intensidade de dor foi avaliada através da Escala Visual Analógica e foi utilizado um questionário semiestruturado para as demais variáveis. Para analisar as médias do escore do FABQ dos indivíduos que receberam aconselhamento para repouso e dos que não receberam, foi utilizado o teste de Mann-Whitney, para a correlação entre intensidade de dor e os escores do FABQ foi utilizado o teste de correlação de Spearman. Para todas as análises foi adotado um nível de significância de 95%. Foi utilizado o Software Statistical Package for the Social Sciences - 25®. Resultados: 66,7% dos indivíduos receberam aconselhamento médico para repouso, 60% desses foram aconselhados a se manter em repouso por mais de sete dias e 50% foram orientados a se afastar do trabalho. A média do escore do FABQ dos indivíduos que receberam aconselhamento para repouso foi superior à média daqueles que não receberam, com diferença estatisticamente significante. Observou-se correlação moderada positiva entre intensidade de dor e os escores do FABQ no domínio trabalho. Conclusão: constatou-se alta prevalência de aconselhamento médico para repouso por longo período e altos escores de medo-evitação nos domínios atividades físicas e trabalho. Esses resultados despertam a necessidade da implementação de práticas mais atuais na abordagem de pacientes com DL crônica.

Palavras-chave: Lombalgia; Repouso; Licença Médica.


1 Curso de Graduação em Fisioterapia, Departamento de Fisioterapia, Montes Claros, MG.

AEROBIC EXERCISE TRAINING IN TEMPERATE OR HOT ENVIRONMENTS SIMILARLY IMPROVES PERFORMANCE AND INDUCES A FAST TO SLOW FIBER TYPE SHIFT

ZANETTI, Gustavo O.1@; PESSOA, Pedro W. M.1; VIEIRA, Tales S.1; BARBOSA, Nicolas H. S.1; GARCIA, Rodrigo1; WANNER, Samuel P.1; SOARES, Danusa D.1; GONÇALVES, Dawit A. P.1,2; MORGAN, Henrique J. N.3; SCHAVINSKI, Aline Z.3; HECK, Lilian C.3; NAVEGANTES, Luiz C.3; KETTELHUT, Isis D.4.

@Autor correspondente: Gustavo Oliveira Zanetti. E-mail: goliveirazanetti@gmail.com.

Introduction: Heat (H; ≥32°C) stress acutely worsens aerobic performance. However, H has emerged as a potential therapy to modulate muscle metabolism inducing aerobic phenotype and it is unknown the effects of training in this condition for long periods (> 4weeks) on muscle fiber type and trophism and intracellular pathways regulating muscle phenotype. Objective: To evaluate the morphological, metabolic and molecular adaptations in skeletal muscle induced by long-term aerobic physical training (APT) in H. Methods: Adult, male Swiss mice (40g) were divided in: 1) Sedentary (SED) mice kept in the temperate (T) environment (22°C;SED/T), 2) SED kept in H (32°C;SED/H), 3) mice trained (TRA) in treadmill (1h/day, 5days/week, 8weeks, 60% of maximum speed (Smax)) in T (TRA/T), and 4) TRA in H (TRA/H). All groups performed incremental load tests in T and H before (pre-training) and after 4 and 8 weeks of training. The liver and muscle glycogen content were measured by Anthrone method and mitochondrial activity. Muscle fiber types were determined by analyzing SDH activity and myosin-heavy chain (MyHC) isoforms by immunofluorescence techniques in histological slices. The content and activity of muscle proteins involved in protein synthesis/degradation (Akt/FoxO) and energy metabolism (AMPK-p38/PGC1α) were quantified by western blot (WB). All experimental procedures were approved by the Ethics Committee on the Use of Animals – CEUA-UFMG (220/2019). Results: In pre-training period, H impaired performance by reducing (~30%) SMAX. After 8weeks, although TRA/H exercised at a lower (26%) absolute intensity than TRA/T, SMAX were similarly increased (~22%) in both TRA groups compared with SED/T. The liver glycogen content also increased by ~34% in the TRA/T, TRA/H and SED/H groups when compared to SED/T. The skeletal muscle SDH activity increased ~9% in both TRA groups when compared with SED/T. SED/H group increased (~15%) cross sectional area (CSA) of oxidative fibers with no additional effects of TRA. The protein content of slow (type 1) and fast (type 2) MyHC by WB did not change in any condition, but % of type 2A fibers was higher (~16%) in both TRA groups than in SED/T group. The protein content of mitochondrial oxidative phosphorylation complexes (OxPhos) as well as mitochondrial membrane (TOM20) and the intracellular regulators of these organelles and oxidative fiber phenotype (i.e., AMPK-p38/PGC1α and TFEB) were not altered in any group. Molecular analysis revealed that TRA/H group reduced the content of FoxO1 (~30%; an inducer of protein degradation and energy metabolism and an inhibitor of angiogenesis). Conclusion: Although exercise in H is performed at a lower absolute intensity, training in both environments similarly improved performance and increased the proportion of type 2A fibers, the activity of the mitochondrial enzyme SDH, and the hepatic content of glycogen. Thus, the similar improvement in physical performance of TRA in H and T appears to be due to a change in fiber type to a more oxidative phenotype. Furthermore, training in H could be used as a therapeutic approach to manage patients who were unable to perform moderate-high intensity exercise (i.e., obese and muscle-joint injured recovery) due to mechanical overload.

Keywords: Mitochondria; Heat stress; Skeletal muscle metabolism; mitochondria; signaling pathways.

Supported by FAPEMIG (APQ-01268-2), PRPq/UFMG (27764*27) and CNPq/PROANTAR (442645/2018-0)


1 Exercise Physiology Laboratory, School of Physical Education, Physiotherapy and Occupational Therapy, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG, Brazil.

2 Sports Training Center, School of Physical Education, Physiotherapy and Occupational Therapy, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG, Brazil.

3 Department of Physiology, Ribeirão Preto Medical School, University of São Paulo, Ribeirão Preto, SP, Brazil.

4 Departments Biochemistry & Immunology, Ribeirão Preto Medical School, University of São Paulo, Ribeirão Preto, SP, Brazil.

ALTERAÇÕES EPIGENÉTICAS E NEUROINFLAMATÓRIAS EM PROLE MASCULINA COM COMPORTAMENTO SEMELHANTE AO AUTISMO DECORRENTE DA OBESIDADE MATERNA

DE NOVAIS, C. O.1@; ROJAS, V. C. T.1; DA SILVA, R. A.2; GIUSTI-PAIVA, A.1; VILELA, F. C.3.

@Autor correspondente: Cintia O. de Novais. cintia.novais@sou.unifal-mg.edu.br.

Introdução: A obesidade é uma doença inflamatória crônica que está associada ao desenvolvimento de várias comorbidades. Estudos vêm demonstrando a relação entre a obesidade materna e prejuízos no neurodesenvolvimento dos descendentes, sendo que um dos transtornos do neurodesenvolvimento mais comum é o Transtorno do Espectro Autista (TEA). Estudo anterior do nosso grupo demonstrou que a obesidade materna induzida por redução de ninhada induziu alterações comportamentais semelhantes ao TEA principalmente na prole masculina, porém os mecanismos associados com essas alterações ainda não foram elucidados. Objetivo: Investigar em filhotes machos os mecanismos epigenéticos e neuroinflamatórios associados com os sintomas semelhantes ao TEA decorrentes da obesidade materna. Método: Utilizamos a redução de ninhada (NNG1: 6 machos e 6 fêmeas; NRG1: 2 machos e 2 fêmeas) em ratos Wistar para gerar a obesidade precoce. Na prole masculina (G2) foi avaliada: o comportamento de brincar e o reconhecimento de objetos durante o período juvenil (PND28-PND32) para caracterizar os sintomas semelhantes ao TEA. Ao final dos testes comportamentais, os animais foram eutanasiados e estruturas encefálicas, córtex pré-frontal (CPF) e hipocampo (HIPO) dissecados para procedimentos epigenéticos, como a quantificação da expressão do repressor transcricional REST e das enzimas que metilam e desmetilam o DNA através da PCR e para avaliar a quantidade de GFAP, uma proteína marcadora de astrócito por Western Blotting. Os resultados obtidos foram expressos como média ± E.P.M e analisados por teste t de Student. Todos os experimentos foram conduzidos com aprovação do Comitê de Ética de Uso de Animais (26/2021). Resultados: Referente ao comportamento, observamos uma redução no tempo total de brincadeira (116.9±15,73 para 59,50±27.69s, p<0,01) e no índice de reconhecimento de objetos no tempo de 2h (0,58±0,05 para 0,35±0,05, p<0,05). Referentes as análises epigenética, foi observada uma redução na expressão do REST tanto no CPF (1,02±0,09 para 0,53±0,05, p<0,01), quanto no HIPO (1,03±0,09 para 0,36±0,11, p<0,01) e um desbalanço epigenético nas enzimas que metilam e desmetilam o DNA, com uma redução no CPF (DNMT1: 1,03± 0,10 para 0,70± 0,05, p<0,05; DNMT3B: 1,07±0,15 para 0,86, p<0,01; e no HIPO (DNMT3A: 1,11±0,17 para 0,45±0,07, p<0,05) e um aumento no HIPO (TET2: 1,01±0,05 para 6,99±1,90, p<0,01). Nesses animais também foi observado uma maior quantidade de astrócito (GFAP) tanto no CPF (100,0±15,29 para 143,9±9,85, p<0,05) quanto no HIPO (96,91±11,27 para 153,0±19,86, p<0,05) quando comparados aos machos filhos de mães NN. Conclusão: A obesidade materna induz comportamentos semelhantes ao TEA e provoca alterações epigenéticas e neuroinflamatórias na prole masculina.

Palavras-chave: Sistema nervoso central; Dano ao DNA, Neuroinflamação.

Apoio financeiro: CAPES, CNPQ e Fapemig.


1 Programa de Pós-Graduação Multicêntrico em Ciências Fisiológicas, Alfenas, MG.

2 Programa de Patologia Ambiental e Experimental da Universidade Paulista UNIP, São Paulo, SP.

3 Programa de Pós-Graduação em Biociências Aplicadas à Saúde, Alfenas, MG.

ANÁLISE DA CONDIÇÃO DE SAÚDE BUCAL E FATORES ASSOCIADOS DE IDOSOS ATIVOS EM GOVERNADOR VALADARES-MINAS GERAIS

RIBEIRO, Camilla Sthéfany do Carmo1@; CARVALHO, Rodrigo Furtado2; SALAS, Mabel Miluska Suca3; SILVA, Clarice Lima Alvares4; LEMOS, Cleidiel Aparecido Araújo5.

@Autor correspondente: Camilla Sthéfany do Carmo Ribeiro. camillascr97@gmail.com.

Introdução: O número de idosos tem crescido e estudos demonstram que problemas de saúde bucal podem influenciar a saúde e funcionalidades gerais, causando estado de dor e sofrimento, e prejudicando processos funcionais, estéticos e nutricionais, estando relacionada na terceira idade com o bem estar e a satisfação com a vida. No entanto existem poucas pesquisas sobre saúde oral e envelhecimento ativo. Objetivo: Analisar as condições de saúde oral de idosos ativos residentes em Governador Valadares-MG. Método: A coleta de dados foi realizada por avaliadores calibrados através de oficinas de 32 horas. Os dados foram coletados por meio de questionário e exame clínico bucal, realizado sob luz natural em cadeira comum utilizando sonda e espelho. Foram selecionados 64 idosos que faziam parte de 7 diferentes estratégias de saúde com o objetivo de garantir uma maior diversidade das variáveis. A análise estatística foi realizada através do Stata® versão 13.0 (Stata Corp. College Station, Estados Unidos). Resultados: Dos 64 idosos que participaram, a maioria do sexo feminino (64,06%), e a média de idade foi de 68,37 anos. A maioria dos participantes tinha renda entre 1 a 3 salários mínimos (51,56%) e nível de escolaridade até o fundamental incompleto (54,69%). Quanto à avaliação de saúde geral, mais da metade da amostra autorreferiram como regular (56,35%). Quanto à satisfação com o sorriso, a maioria da amostra estava satisfeita ou muito satisfeita (65,63%). Quando abordados sobre eficiência mastigatória, 60,94% da amostra relatou eficiência mastigatória boa ou muito boa e 67,19% da amostra estavam satisfeitos ou muito satisfeitos com a qualidade da alimentação. O índice de CPOD médio foi de 23,25± 7,99, sendo perda dentária a condição mais comum. A presença de cálculo dentário apresentou maior prevalência no sextante inferior central. A maior parte da amostra usava prótese superior/inferior, sendo prótese total removível a mais usada na arcada superior (45,31%) e prótese parcial removível (21,28%). Associações positivas foram encontradas entre escolaridade e CPOD (p=0, 0277) e instruções de higiene (p= 0,032). Associação entre o índice CPOD e apoio social foi estatisticamente significativa, no que se refere à convivência com outras pessoas (p= 0,003). Houve correlação entre satisfação com o sorriso e avaliação de saúde geral (p=0,004). Conclusão: A saúde oral de idosos ativos de Governador Valadares-MG é precária com alta prevalência de perdas dentárias, uso e necessidade de prótese. Constatou-se que a saúde oral pode influenciar na qualidade de vida dos idosos ativos e no processo de envelhecimento ativo, uma vez que associações significativas foram encontradas entre: CPOD e convivência com outras pessoas; satisfação com o sorriso e autoavaliação de saúde geral; escolaridade e CPOD e ao recebimento de informações acerca da saúde oral.

Palavras-chave: Idosos; Envelhecimento Ativo; Saúde oral.


1 Curso de Graduação em Odontologia, Departamento de Odontologia, Governador Valadares, MG.

2 Professor de Graduação, Departamento de Odontologia, Universidade Federal de Juiz de Fora- Campus Governador Valadares, Governador Valadares, MG.

3 Professora de Graduação, Departamento de Odontologia ,Universidade Federal de Juiz de Fora- Campus Governador Valadares, Governador Valadares, MG.

4 Professora de Graduação, Departamento de Odontologia, Universidade Federal de Juiz de Fora- Campus Governador Valadares, Governador Valadares, MG.

5 Professor de Graduação, Departamento de Odontologia, Universidade Federal de Juiz de Fora- Campus Governador Valadares, Governador Valadares, MG.

ANÁLISE DA ORTOLOGIA DE ADESINAS DE CEPAS DE Candida auris

SOUZA, Josiany Costa C.1@; PADOVAN, Ana Carolina Barbosa2.

@Autor correspondente: Josiany Costa C. Souza. cjosiany@gmail.com.

Introdução: Adesinas fúngicas são complexos proteicos responsáveis pelo processo de adesão em superfícies bióticas e abióticas, pela interação que biofilmes tem com substratos e também pelas modificações na morfologia da colônia fúngica, denotando características únicas no processo de infecção. Candida auris é uma levedura patogênica emergente, responsável por causar diversas infecções fúngicas. Ela apresenta altos níveis de infecção e resistência a mais de uma classe de antifúngicos, como também, a produtos de descontaminação. A colonização pode-se iniciar na pele e em outros sítios do corpo e persiste por muito tempo, favorecendo a contaminação dos ambientes pelo fungo. Apesar de sua identificação primária ter sido em 2009 no Japão, C. auris tem evoluído e se espalhado, chegando ao Brasil em um surto em Salvador em 2020. Existem atualmente cinco grupos ou clados que divergiram em regiões diferentes do mundo e que apresentam características de virulência e resistência distintos. Contudo, pouco se sabe sobre as diferenças de adesinas nesses grupos. Objetivo: Nesse sentido, o presente trabalho objetivou descrever adesinas de C.auris presentes em três clados evolutivos apresentando a ortologia existente entre elas. Método: Foram realizadas análises in sílico de proteomas obtidos do NCBI-GenBank de C. auris B8441 (clado I, Paquistão), B11221 (clado III, Africa do Sul) e B11245 (clado IV, Venezuela) sendo este último, encontrado também no Brasil. Os proteomas foram analisados no FungalRV (https://fungalrv.igib.res.in/) para buscas por adesinas. As adesinas preditas foram analisadas na ferramenta OrhoFinder para verificar a ortologia. Resultados: Os protemas extraídos do NCBI tiveram, respectivamente, a quantidade de 5.419, 5.521 e 5.506 proteínas nos clados I, III e IV. Desses, o FungalRV resultou como adesinas 112 (2%) proteínas no clado I, 113 (2%) no clado III e 127 (2,3%) no clado IV. O OrhoFinder mostrou que 321 adesinas são ortólogas, com a formação de 100 grupos ortólogos, sendo 82 deles com adesinas semelhantes entre os três clados. O maior grupo contém 17 adesinas (6 representantes do clado I, 6 do clado III e 5 do clado IV). Já o menor grupo, com 2 adesinas possuía 1 representante do clado I e 1 do IV. As análises ainda mostraram 3 adesinas únicas não-ortólogas nos clados I e III, e 25 adesinas no clado IV, o mais diverso. Estudos apontam que os clados I, III e IV são os mais resistentes e com difícil controle em todo o mundo, além disso esses três clados dispõem de alta resistência aos azólicos e equinocandinas, enquanto o clado I e IV são resistentes a fluconazol e a anfotericina B. Conclusão: Observa-se a necessidade de conhecer as adesinas desse patógeno emergente, tendo em vista o alto número de compartilhamento de adesinas ortólogas, bem como conhecer mais sobre as adesinas únicas no clado IV, que é responsável por surtos no nordeste do Brasil e pode se espalhar pelo país. Dessa forma, será mais efetiva a aplicação de medidas mitigadoras com a finalidade de promover o controle de surtos desse fungo resistente principalmente em unidades hospitalares ao qual as pessoas ficam expostas.

Palavras-chave: Levedura emergente; Clado; Proteoma.


1 Doutoranda, Programa de Pós Graduação em Biologia de Fungos pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Departamento de Micologia (UFPE), Recife, PE.

2 Orientadora, Programa de Pós Graduação em Biologia de Fungos, Universidade Federal de Pernambuco (UFPE); Universidade Federal de Alfenas (UNIFAL-MG), Inst. Ciências Biomédicas, Departamento de Microbiologia e Imunologia, Alfenas, MG.

ANÁLISE DO ENVELHECIMENTO DE MEMBRANAS DE BORRACHA NATURAL INCORPORADAS COM EXTRATO DE COPAIFERA OBLONGIFOLIA

HOCHBERGER, Luana Caroline1@; MARQUES-JÚNIOR, Jair1; GAMA, Loyane Almeida2; AMÉRICO, Madileine Francely2; SOUZA, Nara Cristina de2; SOUTO, Paula Cristina de Souza1,2.

@Autor correspondente: Luana Caroline Hochberger. hochbergerluana@gmail.com.

Introdução: Os biomateriais, na medicina regenerativa, estão sendo estudados como substitutos ou como indutores do reestabelecimento da estrutura e função de tecidos ou órgãos danificados. Dentre os biomateriais de origem vegetal, o látex de Hevea brasiliensis (borracha natural) vem se destacando por ser um material biodegradável, biocompatível, elástico e com capacidade de promover angiogênese. Outro biomaterial que pode ser utilizado na medicina regenerativa é o extrato de frutos de copaíba. Os frutos de Copaifera oblongifolia (copaíba) possuem efeitos terapêuticos devido a presença de diterpenos, sesquiterpenos β-cariofileno. Dentre esses efeitos pode se destacar ações cicatrizantes, anti-inflamatórias, antitumorais e antioxidante. Assim, curativos provenientes da associação de borracha natural com extrato copaíba são um material promissor, pois combinam propriedades dos dois ativos melhorando o processo de cicatrização de lesões de difícil cicatrização. Objetivo: Avaliar o processo de envelhecimento de membranas de borracha natural com copaíba (NRC) submetidas a condições controladas de tempo, luminosidade e presença de oxigênio. Método: O látex foi coletado utilizando o método de “sangria” em espiral no município de Pontal do Araguaia MT e estabilizado com hidróxido de amônio 4%. Os frutos de copaíba foram coletados e foi realizada a técnica de extração por rotaevaporação. As membranas de borracha natural incorporadas com copaíba (NRC) foram polimerizadas em estufa na temperatura 40°C durante 48h (Tempo zero), calculou-se o índice de borracha seca (DRC). As membranas foram divididas em grupos: membranas embaladas que ficaram na presença ou ausência de luz, sendo as embaladas à vácuo e sem vácuo, durante 30, 60 e 90 dias, posteriormente foram analisadas através da técnica de espectroscopia de infravermelho (FT-IR) para analisar os constituintes químicos, microscopia de varredura (MEV) para analisar morfologia de superfície das membranas, molhabilidade e atividade antioxidante. Resultados: Os aspectos macroscópicos foram analisados e as membranas apresentaram características translucidas e flexíveis tanto as do tempo zero como as do período de envelhecimento. Os testes de molhabilidade indicaram que as membranas permaneceram hidrofílicas independente da condição de armazenamento. Os resultados de FT-IR mostraram que as membranas mantiveram as estruturas típicas de poli- cis-1,4-isopreno, com a incorporação do extrato de copaíba na matriz polimérica de NR ocorreu apenas a mudança na intensidade das bandas não houve o surgimento de novas bandas, sendo assim, um indicativo de interação entre dois materiais e esta característica se manteve durante o período de envelhecimento. Nas análises por microscopia eletrônica de varredura, não houveram alteração na morfologia das membranas. Em todas as membranas analisadas não foram observados poros em sua morfologia, apenas partículas de borracha e agregados de partículas de copaíba dispersas na matriz polimérica. As membranas NRC apresentaram atividade antioxidante mesmo após 90 dias, sendo os valores deste grupo bem semelhantes aos valores encontrados para as membranas do tempo zero. Conclusão: Diante dos resultados obtidos membranas de NRC é um material promissor para o tratamento de lesões de pele de difícil tratamento, como a queimadura e apresentam-se estáveis, pois mantiveram as características químicas, morfológicas e antioxidante no decorrer do tempo envelhecimento.

Palavras-chave: Borracha natural; Copaíba; Envelhecimento.


1 Programa de Pós-Graduação em Ciências de Materiais, Instituto de Ciências Exatas e da Terra, Universidade Federal de Mato Grosso, Barra do Garças, MT.

2 Programa de Pós-Graduação em Imunologia e Parasitologia Básicas e Aplicadas, Instituto de Ciências Biológicas e da Saúde, Universidade Federal de Mato Grosso, Barra do Garças, MT.

ANÁLISE DO POLIMORFISMO rs4646437 DO GENE CYP3A4 EM PACIENTES COM CÂNCER DE BEXIGA E INDIVÍDUOS CONTROLES

SILVA, Isabely Mayara1@; KAWASAKI, Julia Ayumi Ikeda1; RODRIGUES, Milene Roldão de Souza1; PINHEIRO, Laís Capelasso Lucas1; GUEMBAROVSKI, Roberta Losi1; BARCELOS, Gustavo Rafael Mazzaron2; CÓLUS, Ilce Mara de Syllos1; SERPELONI, Juliana Mara1.

@Autor correspondente: Isabely Mayara Silva. isabely.silva20@uel.br.

Introdução: O câncer de bexiga (CaB) é a neoplasia mais comum em órgãos do sistema urinário. Ele acomete ambos os sexos, porém, em homens a ocorrência desse câncer é 4 vezes maior que nas mulheres. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA) brasileiro, cerca de 10.600 novos casos foram diagnosticados em 2020 no país. Neste contexto, o estudo de fatores que influenciam no CaB é importante para a identificação de indivíduos mais suscetíveis à doença, bem como a tumores de pior prognóstico ou com maiores chances de recidiva. A proteína CYP3A4, codificada pelo gene homônimo, é responsável pela metabolização de compostos endógenos e exógenos, participando das reações de oxidação na fase I do metabolismo de drogas. Variantes polimórficas nesse gene podem resultar em indivíduos com diferentes capacidades de metabolização de xenobióticos. Objetivo: Dentro deste contexto, o presente estudo teve como objetivo analisar a frequência da variante polimórfica rs4646437 (G>A) do gene CYP3A4 em pacientes com CaB e compará-la com as frequências de indivíduos controles, bem como associar os resultados dos pacientes com hábito tabagista, exposição a agrotóxicos e tipo histológico de tumor (invasivo ou não invasivo ao músculo). Método: Foram genotipados 268 pacientes e 215 controles por meio da técnica de PCR em tempo real utilizando sonda TaqMan®. Todos os indivíduos participaram de forma voluntária, assinaram um termo de consentimento livre e esclarecido e preencheram questionário pessoal. As análises estatísticas empregadas foram regressões logísticas multinominais para avaliar o impacto do polimorfismo rs4646437 do gene CYP3A4, sobre a incidência ou não de CaB, ajustados para as variáveis sexo, hábito tabagista, exposição a agrotóxicos e tipo histológico do tumor. Os resultados foram analisados por meio do programa IBM SPSS Statistics 23. Resultados: Para o genótipo prevalente GG foram encontradas as frequências de 67,2% em pacientes e 66,2% nos indivíduos controle. A frequência de indivíduos heterozigotos foi de 25% em pacientes e 29,2% nos controles, enquanto os homozigotos raros (AA) foram 7,8% e 4,2% em pacientes e controles, respectivamente. Os resultados obtidos por regressão logística múltipla, ajustada por sexo, hábito tabagista, exposição a agrotóxicos e tipo histológico do tumor não evidenciaram nenhuma associação significativa com a variante alélica (p>0,050). Conclusão: Considerando a amostra de pacientes e controles analisada até o momento, os resultados sugerem que o polimorfismo rs4646437 parece não conferir suscetibilidade ao desenvolvimento ou ao prognóstico do câncer de bexiga. Entretanto, nosso grupo de pesquisa está trabalhando para ampliar o número amostral de pacientes (até N=300), bem como parear, na totalidade, por sexo e idade controles e pacientes, o que pode, futuramente, indicar algum papel para o gene CYP3A4 nesta neoplasia maligna.

Palavras-chave: Neoplasia; suscetibilidade; sistema urinário.


1 Programa de Pós-Graduação em Genética e Biologia Molecular, Departamento de Biologia Geral, Universidade Estadual de Londrina, Londrina, PR.

2 Universidade Federal de São Paulo, Santos, SP.

ANÁLISE DO POLIMORFISMO RS25487 NO GENE XRCC1 EM PACIENTES COM CÂNCER DE BEXIGA

RODRIGUES, Milene Roldão de Souza1@; SILVA, Isabely Mayara1; GUEMBAROVSKI, Roberta Losi1; BARCELOS, Gustavo Rafael Mazzaron2; CÓLUS, Ilce Mara de Syllos1; SERPELONI, Juliana Mara1.

@Autor correspondente: Milene Roldão de Souza Rodrigues. mileneroldao@gmail.com.

Introdução: O câncer de bexiga (CaB) aparece entre os 10 mais prevalentes no mundo, apresentando taxas de incidência e mortalidade que variam de acordo com seus principais fatores de risco, como sexo, hábito tabagista e exposição ocupacional. Apesar de sua alta incidência, o diagnóstico precoce da doença, é, por vezes, bastante limitado, devido aos sintomas serem pouco específicos. Além disso, os métodos diagnósticos são limitados à baixa sensibilidade ou a técnicas invasivas, como a cistoscopia. Sendo assim, faz-se necessária a busca por biomarcadores menos invasivos e que possam predizer suscetibilidade e/ou prognóstico de pacientes com essa neoplasia maligna. Objetivo: O presente estudo teve como objetivo avaliar a possível associação entre o polimorfismo rs25487 (C/T), localizado no gene X-Ray Repair Cross Complementing 1 (XRCC1) e a suscetibilidade ao CaB. Método: Foram analisados 277 pacientes e 238 indivíduos livres da doença, pareados de acordo com sexo, idade e hábito tabagista. A genotipagem foi realizada por PCR em tempo real utilizando sonda Taqman. A associação foi calculada por Odds Ratio (OR) com intervalo de confiança de 95%, obtida por regressão logística univariada por meio do programa IBM SPSS Statistics 23. Resultados: Para o genótipo prevalente CC foi observada a frequência de 47,7% nos pacientes e 37,3% nos controles. A frequência de heterozigotos (CT) foi de 44,2% nos pacientes e 38,7% nos controles, enquanto os homozigotos raros (TT) foram 6,0% e 7,7% em pacientes e controles, respectivamente. Nenhum resultado significativo foi observado em relação aos genótipos CT [OR = 0,607 (0,31-1,20) p=0.151] e TT [OR = 0,680 (0,34-1,35) p=0.268] e a suscetibilidade ao CaB. Conclusão: Na presente amostra, o polimorfismo rs25487 não se mostrou como um marcador candidato de suscetibilidade ao CaB. No entanto, o número amostral tanto de pacientes como de controles pareados está sendo aumentado, o que poderá indicar diferentes associações, bem como aumentar as informações sobre o papel do gene XRCC1 na neoplasia maligna da bexiga.

Palavras-chave: variante alélica; neoplasia maligna de bexiga; suscetibilidade.


1 Programa de Pós-Graduação em Genética e Biologia Molecular, Departamento de Biologia Geral, Universidade Estadual de Londrina, Londrina, PR.

2 Universidade Federal de São Paulo, Santos, SP.

ANÁLISE INTEGRATIVA DOS DADOS MULTIÔMICOS DE DOS CÂNCERES DE PRÓSTATA E MAMA

CAMPOLINO, Luana1@; PORTELA, Luiz2; FERREIRA, Marcel3; FIORETTO, Matheus²; CAMARGO, Ana Carolina²; SILVA, Patricia ²; RIBEIRO, Isabelle²; SANTOS, Sergio²; JUSTULIN JR, Luís².

@Autor correspondente: Luana Campolino. luana.campolino@unesp.br.

Introdução: Nos últimos anos vendo observado um aumento significativo da incidência de cânceres na população mundial, tendo correlação com dieta rica em alimentos ultra processados, sedentarismo, tabagismo, poluição, aumento da expectativa de vida e adversidades durante o desenvolvimento embrionário. Os mais recorrentes são os cânceres de próstata (CaP) e mama (CaM) em homens e mulheres, respectivamente, excluindo câncer de pele não-melanoma, tornando-se um problema de saúde pública e afetando a qualidade de vida dos portadores da neoplasia. A próstata e a mama são glândulas acessórias do sistema genital e sua homeostase e processos patológicos estão sob controle hormonal. Sabe-se que CaP e CaM apresentam certa similaridade em mecanismo genéticos e epigenéticos que vão desde a morfogênese, até a progressão tumoral. Há na literatura descrição de moléculas e vias de sinalização compartilhadas entre os canceres de próstata e mama. No entanto, mesmo com o advento das multiômicas, não trabalhos integrando perfis globais de eventos genéticos e epigenéticos (metilação, mRNA e miRNA) que contribuem para a carcinogênese dos tecidos reprodutivos, sendo assim, nesse trabalho buscamos compreender estes mecanismos e identificar potenciais alvos terapêuticos. Objetivo: Identificar mecanismos genéticos e epigenéticos, que estão comumente desregulados nos CaP e CaM, buscando identificar assinaturas epigenéticas, vias moleculares e potenciais alvos terapêuticos que sejam responsivos a tratamentos. Método: Para isso, foram utilizados dados de sequenciamento de última geração de mRNA, miRNA e metilação de DNA, advindos do The Cancer Genome Atlas (TCGA), dos estudos de adenocarcinoma prostático (PRAD-TCGA, 498 amostras tumorais e 52 controle) e carcinoma de mama invasivo (BRCA-TCGA, 1085 amostras tumorais e 112 controle). Foram considerados diferencialmente expressos (DE) mRNAs e miRNAs cujo log2 de fold change > |±1| e FDR > 0,01. Os dados globais de metilação foram considerados diferencialmente metilados com β-value > |±0,25| e FDR > 0,01. Foram integrados dados de miRNA- mRNA de CaP e CaM na plataforma miRWalk 3.0. As integrações metilação-mRNA foram realizadas a partir da correlação entre Log2 de fold change e βvalue Resultados: . Dados de CaP mostraram 3.007 genes DE (2326 down e 681 up), 177 miRNAs DE (34 down e 143 up), e 12.146 regiões metiladas (2.584 hipo e 9.562 hipermetiladas). Foram identificados 3.556 genes DE no CaM (2.138 down e 1.418 up), 372 miRNAs DE (107 down e 265 up) e 12.962 regiões metiladas (5.477 hipo e 7.485 hiper). CaP e CaM demonstraram 1.325 genes em comum (1.047 down e 278 up). 78 miRNAs foram comumente desregulados (7 down e 71 up), com 3.594 regiões metiladas (725 hipo e 2.869 hiper). A integração entre miRNAs e mRNAs validados reportaram 8 miRNAs regulando 9 mRNAs; e a integração entre a metilação e os mRNAs mostraram 229 genes down regulados com hipermetilação no DNA e 7 genes up regulados com hipometilação. Conclusão: Assim os nossos dados, ainda que preliminares, sugerem potenciais mecanismos genéticos e epigenéticos como assinaturas dos cânceres de próstata e mama, podendo ser alvos terapêuticos.

Palavras-chave: Reprodução; Câncer; Multiômicas; TCGA.

Financiamento: FAPESP.


1 Graduanda em Enfermagem pela Faculdade de Medicina de Botucatu; Universidade Estadual Paulista ´´Júlio de Mesquita Filho´´.

2 Laboratório de Biologia do desenvolvimento e multiômica, Departamento de Biologia Estrutural e Funcional: Setor morfologia; Instituto de Biociências de Botucatu; Universidade Estadual Paulista ´´Júlio de Mesquita Filho´´.

3 Laboratório de Bioensaios e Dinâmica Celular; Departamento de Ciências Químicas e Biológicas: Setor: Química e bioquímica; Instituto de Biociências de Botucatu; Universidade Estadual Paulista ´´Júlio de Mesquita Filho´´.

APLICAÇÃO DA TÉCNICA DE AMPLIFICAÇÃO ISOTÉRMICA DE DNA MEDIADA POR LOOP (LAMP) EM ISOLADOS DE Candida spp.

HERTER, Amanda1,2,3@; SCHIRMER, Helena2; SEVERO, Cecília B.2; MATTEVI, Vanessa S.1,3.

@Autor correspondente: Amanda Herter. amandahe@ufcspa.edu.br.

Introdução: A prevalência das doenças invasivas com elevadas taxas de mortalidade causadas por fungos oportunistas tem aumentado, sendo o gênero Candida o principal agente etiológico. O diagnóstico laboratorial destas infecções permanece difícil e demorado, o que impede o tratamento adequado, principalmente em pacientes de alto risco. A técnica de amplificação isotérmica de DNA mediada por loop (LAMP) se apresenta como uma alternativa promissora ao diagnóstico convencional por ser rápida, precisa e de baixo custo. Objetivo: Avaliar a eficácia da metodologia de LAMP na detecção de isolados de Candida spp. Método: A técnica de LAMP foi aplicada em 94 isolados de Candida spp. provenientes da micoteca do Laboratório de Micologia da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre: C. albicans (n=20), C. glabrata (n=20), C. tropicalis (n=20), C. parapsilosis (n=16), C. orthopsilosis (n=16) e C. metapsilosis (n=2). Inicialmente, uma suspensão fúngica (concentração de 0.5 McFarland) de cada isolado foi fervida com a resina Chelex 100. Em seguida, procedeu-se a reação de LAMP, utilizando o kit WarmStart Colorimetric LAMP 2x Master Mix (DNA&RNA) da New England Biolabs, com protocolo adaptado para volume final de reação de 10 μL. Um conjunto de cinco a seis primers específicos para cada espécie analisada foi produzido conforme referências da bibliografia. Para controle de especificidade, além das espécies estudadas, utilizou-se isolados de C. krusei, C. auris, Cryptococcus spp. E Rodothorula spp. Resultados: A especificidade da técnica de LAMP para todas as espécies de Candida spp. foi de 100%. A sensibilidade diagnóstica para 40 minutos de reação variou entre 75% (para C. tropicalis) e 100% (para C. metapsilosis), dependendo da espécie. Já a sensibilidade analítica (limite de detecção) foi de 100 pg / μL de DNA. Conclusão: Este estudo contribui para as áreas de diagnóstico, pesquisa e inovação. A técnica de LAMP demonstrou ser eficaz na identificação das diferentes espécies de Candida, apresentando ótimos resultados de sensibilidade e especificidade. Estes resultados indicam que a metodologia pode ser estudada para outros microrganismos, podendo ser utilizada para fins de inovação nos setores de diagnóstico e de biotecnologia, bem como aplicada na área de pesquisa em diversas frentes. Além disso, considerando a facilidade da técnica, bem como seu baixo custo, os resultados obtidos até aqui sugerem a viabilidade de sua implantação em laboratórios pequenos e que dispõem de poucos recursos (apenas um banho-maria é suficiente para sua execução). Por fim, pretende-se, ainda, analisar o desempenho do LAMP diretamente em amostras clínicas.

Palavras-chave: Candida; Técnica de LAMP; Diagnóstico.


1 Programa de Pós-Graduação em Biociências, Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre, Porto Alegre, RS.

2 Laboratório de Micologia, Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre, Porto Alegre, RS.

3 Laboratório de Biologia Molecular, Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre, Porto Alegre, RS.

APRENDIZADO DE MÁQUINA E “SOFTWARE” OPEN-SOURCE NA ELABORAÇÃO DE RECONSTRUÇÕES TRIDIMENSIONAIS PARA O ESTUDO DE NEURÔNIOS HUMANOS E ESPINHOS DENDRÍTICOS

RENNER, Josué1@; KNAK GUERRA, Kétlyn T.2; VÁSQUEZ, Carlos E. 2; RASIA FILHO, Alberto A.1,2.

@Autor correspondente: Josué Renner. josuere@ufcspa.edu.br.

A descrição da estrutura tridimensional (3D) do corpo neuronal, da ramificação dendrítica e dos espinhos dendríticos dos neurônios é essencial para a compreensão de como ocorre o processamento de informações no sistema nervoso ao longo da filogenia, mormente à complexidade que existe no ser humano. Frequentemente, esses componentes da estrutura neuronal apresentam conformações espaciais múltiplas, tornando necessária a elaboração de reconstruções 3D digitais para estudos morfológicos mais detalhados e precisos. A elaboração dessas reconstruções é, no entanto, desafiadora devido às questões relacionadas com a disponibilidade de “software” e com a complexidade do tecido nervoso e dificuldades técnicas inerentes ao processamento histológico de amostras postmortem humanas. O presente trabalho teve como objetivo aplicar e desenvolver procedimentos de reconstrução 3D a fim de estudar a forma de neurônios humanos e seus espinhos dendríticos impregnados pela técnica de Golgi sob microscopia óptica de campo claro. A partir de imagens de microscopia de luz capturadas sequencialmente ao longo do eixo espacial ‘z’, o “software” open-source Neuromantic foi utilizado para a elaboração de reconstruções 3D e obtenção de dados morfométricos dos corpos celulares e ramificações dendríticas dos neurônios de von Economo presentes no córtex cingulado anterior e de neurônios com corpo celular fusiforme no pré-cúneo humanos. Para o estudo da presença, distribuição, número e diferentes formas dos espinhos dendríticos desses neurônios, reconstruções 3D foram feitas com algoritmo computacional na plataforma comercial MATLAB® com imagens microscópicas de maior aumento. De modo a evitar o uso adicional de “software” comercial, por causa de altos custos impeditivos e menor acesso a todos os pesquisadores, a presente pesquisa também objetivou desenvolver um método adicional, simples, acessível e confiável para a reconstrução 3D de espinhos dendríticos com “software” gratuito. Para isso, utilizouse o “software” open-source ilastik, que emprega algoritmos de aprendizado supervisionado de máquina para a segmentação de imagens. Esse novo método foi aplicado para a composição de reconstruções 3D dos espinhos dendríticos de neurônios do núcleo cortical do complexo amigdaloide humano, mas pode ser utilizado a priori em diversas outras áreas nervosas igualmente. As ferramentas computacionais que permitiram a elaboração das reconstruções 3D geraram dados morfológicos imprescindíveis sobre a forma do soma, orientação espacial dos ramos dendríticos nos três eixos espaciais e da presença, distribuição, número e forma diversa dos espinhos dendríticos dos neurônios estudados. Neurônios corticais e subcorticais humanos (e de outros animais) podem ser reconstruídos para estudos ontogenéticos, filogenéticos e hodológicos em cada área de interesse e/ou tipo neuronal relevante bem como para a investigação de alterações morfológicas de estruturas neuronais em doenças neurológicas e psiquiátricas. Por utilizar “software” que estão gratuitamente disponíveis para download e uso, o presente trabalho disponibiliza como realizar tais estudos e viabiliza o desenvolvimento de pesquisas nas quais as reconstruções 3D neuronais tornam-se acessíveis, mesmo com poucos recursos disponíveis, com qualidade, relevância internacional e atualidade dos dados obtidos, contribuindo para o conhecimento humano na área da Morfologia e das Neurociências.

Palavras-chave: Neurônios de von Economo; Técnica de Golgi; Reconstruções tridimensionais (3D) de imagem; Aprendizado de máquina; espinhos dendríticos.

Financiamento: O presente estudo foi realizado com recursos do Laboratório de Fisiologia da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA), da CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) e do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico). O estudo também contou com suporte para pagamento integral de taxa para publicação de artigo científico proveniente da Carl von Ossietzky Universität Oldenburg, da Alemanha.

Aprovações éticas: Este trabalho foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa (CEP) da UFCSPA sob os pareceres de número 3.285.063 e 4.787.433. Também foi aprovado pelo CEP da UFRGS sob o parecer de número 5.036.809.


1 Programa de Pós-Graduação em Biociências e Departamento de Ciências Básicas da Saúde/Fisiologia, Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre, Porto Alegre, RS.

2 Programa de Pós-Graduação em Neurociências, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS.

AROMATERAPIA DE SINERGIA AROMÁTICA FRENTE A ANSIEDADE: UM ESTUDO CLÍNICO RANDOMIZADO, DUPLO CEGO, CONTROLADO POR PLACEBO

ALMEIDA JÚNIOR, Silvio de1,2@; LIMA, João Vitor de Sousa3; MELO, Eveline Maria de²; BATISTA, Arthur Gasetta¹; PANSANI, Fabiola Maniglia²; FURTADO, Ricardo Andrade²,³.

@Autor correspondente: silvio.junior@uemg.br.

Introdução: O uso de medicamentos alopáticos para controle de ansiedade, em especial benzodiazepínicos, é uma boa escolha para casos agudos, entretanto, se faz necessário estudos com metodologias integrativas que apresentem resultados positivos e menor efeito adverso, na intenção de encontrar uma opção não farmacológica para controle de ansiedade. Material e Métodos: Para tal, foi utilizado uma sinergia aromática de óleos essenciais via inalatória para identificar o efeito biológico desejado, 2x ao dia, durante 21 dias. Para mensuração dos parâmetros de interesse, foi utilizado o formulário DASS21 para identificação de escore de ansiedade geral, através de um estudo clínico randomizado, duplo cego, controlado por placebo, registrado junto a REBEC (RBR-5xp737h) e plataforma Brasil (CAAE: 48301621.3.0000.5495). Foi utilizado essência de flor de cerejeira como controle placebo, apresentando apenas características odorantes. Resultados: A sinergia aromática formulada para a condução do estudo clínico, apresenta em sua constituição 15,4% de acetato de linalila, 15,2% de eucaliptol, 14,6% de linalol, 5,1% de mentol, 5,5% de patchoulol, 5% de cânfora e 39,2% de outros compostos em pequenas quantidades. Ocorreu o recrutamento de 164 participantes, entretanto, apenas 64 foram elegíveis ao final do estudo, sendo estratificado no grupo controle placebo (25 participantes) e grupo intervenção de sinergia aromática (39 participantes). Quanto ao sexo, 81,2% eram mulheres e quanto a idade, o grupo placebo apresentou 21,9 ± 6,2 anos (18,0 – 42,0 anos) enquanto o grupo tratado com a sinergia aromática apresentou 20,5 ± 5,4 anos (18,0 – 44,0) não apresentando diferença estatística p = 0,2756 (t=1,097, df=94). Quanto ao nível geral de ansiedade, foi identificação uma redução de 62,3% (p = 0.0001) do grupo tratado com a sinergia aromática e uma redução de 47,7% (p = 0.0001) no grupo tratado com placebo, sendo essa diferença estatisticamente significativa (p = 0.0138) com efeito da amostra em 0,88 pelo d de Cohen. Discussão: Indicadores na literatura relatam efeito ansiolítico e calmante de óleos essenciais constituídos por acetato de linalila, linalol e patchoulol, níveis de cânfora, mentol e eucaliptol, apresentando redução do nível de estresse, o que pode impactar diretamente no controle da ansiedade. Conclusão: A partir dos resultados é possível indicar que o uso da sinergia aromática via inalatória pode reduzir níveis de ansiedade geral por metodologia não farmacológica, entretanto, outros estudos devem ser conduzidos para melhor compreensão dos mecanismos de atividade biológica encontrada.

Palavras-chave: Práticas Integrativas e Complementares; Óleos essenciais; Medicina Popular; Psicopatologias; Aromaterapia; DASS21.

Financiamento: CAPES (cod 001), CNPq, UNIFRAN.


1 Departamento de Ciências Biomédicas e da Saúde, Laboratório de Biociências em Saúde, Universidade do Estado de Minas Gerais.

2 Programa de Pós-Graduação em Promoção de Saúde, Universidade de Franca.

3 Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal, Laboratório de Ciência Animal, Universidade de Franca.

ASPECTOS MOLECULARES DA TIREOIDE: CONTROLE DE QUALIDADE DE MATERIAL RESIDUAL DE BIÓPSIA POR PAAF-US

SOLERA, Geise Lilian Menezes1; OLIVEIRA, Cáren Nunes2; ZANDONÁ, Marília Remuzzi²; MEYER, Erika Laurini de Souza3,5; IZQUIERDO, Rogério4; GOLBERT, Lenara³,5; MATTEVI, Vanessa Suñé²@.

@Autor correspondente: Vanessa Suñé Mattevi. vmattevi@ufcspa.edu.br.

Justificativa: Nódulos da tireoide tem alta prevalência na população quando avaliados por ultrassonografia (US), porém apenas cerca de 5%-15% consistem em câncer da tireoide (CDT). A biópsia por punção aspirativa com agulha fina guiada por ultrassom (PAAF-US), seguida de avaliação citológica, permite o diagnóstico benigno ou maligno na maioria dos casos, contudo, 20-30% dos nódulos são de citologia indeterminada. A maioria é encaminhada à cirurgia, porém apenas 15%-30% correspondem a CDT. Assim, torna-se fundamental estabelecer novas abordagens diagnósticas, como a utilização de marcadores tumorais, visando promover o manejo adequado destes casos e minimizando procedimentos desnecessários. No entanto, a quantidade de células obtidas através da PAAF-US é pequena e nem sempre adequada para análise, sendo necessária a otimização de protocolos para este tipo de material. Objetivo: Estabelecer e otimizar técnicas de extração de ácidos nucleicos a partir de material residual de biópsia por PAAF-US. Método: Foram avaliados 215 pacientes, dos quais 72 tiveram amostras coletadas durante a PAAF-US, resultando em 91 amostras biológicas para avaliação molecular. O controle de qualidade para análise molecular se deu a partir da quantificação dos ácidos nucleicos no material isolado, além da proporção das células epiteliais tireoidianas dentro da amostra. Para esta última avaliação, foram realizados testes de expressão comparando o gene constitutivo GAPDH, expresso uniformemente em todos os tipos celulares, e o gene da citoqueratina 7 (KRT7), expresso em células epiteliais específicas, incluindo células da tireoide. Para a análise da qualidade e quantidade do material obtido, a amostra foi considerada satisfatória quando a expressão do GAPDH estava abaixo de 35 ciclos de threshold (Ct) e com uma diferença de até 3,5 ciclos entre a expressão do gene alvo e o gene constitutivo, indicando presença de pelo menos 10% de células da tireoide. A expressão gênica foi avaliada por RT-PCR quantitativa em tempo real com detecção por sondas de hidrólise. Resultados: Oitenta amostras tiveram DNA e RNA extraídos pelo protocolo de co-extração otimizado no laboratório. Das 80 amostras, 53 (66,25%) foram consideradas satisfatórias, apresentando assim quantidade suficiente de células da tireoide para análises subsequentes das mutações nos genes a serem analisados. O DNA extraído foi quantificado por espectrofotometria através do equipamento BioSpec-nano (Shimadzu, Quioto), obtendo-se concentrações variando entre 3,82 ng/µL e 417,46 ng/µL. Conclusões: Houve sucesso no estabelecimento de uma metodologia in-house, de baixo custo, para co-extração de RNA/DNA que foi validada a partir do controle de qualidade pré-estabelecido e por quantificação de DNA extraído. A maioria das amostras analisadas apresentou quantidade e qualidade de DNA e de RNA satisfatórias para a realização da investigação molecular. A realização desta etapa de controle de qualidade das amostras obtidas mostrou-se importante para assegurar a confiabilidade dos resultados subsequentes e para evitar o desperdício de recursos e tempo naquelas amostras inadequadas. Em sequência, serão investigadas as mutações nos genes BRAF, RAS e TERT, que auxiliarão na avaliação do prognóstico desses pacientes.

Palavras-chave: Nódulos indeterminados; Teste molecular; PAAF.


1 Curso de Graduação em Biomedicina, Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre, Porto Alegre, RS.

2 Laboratório de Biologia Molecular, Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre, Porto Alegre, RS.

3 Serviço de Endocrinologia, Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre, Porto Alegre, RS.

4 Departamento de Radiologia, Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre, Porto Alegre, RS.

5 Departamento de Clínica Médica, Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre, Porto Alegre, RS.

ASSOCIAÇÃO ENTRE COLONIZAÇÃO INTESTINAL E OCORRÊNCIA DE INFECÇÕES INVASIVAS EM UMA UTIN MINEIRA

JESUS, Thiago Alves de1@; FERREIRA, Isadora Caixeta da Silveira2; MACHADO, Izabella Clara de Brito1; COSTA, Aline Diulia1; LOPES, Mallu Santos Mendonça1; MENEZES, Ralciane de Paula3; RÖDER, Denise Von Dolinger de Brito2.

@Autor correspondente: Thiago Alves de Jesus. thiago498.tadj@ufu.br.

Introdução: As infecções ainda constituem um dos principais problemas em Unidades de Terapia Intensiva Neonatal (UTINs), por impactarem na morbimortalidade dos neonatos nelas internados. Nesse sentido, pacientes colonizados favorecem a disseminação de microrganismos em ambiente hospitalar, atuando como reservatórios. Além disso, alguns estudos com adultos evidenciam que a colonização potencializa o risco de infecções, especialmente em pacientes críticos. Contudo, poucas análises correlacionaram colonizações e infecções em recém- nascidos. Assim, o rastreamento de microrganismos por meio de swabs retais mostra- se uma possível ferramenta de controle em UTINs. Objetivo: avaliar o impacto da colonização intestinal nas infecções em uma UTIN mineira. Método: Estudo epidemiológico, retrospectivo e descritivo, com dados recuperados a partir prontuários eletrônicos dos neonatos admitidos na UTIN do Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC-UFU) entre janeiro de 2020 e dezembro de 2021. Foram analisados os resultados das análises microbiológicas de swabs retais, sangue, líquido cefalorraquidiano, urina e secreção ocular, coletados pela equipe médica da unidade. Este estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa com Seres Humanos da UFU. Resultados: Dos 21 neonatos colonizados, 5/23,81% tiveram algum episódio infeccioso ocasionado pela mesma espécie do microrganismo colonizador. O tempo médio entre a detecção da colonização intestinal e a infecção foi 18,33 dias. Todos os seis episódios de infecção posteriores à colonização tiveram bactérias Gram-negativas como agentes etiológicos, sendo dois episódios (33,33%) por Enterobacter cloacae, dois (33,33%) por Klebsiella pneumoniae, um (16,67%) por Klebsiella aerogenes e um (16,67%) por Acinetobacter baumannii. Os sítios acometidos foram: sangue (2/33,33%), urina (2/33,33%), líquor (1/16,67%) e secreção ocular (1/16,67%). Cinco (83,33%) infecções foram causadas por bactérias resistentes a três ou mais antimicrobianos, sendo uma delas por Klebsiella pneumoniae resistente a carbapenêmicos (1/20,00%). Não houve óbito entre os neonatos estudados. Conclusão: A colonização intestinal pode ser um fator de risco para infecções, sobretudo, de corrente sanguínea e urinárias. Ademais, a colonização pode contribuir com a ocorrência de infecções por microrganismos multirresistentes, especialmente da família Enterobacteriaceae. Portanto, a detecção precoce de microrganismos colonizadores pode direcionar medidas de controle e prevenção de infecções em UTINs.

Palavras-chave: Colonização Assintomática; Controle de Infecções; Serviços de Saúde Neonatal.


1 Curso de Graduação em Biomedicina, Instituto de Ciências Biomédicas, Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, MG.

2 Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, Faculdade de Medicina, Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, MG.

3 Laboratório do Curso Técnico em Análises Clínicas, Escola Técnica de Saúde, Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, MG.

ATIVIDADE ANTIPROLIFERATIVA IN VITRO DO EXTRATO AQUOSO ACIDIFICADO DE CHÁ-VERDE (CAMELLIA SINENSIS) EM CULTURA DE CÉLULAS TUMORAIS

SANTOS, Carolina Fernandes1@; SOUZA, Amanda1; CRUZ, Laura da Silva2; CARMO, Mariana A. Vieira3; BENTO, Nathália4; BONIFACIO, Lucas4; SANTOS, Josiane2; OLIVEIRA, Raphaela5; DE MOURA, Cristiane6; AZEVEDO, Luciana3.

@Autor correspondente: Carolina Fernandes Santos. carolinafernandes.santos@sou.unifal-mg.edu.br.

Introdução: Camellia sinensis, conhecida popularmente por chá-verde ou chá-da- índia é uma planta pertencente à família Theaceae geralmente encontrada em regiões tropicais e subtropicais, em áreas de florestas nativas na China e na Índia, por exemplo. Possui propriedades terapêuticas, devido a presença de ativos com caráter antioxidante e anti-inflamatório, como as antocianinas e outros flavonoides. Objetivo: Realizar uma análise do potencial citotóxico in vitro do extrato aquoso acidificado liofilizado de uma amostra da Camellia sinensis (EAC) em linhagens de células tumorais. Método: Foi concedida uma amostra de Camellia sinensis (EAC) produzida pelo grupo de pesquisa da UEPG ao LANTIN. Foram utilizados no experimento duas linhagens de células cancerosas obtidas no Banco de Células do Rio de Janeiro, a adenocarcinoma de pulmão (A549) e a adenocarcinoma ileocecal humano (HCT8). As culturas celulares - HCT8 e A549 - foram mantidas em meio DMEM (Dulbecco’s Modified Eagle’s Medium/Nutrient Mixture F-12 Ham) e nutridas com soro fetal bovino (SFB) a 10%, submetidas a uma temperatura de 37°C em atmosfera umidificada com 5% de CO2. As linhagens das células e HCT8 e A549 (1X104) foram tratadas em placas de 96/poços por quadruplicata contendo 100 µl/poço de meio DMEM (10% de SFB) por 24 horas e, posteriormente, diluída em sete concentrações (0,2; 0,5; 1,0; 2,0; 3,0 e 5,0 μg/ml) em meio DMEM (10%SFB) e adicionada nas células por 48 horas com finalidade de tratamento. Dado o período proposto de incubação, foi adicionado 10µL de MTT (3-(4,5-dimethylthiazol-2-yl)-2,5-diphenyltetrazolium bromide;5 mg/ml) e incubadas novamente por 4 horas em uma temperatura de 37°C. O meio contendo DMEM foi removido e foi adicionado 100 µL de DMSO/poço. Foi detectada em espectrofotômetro em comprimento de onda de 570nm. Foram definidos os parâmetros GI50 (50% de inibição do crescimento), IC50 (50% de inibição da viabilidade celular), e LC50 (50% de morte celular). Resultados: As concentrações de EAC demonstraram citotoxicidade diante as linhagens de células testadas, conforme os parâmetros avaliados, sendo na HCT8 - IC50 = 0,45 µg/ml, GI50 = 0,22 µg/ml, e LC50= 1,18 µg/ml e na linhagem A549 - IC50 = 0,69 µg/ml, GI50 = 0,007 µg/ml e LC50= 0,77 µg/ml. Conclusão: Em síntese, o experimento demonstrou que a amostra testada apresenta citotoxicidade sobre as linhagens celulares em dosagens baixas, ou seja, possui propriedade antiproliferativa.

Palavras-chave: Adenocarcinoma; Citotoxicidade; Viabilidade celular.

Financiamento: FAPEMIG/DOF nº. 2505962/2018, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).


1 Curso de Graduação em Biotecnologia, Universidade Federal de Alfenas, Alfenas, MG.

2 Curso de Graduação em Ciências Farmacêuticas, Universidade Federal de Alfenas, Alfenas, MG.

3 Laboratório de Análises Nutricionais e Toxicológicas in vivo e in vitro (LANTIN), Universidade Federal de Alfenas, Alfenas, MG.

4 Curso de Graduação em Ciências Biológicas, Universidade Federal de Alfenas, Alfenas, MG.

5 Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas, Universidade Federal de Alfenas, Alfenas, MG.

6 Departamento de Química, Universidade de Ponta Grossa (UEPG), Ponta Grossa, PR.

ATIVIDADE CITOTÓXICA IN VITRO DE DERIVADOS DE EUGENOL SOBRE LINHAGEM DE HEPATOCARCINOMA HUMANO (HEPG-2)

FERREIRA, Maria Angélica1; SANTOS, Josiane Ester de Oliveira1; NASCIMENTO, Larissa do1; COSTA, Larissa Carvalho2; COSTA, Adílson Vidal3; LIMA, Ângela Maria Almeida3; PAULA, Wenderson Tinório de3; LIMA, Amanda dos Santos4; NOVAES, Rômulo Dias5; AZEVEDO, Luciana6; TEXEIRA, Róbson Ricardo7; LIMA, Graziela Domingues de Almeida5,6@.

@Autor correspondente: Graziela Domingues de Almeida Lima. graziela.lima@unifal-mg.edu.br.

Introdução: O eugenol é um fitoquímico fenólico comumente encontrado em plantas aromáticas, como noz-moscada, manjericão, louro e canela. Atualmente, novas evidências estão sendo encontradas na literatura destacando suas atividades antioxidante, anti-inflamatórias, antidiabética e anticancerígeno. Neste contexto, estudos mostram que o eugenol e seus derivados possuem promissora atividade citotóxica. Objetivo: O presente estudo teve como objetivo avaliar a atividade citotóxica in vitro de compostos derivados de eugenol sobre linhagem metastática de carcinoma humano HEPG-2. Métodos: Onze compostos derivados do eugenol (3a- 3k) foram sintetizados pelo grupo de pesquisa do Prof. Robson Ricardo Texeira do Departamento de Química da Universidade de Federal de Viçosa, e cedidos ao nosso laboratório. Já a linhagem HEPG-2 utilizada foi cedida pela Prof. Luciana Azevedo (LANTIN). Inicialmente os compostos foram diluídos em dimetilsulfóxido 100% (DMSO) na concentração estoque de 50 mM. A linhagem foi cultivada seguindo os procedimentos de cultivo em condições assépticas, em capela de fluxo laminar e utilizando material estéril. A cultura celular foi mantida em meio HAM-F12 e suplementadas com 10% de soro fetal bovino (SFB), penicilina 100 UmL-1 a 37 ºC sob tensão de 5% de CO2. Para o ensaio, células HEPG-2 (1 x 104) foram semeadas em placas de 96 poços (100 µL/poço) em meio HAM-F12 (10% SFB) por 24 horas. Para o ensio, os compostos foram diluídos na concentração de 100 µM em meio de cultura HAM-F12 (10% de SFB), sendo posteriormente 100 µL da diluição adicionada ao poço correspondente. Após o período de incubação de 48 horas, 10 µl de MTT (3-(4,5- dimethylthiazol-2-yl)-2,5-diphenyltetrazolium bromide; 5 mg/mL) foi adicionado em cada poço, sendo as células incubadas por mais 4 horas a 37 ºC. Posteriormente, o meio foi removido e foi adicionado 100 µL DMSO (100%) em cada poço, sendo a placa novamente incubada a 37 ºC por 20 minutos. A absorbância foi detectada em comprimento de onda de 570 nm em espectrofotômetro. Cada análise foi realizada em quadruplicata e os resultados foram normalizados considerando as culturas tratadas apenas com controle negativo (0,4% de DMSO). Os compostos que reduziram a viabilidade celular em ≤ 50%, foram selecionados para análises futuras. Os valores de percentual de viabilidade foram obtidos usando o software Excel. Resultados: Nove compostos derivados do eugenol reduziram a viabilidade celular em mais de 50% (3b=34,75±1,95; 3c=18,38±0,4; 3d=19,58±1,34; 3e=19,26±1,62, 3g=18,47±0,46, 3h=39,39±3,36, 3i=18,84±0,50, 3j=21, 93±2,28 e 3k=24,88±3,65) comparados ao controle (DMSO=100%), sendo o composto 3c, o composto mais efetivo em reduzir a viabilidade celular da linhagem HEPG-2. Conclusões: Concluiu- se que o eugenol é uma estrutura química de partida interessante para a síntese de protótipos que possam apresentar atividade citotóxica promissora sobre a linhagem tumoral HEPG-2.

Palavras-chave: Câncer; Antiproliferativo; Síntese orgânica.

Financiamento: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Chamada MCTIC/CNPq 28/2018 - Processo: 431330/2018-2; PIBIC-Edital 11/2021 de FERREIRA, Maria Angélica), Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e FAPEMIG (APQ-02957-17; PIBICT-Edital 17/2021 de SANTOS, Josiane Ester de Oliveira).


1 Curso de Graduação em Farmácia, Departamento de Ciências Farmacêuticas, Universidade Federal de Alfenas, Alfenas MG.

2 Curso de Graduação em Biomedicina, Universidade Federal de Alfenas, Alfenas MG.

3 Departamento de Química e Física, Universidade Federal do Espírito Santo, Alegre, ES.

4 Programa de Pós-Graduação Multicêntrico em Ciências Fisiológicas, Universidade Federal de Alfenas, Alfenas, MG.

5 Instituto de Ciências Biomédicas, Programa de Pós-graduação em Biomedicina Aplicada à Saúde, Universidade Federal de Alfenas, Alfenas MG.

6 Laboratório de Análise Nutricional e Toxicológica in vitro e in vivo (LANTIN), Universidade Federal de Alfenas, Alfenas, MG.

7 Departamento de Química, Universidade de Federal de Viçosa, Viçosa, MG.

ATIVIDADE PREBIÓTICA DO POLISSACARÍDEO EXTRAÍDO DA CASCA DO FRUTO DE Cordia africana

BARROS, Thayná da Silva1; ARAÚJO, Maria Isabela Ferreira2; SILVA, Francisca Crislândia Oliveira3; SOARES, Paulo Antônio Galindo2@.

@Autor correspondente: Paulo Antônio Galindo Soares. paulo.gsoares@ufpe.br.

Introdução: As fibras polissacarídicas solúveis são ingredientes funcionais caracterizados pela sua não digestão e absorção ao longo do trato gastrointestinal (GI). Além de benéficas à saúde humana, não são tóxicas e podem ser seletivamente fermentadas pelas bactérias probióticas do cólon, como Lactobacilos e Bifidobactérias, exercendo assim efeitos prebióticos para manutenção da flora intestinal. O fruto de Cordia africana, popularmente conhecida como “laranjinha pegajosa”, possui uma casca rica em fibras solúveis e insolúveis, que podem ser excelentes candidatas como prebióticos naturais. Objetivo: Portanto, este trabalho teve por objetivo avaliar a atividade prebiótica in vitro do polissacarídeo extraído da casca de C. Africana (PCCa) frente a diferentes espécies de Lactobacillus. Método: O polissacarídeo solúvel da casca de C. africana (PCCa) foi extraído à quente (80 ºC por 2 h) utilizando solução de ácido cítrico pH 2,0 [1:15 m/v], e purificado por precipitação etanólica [1:3 v/v]. O potencial prebiótico do PCCa frente às cepas de Lactobacillus rhamnosus, Lactobacillus plantarum, Lactobacillus casei e Lactobacillus acidophilus, foi avaliado em meio de Man Rogosa & Sharpe (MRS) com e sem glicose. Pectina comercial foi utilizada como controle positivo dos ensaios prebióticos. Resultados: O rendimento de extração do PCCa foi de 1,1±0,1 %, o conteúdo de carboidratos totais foi 86,9±0,01 % e ácidos urônicos 38,1±0,1 %. Na avaliação do efeito prebiótico, PCCa estimulou o crescimento de todas as espécies de lactobacilos cultivadas em meio MRS (com e sem glicose), quando comparado aos controles com e sem bactéria. Contudo, foi verificado que o PCCa demonstrou maior capacidade estimulatória da estirpe de L. acidophilus após 24 horas de cultivo no meio MRS (com e sem glicose), quando comparado ao controle positivo. Conclusão: Assim, ainda que preliminar, as fibras solúveis extraídas da casca de C. africana (PCCa), demonstraram um excelente potencial prebiótico frente a diferentes espécies de Lactobacillus, sugerindo sua potencial aplicação biológica/biotecnológica como modulador positivo da microbiota gastrointestinal.

Palavras-chave: Prebiótico; Polissacarídeos; Cordia africana; Lactobacillus; Microbiota.


1 Curso de Graduação em Ciências Biológicas, Universidade de Pernambuco, Recife, PE.

2 Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, PE.

3 Programa de Pós-Graduação em Bioquímica, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, PE.

AVALIAÇÃO DA ADESÃO AOS PROTOCOLOS DE BIOSSEGURANÇA EM RADIOLOGIA ODONTOLÓGICA FRENTE À PANDEMIA DA COVID-19 POR MEIO DO INSTRUMENTO QICOR

SANTOS, Rafaela Caires1@; ARAÚJO, Larissa da Silva1; DE OLIVEIRA, Manuela Lima Barros1; PIGATTI, Fernanda Mombrini1; DE CARVALHO, Pedro Henrique Berbert2; JUNQUEIRA, Rafael Binato1; DA COSTA, Eliana Dantas3; VERNER, Francielle Silvestre1.

@Autor correspondente: Rafaela Caires Santos. rafaelacaires-2011@hotmail.com.

Introdução: A pandemia da COVID-19 trouxe desafios ao sistema de saúde mundial, incluindo a prática de radiologia oral e maxilofacial. Logo, diante deste cenário, tornou-se crucial examinar as diretrizes de rotina sobre medidas de prevenção e controle de infecção em radiologia oral para reduzir a infecção cruzada e proteger os profissionais praticantes. Objetivo: avaliar a adesão de profissionais e estudantes de Odontologia ao controle de infecção em Radiologia Odontológica frente à pandemia da COVID-19. Método: foram incluídos indivíduos que estivessem realizando exames radiográficos intrabucais durante a pandemia. Foi utilizado o Questionário de Controle de Infecção em Radiologia Oral (QICOR), onde foram abordadas questões que estiveram dentro de alguns domínios, como dados demográficos, higiene das mãos, luvas, vestimenta, acessórios, receptores radiográficos, proteção/desinfecção do equipamento, sobre-luvas, sobre-luvas: Sistema Radiográfico Digital, limpeza e desinfecção. A aplicação desse questionário foi realizada de forma virtual utilizando o Google Forms e após concordância do TCLE pelos participantes. Foram recrutados participantes de todos os continentes. Para a análise estatística foi utilizada a análise descritiva, regressão binária simples e regressão binária múltipla (5%). Resultados: Foram identificadas 583 respostas válidas, sendo 391 de participantes do gênero feminino, 191 do masculino, e 1 de outro gênero. A média de idade foi de 33,54 anos. 68,61% da amostra era do continente americano, 19,04% do europeu, e 12,35% do asiático. A mediana foi de 94 pontos para estudantes de Odontologia e de 104 para cirurgiões-dentistas, e indivíduos com pontuação abaixo da mediana foram considerados com baixa adesão aos protocolos de biossegurança em Radiologia Odontológica. No continente americano, 58,25% da amostra ficou abaixo da mediana. Já nos continentes asiáticos e europeu, os percentuais foram de 30,55% e 30,63%. Os estudantes de Odontologia (44,56%) apresentaram-se menos adeptos aos protocolos de biossegurança do que os Cirurgiões-Dentistas (43,44%). A presença de comorbidades não interferiu nos resultados. Conclusão: Conclui-se que, mesmo mediante à pandemia da COVID-19, é baixa a adesão aos protocolos de biossegurança em Radiologia Odontológica. Sugere-se que os resultados auxiliem na conscientização de estudantes e profissionais, uma vez que procedimentos de Radiologia Odontológica apresentam potencial de transmissão do Sars-CoV-2.

Palavras-chave: Radiologia Odontológica; Biossegurança; COVID-19.


1 Departamento de Odontologia, Universidade Federal de Juiz de Fora – campus Governador Valadares, Governador Valadares, Minas Gerais.

2 Departamento de Educação Física, Universidade Federal de Juiz de Fora – campus Governador Valadares, Governador Valadares, Minas Gerais.

3 Departamento de Diagnóstico Oral, Faculdade de Odontologia de Piracicaba, Universidade Estadual de Campinas, Piracicaba, São Paulo.

AVALIAÇÃO DA ADIÇÃO DE PEROXÍDO DE HIDROGÊNIO DA FORMAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE BIOFIMES DE Candida spp

LOPES, Rayssa1@; PASCHOALETO, Pietro2; DIAS, Amanda2.

@Autor correspondente: Rayssa Lopes. rayssa.lopes@sou.unifal-mg.edu.br.

Leveduras do gênero Candida spp. são patógenos oportunistas frequentemente isolados das superfícies mucosas de indivíduos normais, mas podem levar ao desenvolvimento de infecções denominadas candidíases, que variam desde lesões superficiais até infecções disseminadas. Fatores associados à virulência, como a capacidade de formação de biofilmes, dificultam o tratamento das infecções, agravando ainda mais o quadro clínico do paciente. Lactobacillus spp. são bactérias láticas predominantes na microbiota vaginal saudável e que, em estudos prévios, demonstraram impactos negativos na formação e progressão de biofilmes de C. albicans, os mecanismos envolvidos nessa interação, entretanto, não foram completamente elucidados. Acredita-se que a produção de H2O2 pela bactéria possa causar danos e acarretar em prejuízos ao desenvolvimento da levedura, dessa forma o presente trabalho teve como objetivo verificar o impacto da adição do H2O2 em biofilmes de Candida albicans, Candida krusei e Candida glabrata. Para isso realizou-se o subcultivo das linhagens de Candida spp. em caldo RPMI 1640, após 18 horas as células foram colhidas e lavadas duas vezes com tampão fosfato-salina (PBS) pH 7,2 e ajustadas a uma densidade óptica de 0,8 a 530nm, equivalente a 1x107 células/mL em caldo RPMI 1640, para utilização logo após o preparo. Foram utilizadas placas de poliestireno não tratado, e as cargas, foram estabilizadas pela umidificação de sua base externa, facilitando o processo de adesão e a expressão gênica específica. Em cada poço da microplaca de 96 poços foi adicionado 100µL de H2O2, diluído em RPMI, nas respectivas concentrações 8,75%, 4,37%, 2,18%, 1,09%, 0,54%, 0,27%, 0,13%, 0,068%, 0,034% e 0,017% e 100µL da ressuspensão celular e esta foi incubada em estufa de agitação orbital por 1,5h, a 37ºC e 75rpm. Posteriormente, cada poço foi lavado com 150µL de PBS, para a remoção de células não aderidas, e foram adicionados 200µL de H2O2 nas mesmas concentrações citadas. Para controle do meio, uma coluna de poços em cada placa de microtitulação foi manuseada de maneira idêntica, exceto pela não adição de suspensão de Candida spp. As microplacas foram incubadas a 35ºC, por 24h a 75rpm e após isso os poços foram lavados com lavado com 200µL de tampão PBS por três vezes e em seguida foi feita a avaliação da atividade metabólica do biofilme, realizada através do ensaio de redução do XTT. O experimento mostrou que dentre as diferentes concentrações de H2O2 utilizado a concentração mínima de 0,017%, também apresentou redução de 89,6% em relação ao crescimento Candida spp, quando comparado o grupo que não foi tratado com H2O2. Dessa forma conclui-se que baixas concentrações de H2O2, se mostram efetivas na inibição do crescimento de Candida spp, mostrando grande importância no tratamento dessas micoses tão recorrentes na comunidade.

Palavras- chave: Candida; Biofilme; H2O2.


1 Curso de Graduação em Farmácia , Departamento de Ciências Farmacêuticas, Alfenas, MG.

2 Programa de Pós-Graduação em Ciências Farmacêuticas, Instituto UNIFAL, Alfenas, MG.

AVALIAÇÃO DA ATIVIDADE ANTITUMORAL DE MOLÉCULAS PRESENTES NO VENENO E NO PLASMA DA CASCAVEL SUL AMERICANA CROTALUS DURISSUS TERRIFICUS EM LINHAGENS TUMORAIS DE GLIOBLASTOMA HUMANO

CARVALHO, Bianca1; ORTOLANI, Paula L.2; FORTES-DIAS, Consuelo2; SILVA, Luciana1.

@Autor correspondente:

O câncer do sistema nervosa central (SNC) é uma doença multifatorial, sendo o glioblastoma um dos seus subtipos. Este atinge um grupo específico de células, chamadas de “células da glia”, que auxiliam na composição do cérebro e nas funções dos neurônios. Podendo acometer o cérebro ou a medula espinhal sendo altamente invasivo, e sua característica mais marcante é o potencial de infiltração no parênquima cerebral circundante, permanecendo tipicamente confinado ao SNC. Com isso, este projeto tem o intuito de avaliar, em células tumorais da linhagem de glioblastoma U-87 MG, ATCC #HTB-14, a atividade antitumoral das moléculas: CNF (inibidor de fosfolipase A2) presente no plasma e componentes do veneno CTX (crotoxina) e sua subunidade CB (fosfolipase A2) da cascavel de gênero Crotalus. As células da linhagem foram submetidas ao método MTT, para análise da sobrevida celular e obtenção do IC50 para cada molécula. Os IC50 obtidos foram de 1,6 μg/ml para as moléculas CNF e CB, e 25 μg/ml para a CTX que inibiram o crescimento celular em ٩٠ minutos, ٢٤ horas e 48 horas, respectivamente. Esses valores foram utilizados para realização dos ensaios posteriores. A fluorescência e imunofluorescência foram realizadas para avaliar a integridade da membrana celular sendo utilizada a lectina WGA conjugada com o fluoróforo Alexa 488 (490/525) e o núcleo marcado com DAPI. Nossos resultados mostraram que a tanto a CNF, quanto a CTX e sua subunidade CB causaram alterações na estrutura do tumor. CB promoveu, a perda das conexões nervosas formando uma estrutura epitelióide, com as células justapostas umas as outra. E CNF promoveu a formação de um agregado celular, modificando a organização das células tumorais o que inibiu crescimento. a crotoxina CTX, promoveu a perda das conexões, formando aglomerado celulares. O ensaio de imunolocalização, utilizando o IgG anti-CNF revelou em 24 horas sua presença perinuclear nas células tratadas com CNF. Além disso, novos ensaios serão realizados para análise da migração, que visa mensurar a capacidade de inibir invasão celular e o ensaio clonogênico que visa demonstrar morte celular reprodutiva e a capacidade de inibir a formação de colônias celulares após o tratamento com as moléculas. Sendo assim, com os resultados obtidos até o momento verificamos que moléculas biotivas obtidas do plasma e do veneno da cascavel, com atividade fosofolipásica e anti- fosfoflipásica são ótimas candidatas a se tornarem um novo quimioterápico para o tratamento glioblastoma, que no futuro poderão beneficiar os pacientes portadores dessa malignidade.

Palavras-chave: Glioblastoma; Câncer; Cascavel.


1 Serviço de Biologia Celular da Diretoria de Pesquisa e Desenvolvimento da Funed, Minas Gerais, Belo Horizonte, MG.

2 Serviço de Enzimologia Aplicada da Diretoria de Pesquisa e Desenvolvimento da Funed, Minas Gerais, Belo Horizonte, MG.

AVALIAÇÃO DA ATIVIDADE DAS ENZIMAS CD39 E CD73 EM SORO DE PACIENTES COM GLIOBLASTOMA GELSLEICHTER

ROSSETTI, Alana Fraga1; ESPINDOLA, Nicolly2@; RUBENICH, Dominique Santos2; TEIXEIRA, Fernanda Cardoso2; OLIVEIRA, Priscila Souza de2; ABREU, Aline Moraes de2; HOPPEN JUNIOR, Alexandre3; BRAGANHOL, Elizandra2.

@Autor correspondente: Nicolly Espíndola. nicolly@ufcspa.edu.br.

Introdução: O glioblastoma (GB) é o tumor cerebral mais comum em adultos, caracterizado por um difícil manejo clínico devido a quimiorresistência e a imunossupressão que apresenta, levando a uma sobrevida média de 15 meses aos pacientes. No microambiente tumoral (MAT), um dos fatores responsáveis pela imunossupressão é a via adenosinérgica, responsável pela produção de adenosina (ADO) através da ação enzimática da CD39 e CD73 (via canônica). A CD39 é responsável por hidrolisar o ATP e ADP à AMP enquanto a CD73 hidrolisa o AMP para a formação de ADO. Todavia, além da imunossupressão no microambiente tumoral, os pacientes com GB também apresentam uma imunossupressão sistêmica, pouco explorada na literatura. Considerando a importância da via adenosinérgica para o MAT, é de suma importância que se caracterize essa via na circulação dos pacientes com GB. Objetivo: Este trabalho teve como objetivo caracterizar a atividade enzimática de CD39 e CD73 em soro de pacientes com GB. Método: Para avaliar a atividade enzimática, sangue de pacientes com GB e de pessoas saudáveis foi coletado, o soro foi separado através de centrifugação (CEP ISCMPA/UFCSPA 3.204.937) e armazenado a -80ºC até o momento das análises. A atividade enzimática foi determinada pelo método de Chan (1986) utilizando ATP, ADP e AMP como substrato e condições ótimas de pH e temperatura. A reação foi mensurada através da liberação de fosfato inorgânico (Pi) para o meio. Resultados: Observou-se que os pacientes com GB não apresentam diferenças na atividade ATPásica e ADPásica (CD39) em comparação a pessoa saudáveis em diferentes pontos temporais (pré cirurgia, início da radioterapia e fim da radioterapia). Para atividade AMPásica (CD73) observou-se um aumento da atividade quando comparado a pessoas saudáveis nos pontos de início e fim do tratamento. Conclusão: O presente trabalho visou avaliar a atividade das enzimas CD39 e CD73 no soro de pacientes com GB, devido a importância da via adenosinérgica no MAT e da falta de informações acerca dessa via na circulação desses pacientes. Observouse uma alteração no perfil da atividade AMPásica quando comparado a pessoas saudáveis. A partir desses dados, sugere-se mais estudos sobre essa via, em especial sobre a CD73 a nível sistêmico, nos pacientes com GB.

Palavras-chave: Glioblastoma; Adenosina; Atividade enzimática.


1 Curso de Graduação em Biomedicina, Departamento de Ciências Básicas da Saúde, Porto Alegre, UFCSPA..

2 Programa de Pós-Graduação em Biociências, Porto Alegre, UFCSPA.

3 Curso de Graduação em Farmácia, Departamento de Ciências Básicas da Saúde, Porto Alegre, UFCSPA.

AVALIAÇÃO DA EXPRESSÃO DE GENES ENVOLVIDOS NA VIA ADENOSINÉRGICA EM PBMCs ISOLADOS DE PACIENTES COM GLIOBLASTOMA

ROSSETTI, Alana Fraga1@; GELSLEICHTER, Nicolly Espindola2; RUBENICH, Dominique Santos2; TEIXEIRA, Fernanda Cardoso2; OLIVEIRA, Priscila Souza de2; ABREU, Aline Moraes de2; HOPPEN JUNIOR, Alexandre3; BRAGANHOL, Elizandra2.

@Autor correspondente: Alana Fraga Rossetti. alanafr@ufcspa.edu.br.

Introdução: O glioblastoma é um tumor cerebral maligno caracterizado pela alta resistência à radiação e quimioterapia, resultando em um baixo índice de sobrevivência para os pacientes. Esse tumor possui a capacidade de criar um ambiente imunossupressivo, tanto a nível local quanto sistêmico. Dentre os mecanismos de imunossupressão, a via adenosinérgica está bem estabelecida no microambiente tumoral. O ATP é uma molécula sinalizadora do sistema purinérgico e, em situações patofisiológicas, sua liberação bem como a expressão de receptores purinérgicos pelas células são consideravelmente aumentadas. Como este nucleotídeo não é capaz de atravessar as membranas biológicas por difusão ou transporte ativo, o controle de sua concentração extracelular é realizado pela ação das ectonucleotidases (NTPD1 e CD73) que catalisam sua conversão até adenosina. Em pacientes com glioblastoma observa-se um aumento na concentração de nucleotídeos e nucleosídeos extracelulares, particularmente a adenosina. Entretanto, sua relação com a imunossupressão sistêmica ainda não é bem definida, pois não muitos estudos que abordem essa questão. Objetivo: O objetivo deste trabalho foi investigar o perfil da expressão dos genes envolvidos na via adenosinérgica em células mononucleares (PBMCs) circulantes de pacientes com glioblastoma. Método: Realizou-se coleta sanguínea de pacientes com glioblastoma e de pessoas saudáveis - grupo controle (CEP ISCMPA/UFCSPA 3.204.937). As PMBCs foram isoladas e realizou-se a extração do RNA utilizando TRIzol. Posteriormente, foi feita a síntese do cDNA seguida de qPCR para amplificação dos genes NTPD1 e CD73, envolvidos na via adenosinérgica, além dos receptores de adenosina A1, A2a, A2b e A3. A expressão gênica do TBP foi utilizada como controle constitutivo. Os resultados foram calculados utilizando o método do ΔΔCt. Resultados: Observou-se a redução da expressão da CD73 em PBMCs pacientes com glioblastoma quando comparado com o grupo controle. Por outro lado, a expressão de A2a aumentou em PBMCs de pacientes; enquanto que a expressão de NTPD1, A1 e A2b não foi alterada. Conclusão: Neste estudo, investigou-se a expressão dos genes envolvidos na via adenosinérgica em PBMCs de pacientes com glioblastoma. Quando comparado a doadores saudáveis, observou-se uma redução na expressão de CD73 a nível de RNAm e um aumento na expressão de A2a. Embora a análise molecular dos genes envolvidos na via adenosinérgica seja importante para investigar o perfil de expressão que ocorre nesses pacientes, ainda são necessários mais estudos para avaliar a funcionalidade de tais enzimas, bem como dos receptores nos pacientes com glioblastoma.

Palavras-chave: Glioblastoma; Imunossupressão; Adenosina.


1 Curso de Graduação em Biomedicina, Departamento de Ciências Básicas da Saúde, Porto Alegre, UFCSPA.

2 Programa de Pós-Graduação em Biociências, Porto Alegre, UFCSPA.

3 Curso de Graduação em Farmácia, Departamento de Ciências Básicas da Saúde, Porto Alegre, UFCSPA.

AVALIAÇÃO DA LESÃO MUSCULAR EM MODELOS EXPERIMENTAIS DE ISQUEMIA E REPERFUSÃO

DE CARVALHO, Enzzo Gallo1@; CORSINI, Wagner2; HERMES, Túlio de Almeida2,3.

@Autor correspondente: Enzzo Gallo de Carvalho. enzzo.carvalho@sou.unifal-mg.edu.br.

Introdução: A lesão de isquemia e reperfusão (I/R) é uma condição clínica relevante associada a danos celulares e teciduais. No músculo esquelético, essa lesão resulta em perda da função contrátil, que pode levar à deficiência e à amputação do membro. A lesão ocorre, principalmente, por traumatismos e procedimentos cirúrgicos. A isquemia causa falta de oxigenação e falência energética das células, que são agravadas durante a reperfusão, com indução de resposta inflamatória e estresse oxidativo, piorando a lesão. A intensidade e as consequências da lesão variam segundo a duração e o grau do período de isquemia e de reperfusão. Na literatura, tais tempos são bastante variáveis. Assim, é preciso descrever mais adequadamente um método em que seja possível reproduzir as condições da lesão I/R. Objetivo: Avaliar a lesão muscular induzida pela lesão I/R no músculo esquelético de ratos Wistar submetidos a três diferentes períodos de aplicação com base em parâmetros morfológicos e bioquímicos. Método: O modelo I/R se deu pela aplicação de torniquete na raiz dos membros posteriores dos animais, ocluindo o fluxo sanguíneo arterial e venoso, seguido pela reperfusão, com a retirada do torniquete. Os animais foram divididos aleatoriamente nos grupos: controle (sem aplicação do torniquete); I30’/R60’ (30 minutos de isquemia e 1 hora de reperfusão); I120’/R120’ (2 horas e 2 horas) e I180’/R180’ (3 horas e 3 horas). Posteriormente, foram coletadas amostras de sangue para determinação da atividade da CK e dos músculos TA, EDL, SOL e GAS para análise morfológica em microscopia de luz. Resultados: Verificou-se aumento significativo no número de fibras musculares lesionadas nos grupos I/R em comparação ao grupo controle, bem como diferenças estatisticamente significativas entre os grupos I/R em todos os músculos analisados, evidenciando aumento progressivo da lesão. A observação dos músculos de todos os grupos I/R evidenciou fibras com citoplasma de textura inconsistente, mudança de coloração e/ou fragmentado, bordas irregulares e núcleos destacados, além de rompimento de capilares com extravasamento de eritrócitos e infiltrado linfocitário. Tais achados foram mais acentuados no grupo I180’/R180’. A quantificação do número de fibras musculares lesionadas entre os músculos verificou que, no grupo I30’/R60’, o SOL obteve o maior número em relação aos outros músculos, com significância estatística. no grupo I120’/R120’, o GAS apresentou quantidade de fibras lesionadas significativamente maior. No grupo I180’/R180’, não houve diferenças significativas. Os níveis séricos de CK do grupo I180’/R180’ foram significativamente maiores que nos grupos controle e I30’/R60’. Não houve diferenças significativas na análise do edema muscular entre os grupos, em nenhum dos músculos. Conclusão: Evidenciou-se que os 3 modelos I/R utilizados foram capazes de causar dano celular, que todos os animais induzidos à I/R apresentaram marcadores de lesão muscular, sendo esses achados mais pronunciados no grupo I180’/R180’. Estudos futuros ainda são necessários para investigar os mecanismo da lesão até a degeneração ou morte celular.

Palavras-chave: Lesão muscular; Isquemia; Reperfusão; Músculo esquelético; Torniquete.


1 Curso de Graduação em Medicina, Faculdade de Medicina-UNIFAL-MG, Alfenas, MG.

2 Departamento de Anatomia, Instituto de Ciências Biomédicas-UNIFAL-MG, Alfenas, MG.

3 Programa de Pós-Graduação em Biociências Aplicada à Saúde, Instituto de Ciências Biomédicas-UNIFAL-MG, Alfenas, MG.

AVALIAÇÃO DA PRESENÇA DE ESTEATOSE EM PEIXE-ZEBRA ADULTOS POR EXPOSIÇÃO CRÔNICA AO ETANOL

DIGLIO, Daniela C.1,2; SALAU, Eronides Heberle2; SCHNEIDER, Ana Claúdia Reis1,3; FURTADO-FILHO, Orlando Vieira1,2; SILVEIRA, Themis Reverbel da1,3; GARRIDO, Marilene Porawski1,2@.

@Autor correspondente: Marilene Porawski Garrido. marilenep@ufcspa.edu.br.

Introdução: A doença hepatica alcoólica (DHA) causada pelo abuso de álcool está entre as principais causas de morte no mundo. Não há tratamento eficaz para essa doença e sua progressão piora a qualidade de vida, gera custos elevados aos sistema de saúde e pode levar à morte. Objetivo: Determinar a presença de esteatose por avaliação histológica e por quantificação da gordura hepática pela técnica de Nile Red. Métodos: Foram utilizados 80 peixes (Danio rerio), adultos de ambos os sexos, mantidos em aeração. Os animais foram divididos em dois grupos; Controle e Etanol (0,5%). Após a exposição, os animais foram eutanasiados, os fígados dissecados e encaminhados para histologia por HE (hematoxilina-eosina) ou processados para a quantificação de gordura pela técnica de Nile red. Projeto aprovado pelo CEUA/UFCSPA pelo protocolo 259/19. Resultados: Os animais expostos a 0,5% de etanol por 6 semanas, apresentaram um aumento significativo (p=0,04) na quantidade de gordura hepática, medidos pela técnica de Nile Red. Na análise histológica as amostras de tecido de fígado dos animais controles coradas com hematoxilina-eosina mostraram células hepáticas preservadas sem depósito de gordura. Enquanto os animais tratados com 0,5% de etanol mostraram uma esteatose moderada sem balonização. Conclusão: A exposição do peixe-zebra a 0,5% de etanol desenvolveu esteatose hepática após 6 semanas como foi demonstrado pela coloração de hematoxilina-eosina e pela quantificação da gordura hepática por Nile Red.

Palavras-chave: Doença hepática; Peixe-zebra; Etanol.


1 Programa de Pós-Graduação em Biociências, Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre, RS.

2 Laboratório de Fisiologia Comportamental e Metabólica, Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre, RS.

3 Programa de Pós-Graduação em Pediatria, Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre, RS.

AVALIAÇÃO DAS PRESCRIÇÕES DE PACIENTES QUE UTILIZAM OMEPRAZOL NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE EM ALFENAS – MG

PIERINI, Eduardo1@.

@Autor correspondente: Eduardo Pierini. dupierini1@hotmail.com.

Introdução: Os inibidores da bomba de prótons (IBP) são uma das classes terapêuticas mais prescritas no mundo, combinando aspectos que incluem alta eficácia com baixa toxicidade. Estudos indicam que o uso desta classe de fármacos, que incluem o omeprazol, por longo prazo é seguro e causa alívio nos desconfortos gastrintestinais que os usuários enfrentam com o uso da polifarmácia. No entanto, outros estudos mostram seu uso crônico podem estar relacionados a alguns efeitos adversos e alguns riscos associados a administração prolongada e/ou indiscriminada. O omeprazol faz parte da Relação Nacional de Medicamentos Essenciais (RENAME), amplamente utilizado na clínica para tratar variadas desordens, as quais estão associadas à secreção ácida do estômago, entre outras. Objetivo: Este estudo tem como objetivo de avaliar as prescrições de omeprazol na Atenção Primária à Saúde do município de Alfenas-MG. Método: Trata-se de um estudo descritivo, quantitativo e retrospectivo onde foram avaliadas todas as prescrições contendo o medicamento omeprazol, dispensadas no período de abril a novembro de 2020. As variáveis coletadas foram: dose e frequência diária do omeprazol, duração do tratamento, características demográficas como sexo, classes e interações com outros medicamentos. Resultados: Foram analisadas 12.627 prescrições ao total e encontradas 1.381 (10,9%) prescrições contendo omeprazol, sendo 547 (39,6%) do sexo masculino e 834 (60,4%) do sexo feminino. A média de medicamentos em uso pelos pacientes foi de 5,49, sugerindo polifarmácia. A dose de 20mg foi encontrada em 98,7% das prescrições, a maioria de uso contínuo e uma vez ao dia. Conclusão: Os resultados encontrados neste estudo poderão vir a contribuir de forma a beneficiar os usuários quanto ao uso correto do omeprazol.

Palavras-chave: Omeprazol; Atenção Primária à Saúde; Uso racional de medicamentos.


1 Curso de Graduação em Farmácia, Departamento de ciências farmacêuticas, Alfenas, MG.

AVALIAÇÃO DE ATIVIDADE ANTIPROLIFERATIVA DE UMA AMOSTRA VEGETAL SOBRE UMA LINHAGEM DE CÉLULA TUMORAL

SOUZA, Amanda1@; CRUZ, Laura da Silva2; SAYDEL, Natália2; CARMO, Mariana A. Vieira3; BENTO, Nathália4; BONIFACIO, Lucas4; SANTOS, Josiane2; FERNANDES, Carolina1; OLIVEIRA, Raphaela5; DE MOURA, Cristiane6; AZEVEDO, Luciana3.

@Autor correspondente: Amanda Souza. amanda.souza@sou.unifal-mg.edu.br.

Introdução: Um dos problemas enfrentados na atualidade é a busca por tratamento ao câncer, pois, mesmo com tantos avanços na medicina, ainda não existe uma cura. Dessa forma, se faz necessário estudos de terapias alternativas. Este estudo utiliza um extrato vegetal, proveniente da Camellia Sinensis, que foi extraída com etanol a 75%, identificada como ET75. Objetivo: Avaliar a citotoxicidade da ET75 in vitro, sobre as linhagens de células tumorais de fígado (HepG2). Materiais e métodos: Utilizou-se neste experimento uma linhagem de hepatocarcinoma cultivada no laboratório de Análises Nutricionais e Toxicológicas (LANTIN), sendo os procedimentos de cultivo realizados em fluxo laminar, em condições assépticas e utilizando materiais estéreis. A cultura celular foi mantida em meio DMEM (Dulbecco’s Modified Eagle’s Medium/NutrientMixture F-12 Ham), suplementadas com soro fetal bovino (SFB) a 10% e mantidas a 37º C em atmosfera umidificada com 5% de CO2. A linhagem HepG2 foi semeada em placas de 96/poços contendo 100 μL/poço de meio DMEM (10% SFB) por 24 horas. Em seguida, a amostra foi diluída em meio DMEM em seis concentrações (50, 100, 150, 200, 250 e 500 μg/mL) e adicionado na célula como tratamento por 48 horas sob tensão de 5% de CO2. Após o período de incubação, 10 μL de MTT (3-(4,5-dimethylthiazol-2-yl)-2,5-diphenyltetrazolium bromide; 5 mg/mL) foi adicionado aos poços, sendo as células incubadas por mais 4 horas a 37ºC. O meio foi removido e adicionou-se 100 μL de DMSO/poço. A absorbância foi detectada em comprimento de onda de 570 nm em espectrofotômetro. Cada análise foi realizada em quadruplicata. Os parâmetros IC50 (50% de inibição da viabilidade celular), IG50 (50% de inibição do crescimento) e LC50 (50% de morte celular) foram obtidos. Resultados: As diferentes concentrações de ET75 mostraram citotoxicidade sobre a linhagem analisada, com IC50= 401 µg/mL, IG50= 186,3 µg/mL, LC50= 545,4 µg/mL. Conclusão: Conclui-se que a amostra ET75 apresentou citotoxicidade relevante sobre a linhagem celular avaliada, sendo uma amostra vegetal capaz de inibir a proliferação de células de câncer de fígado humano.

Palavras-chave: Citotoxicidade; Hepatocarcinoma humano; Viabilidade celular.

Financiamento: FAPEMIG/DOF nº. 2505962/2018, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).


1 Curso de Graduação em Biotecnologia, Universidade Federal de Alfenas, Alfenas, MG.

2 Curso de Graduação em Ciências Farmacêuticas, Universidade Federal de Alfenas, Alfenas, MG.

3 Laboratório de Análises Nutricionais e Toxicológicas in vivo e in vitro (LANTIN), Universidade Federal de Alfenas, Alfenas, MG.

4 Curso de Graduação em Ciências Biológicas, Universidade Federal de Alfenas, Alfenas, MG.

5 Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas, Universidade Federal de Alfenas, Alfenas, MG.

6 Departamento de Química, Universidade de Ponta Grossa (UEPG), Ponta Grossa, PR.

AVALIAÇÃO DO EFEITO DO HORMÔNIO TIREOIDIANO NA ESTEATOSE HEPÁTICA INDUZIDA POR FRUTOSE EM ZEBRAFISH: UM ESTUDO PILOTO

FLACH, Karoline1; ALVES, Thiago2; PORAWSKI, Marilene3; SILVEIRA, Themis Reverbel da1@.

@Autor correspondente: Themis Reverbel da Silveira. themis.silveira@gmail.com.

Introdução: As mudanças no estilo de vida das últimas décadas trouxeram novos hábitos e aumento da incidência de doenças crônicas não transmissíveis. A doença hepática gordurosa não alcoólica (DHGNA) está associada a estas comorbidades. O seu primeiro estágio é denominado esteatose hepática, caracterizado por um acúmulo de gordura no fígado acima do considerado normal. Pode progredir para formas mais graves como a esteato-hepatite não alcoólica. Medicamentos das classes antidiabéticos ou hipolipemiantes e o consumo de substâncias antioxidantes são alguns recursos terapêuticos atualmente utilizados. Entretanto, não há tratamento específico para DHGNA e estes medicamentos são usados como off-label, de maneira diferente daquela descrita e aprovada por agência regulatória. Assim, são fundamentais estudos para identificar novas terapias. Os hormônios tireoidianos (HT) estão envolvidos em processos fisiológicos e a sua importância para o metabolismo de lipídeos vem sendo investigada. O zebrafish é um organismo vertebrado que possui grande homologia com os mamíferos, sendo utilizado para o estudo de doenças humanas e terapias inovadoras. Não há relatos da observação dos efeitos de hormônios tireoidianos na DHGNA em zebrafish. Objetivo: Avaliar o efeito de hormônios tireoidianos na esteatose hepática induzida por frutose em zebrafish. Método: Os zebrafish da espécie Danio rerio foram mantidos em aquários de 10 litros sob aeração constante, com um ciclo de 12h de luz e 12h de escuro e temperatura de 28ºC ± 2ºC. Os animais foram divididos em 5 grupos: Frutose (F), Frutose+HT2nM (FHT2), Frutose+HT10nM (FHT10), Controle+HT2nM (CHT2), Controle+HT10nM (CHT10). Durante 6 semanas os peixes foram expostos a 2% de frutose para indução da esteatose, com exceção dos grupos controle. Após, receberam tratamento com hormônio tireoidiano (levotiroxina sódica 2 nM ou 10 nM) durante 2 semanas, totalizando 8 semanas. Durante este período, os animais seguiram sendo expostos à frutose. Após, foram anestesiados e eutanasiados. Os fígados foram fixados em paraformaldeído 4% tamponado, seccionados e corados com Hematoxilina-eosina para análise em microscópio óptico. Resultados: A indução da esteatose por exposição à frutose 2% foi exitosa. Foram visualizadas células hepáticas com maior volume e apresentando gotículas de gordura no citoplasma, deslocando o núcleo da posição central. Porém, o tratamento com as diferentes doses de HT não reverteu a esteatose. Além disso, o grupo FHT10 apresentou uma esteatose mais pronunciada. Quando o HT foi administrado nos animais controle (CHT2 e CHT10), houve também dano hepático semelhante ao grupo F de maneira dose-dependente. Conclusão: Nossos resultados demonstram pela primeira vez o efeito do tratamento da esteatose hepática com HT em zebrafish. A concentração de T3 pode estar reduzida em estágios avançados da DHGNA, modulada pela diminuição de Dio1, afetando a metabolização de T4 em T3. É possível que baixas doses de levotiroxina (T4) possam ser mais eficazes para tratar estágios precoces de DHGNA. O tempo de tratamento pode não ter sido suficiente para reversão da esteatose. Assim, é necessário que mais estudos sejam realizados a fim de elucidar o papel dos HT na DHGNA, bem como investigar novas opções de tratamento.

Palavras-chave: Zebrafish; Esteato-hepatite não-alcoólica; Hormônios tireoidianos.


1 Programa de Pós-Graduação em Pediatria: atenção à saúde da criança e do adolescente, Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre, Porto Alegre, RS.

2 Curso de Graduação em Nutrição, Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre, Porto Alegre, RS.

3 Programa de Pós-Graduação em Biociências, Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre, Porto Alegre, RS.

AVALIAÇÃO DO FENÓTIPO DE CÉLULAS IMUNES NA TERAPIA DE CALOR APÓS EXERCÍCIO EXAUSTIVO EM INDIVÍDUOS JOVENS: UM ESTUDO EX VIVO

RIBEIRO, Rafaela1, 2; SCHIPPER, Lucas2; DORNELES, Gilson2; ROMÃO, Pedro2@.

@Autor correspondente: Pedro Romão. pedror@ufcspa.edu.br.

Introdução: O exercício físico exaustivo apresenta induz alta taxa de dano muscular, estresse metabólico e intensa resposta inflamatória que pode impactar diretamente o processo de reparação tecidual, remodelamento e adaptação ao exercício. Observa- se importante migração dos monócitos/macrófagos para sítios de lesão, sendo estes associados a uma sinalização elevada de quimiocinas e citocinas circulantes de caráter pró-inflamatório atuando no aumento da proliferação de mioblastos. Assim, estratégias para recuperação da função muscular são necessárias, pois sabe-se que o exercício físico tem grande impacto na recuperação e nos marcadores de dano muscular. Destaca-se terapias de calor, pois evidências recentes mostram o efeito na resposta inflamatória, alterações nas expressões gênicas, biogênese mitocondrial e expressão da proteína de choque térmico (HSP). Objetivo: Avaliação dos efeitos da terapia de calor com sangue total ex vivo na resposta inflamatória de monócitos após exercício extenuante em indivíduos jovens. Método: Ao total, oito indivíduos fisicamente ativos executaram um protocolo de exercício exaustivo até a fadiga muscular (10 séries de subida-descida em estepe com repetições até a exaustão). Amostras sanguíneas foram coletadas antes e após o protocolo de exercício, e a incubação das amostras de sangue total foram feitas em diferentes temperaturas, sendo elas: 37°C e 40°C no período de tempo de 2 horas. Ademais, foram realizadas análises da concentração de cortisol, creatina quinase (CK), lactato desidrogenase (LDH) e níveis de ácido úrico por ensaio bioquímico automatizado. A citometria de fluxo avaliou a ativação do fator de transcrição nuclear-kappa B (NF-κB), expressão do receptor do tipo Toll-like 4 (TLR4), potencial de membrana mitocondrial (MMP) e o fator de necrose tumoral alfa (TNF-α) em monócitos CD14+. Resultados: Os níveis sistêmicos dos marcadores de dano muscular, sendo estes: creatina quinase, lactato desidrogenase e cortisol, aumentaram significativamente. Observou-se um aumento na expressão de TLR4 e na ativação do fator de transcrição NF-kB em temperatura de 37ºC comparado ao momento pré exercício extenuante a 37ºC. O tratamento ex vivo de choque térmico em amostras pós-exercício reduziu a expressão de TLR-4 e NF-kB em monócitos comparado ao modelo pós-exercício 37ºC. MMP em monócitos CD14+ diminuiu após exercício extenuante em 37ºC e 40ºC com diferença significativa entre as condições. Os efeitos do tratamento térmico em monócitos CD14+ expressando TNF-α demonstraram uma tendência de retorno à expressão pré-exercício. Conclusão: Com isso, a junção da resposta inflamatória relacionada com a terapia de calor apresenta potencial aplicabilidade no que diz respeito a recuperação após exercício que ocasiona grande impacto no dano muscular.

Palavras-chave: Inflamação; Choque Térmico; Reabilitação.


1 Curso de Graduação em Informática Biomédica, Departamento de Ciências da Saúde, Porto Alegre, RS.

2 Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, Instituto Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre, Porto Alegre, RS.

AVALIAÇÃO DO PAPEL NEUROPROTETOR DO CANABIDIOL NO EFEITO ANTINOCICEPTIVO INDUZIDO PELA ELETROACUPUNTURA COM 2 HZ EM MODELO DE DOR MIOFASCIAL AGUDA EM RATOS

SILVA, Ariel Pereira1@; SCAGLIONI, Bianca Coelho1; AMARAL, Mariana Grande1; GENEROSO, Laura Pereira1; OLIVEIRA, Stefanie Leal2; MORAIS, Thaís Cristine3; CAPELLO, Maria Gabriela Maziero3; FERREIRA, Laís Leite3; SILVA, Marcelo Lourenço3; SILVA, Josie Resende Torres da Silva3.

@Autor correspondente: Ariel Pereira Silva. ariel.silva@sou.unifal-mg.edu.br.

Introdução: A síndrome da dor miofascial (MPS) é uma das causas frequentes de dor muscular observadas clinicamente, sendo caracterizada por área de tecido muscular anormal à palpação, acompanhado de pontos sensíveis e/ou bandas tensas de dor com redução da amplitude de movimento. A eletroacupuntura (EA), tem sido amplamente utilizada no manejo da dor miofascial. O canabidiol (CBD) é uma substância presente na planta Cannabis e que atua no sistema nervoso central, utilizado no tratamento da dor. Objetivo: O objetivo do estudo foi avaliar se EA de 2 Hz nos pontos E36 e BP6 associada ao pré-tratamento com CBD modifica o limiar mecânico em ratos Wistar com MPS. Método: Foi realizada a aplicação de 2 doses de Fator de Crescimento Neural (NGF) no músculo multifidus (MF) esquerdo dos ratos, com intervalo de 5 dias, para indução da MPS. Foi realizado o pré-tratamento com CBD (5 mg/10μl) ou veículo (óleo de uva) e, em seguida, realizada a EA (2 Hz) ou sham-EA (0 Hz) por 20 minutos. O limiar mecânico foi avaliado através de Von Frey eletrônico antes da aplicação de cada injeção de NGF nos tempos de 10, 30, 60 e 120 minutos após EA. Resultados: A injeção de NGF no MF foi capaz de reduzir o limiar de pressão nos animais por 120 minutos. Não houve alteração na hiperalgesia induzida por NGF pela pré-administração de veículo e sham-EA. A EA 2Hz foi capaz de reduzir a hiperalgesia nos tempos 10, 30 e 60 minutos em comparação com sham- EA. A pré-administração de CBD no MF também reduziu a hiperalgesia nos tempos 10, 30 e 60 minutos nos animais sham-EA em comparação com o veículo. A combinação de CBD e a EA 2Hz induziu significativa redução da hiperalgesia por 120 minutos. Conclusão: A administração de CBD no MF ou EA 2Hz nos pontos E36 e BP6, são capazes isoladamente de reduzir a hiperalgesia de animais com MPS. A associação de CBD e a 2Hz produziram maior efeito de diminuição da hiperalgesia mecânica na região do MF por 120 minutos.

Palavras-chave: Eletroacupuntura; Canabidiol; Dor miofascial.


1 Curso de Graduação em Fisioterapia, Instituto de Ciências da Motricidade, Alfenas, MG.

2 Curso de Graduação em Biomedicina, Alfenas, MG.

3 Programa de Pós-Graduação em Biociências Aplicadas à Saúde, Instituto de Ciências da Motricidade, Alfenas, MG.

AVALIAÇÃO DO POTENCIAL ANTIBIOFILME DE COMPOSTOS DA CLASSE DAS DIHIDROPIRIMIDINONAS: ANÁLISES IN SILICO E IN VITRO

RAMOS, Victória S.1; UNGER, Natasha R.2; NICOLA, Ariele3; BIAJOLI, Marla N.G.4; BRAUN, Rodrigo L.5; ZIMMER, Karine R.1@.

@Autor correspondente: Karine R. Zimmer. karinerz@ufcspa.edu.br.

Introdução: Os biofilmes são uma forma de vida séssil presentes em diversas infecções humanas, apresentando resistência elevada a antimicrobianos e à imunidade do hospedeiro. São responsáveis por aproximadamente 80% das infecções humanas crônicas. Assim, é indispensável buscar novas estratégias terapêuticas no controle de infecções envolvendo biofilmes. Recentemente, moléculas da classe das dihidropirimidinonas (DHPMs) destacaram-se pela ampla bioatividade, com propriedades antiviral, anti-inflamatória, antiparasitária e antibacteriana. Interessantemente, não há relato de atividade antibiofilme atribuída às DHPMs. Objetivo: Avaliar o potencial antibiofilme das DHPMs por métodos in silico e in vitro nos modelos Staphylococcus aureus e Pseudomonas aeruginosa, patógenos de grande importância clínica. Método: Pesquisou-se pelas atividades biológicas descritas para 33 DHPMs na plataforma SciFinder. Foram avaliados seus aspectos físico-químicos, farmacocinéticos e fatores de absorção, distribuição, metabolismo e excreção (propriedades ADME) na plataforma SwissADME. A predição de alvos foi investigada na plataforma SwissTargetPrediction. Associando palavras dos alvos encontrados e das bactérias de interesse, identificaram-se artigos científicos, além da caracterização das proteínas na base de dados Uniprot. Posteriormente, utilizando modelos de proteínas estipuladas e estrutura tridimensional dos compostos, as interações entre receptores e ligantes foram determinadas por docking (servidor DockThor). Sintetizaram-se 12 DHPMs pela reação multicomponente de Biginelli, sob catálise ácida. Analisou-se a atividade antibacteriana e de inibição de biofilme de 5 compostos por microdiluição em caldo e pelo método do cristal violeta, respectivamente, utilizando opatógeno S. aureus ATCC 25904 e uma curva dose-resposta de 1 a 512 µg/mL. Resultados: Foram descritas 14 atividades para as 33 DHPMs, destacando as atividades antimicrobiana, antitumoral e antioxidante. Nenhum relato sobre atividade antibiofilme foi encontrado. Os principais modelos bacterianos utilizados nos estudos foram Escherichia coli, S. aureus e P. aeruginosa. Analisando as propriedades físico-químicas e farmacocinéticas das DHPMs, todas foram classificadas como de alta absorção gastrointestinal, 69% como moderadamente solúvel em água e 61,5% como impermeáveis à barreira hematoencefálica. Quanto à toxicidade, a maioria está na classe IV e ٣ moléculas foram classificadas como não-tóxicas. Hepatotoxicidade e potencial carcinogênico foram os principais efeitos danosos, no entanto apresentando baixa probabilidade. A análise das propriedades farmacofóricas apontou duas proteínas para melhor análise como potenciais alvos: a proteína YmcA e o PRD do anti-terminador LicT, descritos no PDB para Bacillus subtilis, ambos presentes em S. aureus e P. aeruginosa. Nos ensaios in vitro contra S. aureus, todos os compostos testados inibiram mais de 50% da formação de biofilme na concentração de 512 µg/mL. O composto DB42 inibiu mais de 74% do biofilme à 128 µg/mL, sem inibição do crescimento. O composto DB41 inibiu mais de 89% do biofilme à 512 µg/mL, com inibição de 30% do crescimento. O composto PJ03 inibiu 85% da formação de biofilme em 512 µg/mL, sem qualquer inibição ao crescimento. Conclusão: As ferramentas computacionais são fundamentais na triagem de compostos, pois permitem a otimização de tempo e recursos. O desenvolvimento de moléculas com atividade contra biofilmes é essencial e de extrema urgência, considerando a dificuldade de ação dos antimicrobianos convencionais e a problemática de resistência de infecções envolvendo biofilmes.

Palavras-chave: Biofilmes; Dihidropirimidinonas; Staphylococcus aureus.


1 Programa de Pós-Graduação em Biociências, BioModal – Laboratório de Biofilmes e Modelos Alternativos, Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre, Porto Alegre, RS.

2 Curso de Graduação em Farmácia, Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre, Porto Alegre, RS.

3 Curso de Graduação em Química Medicinal, Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre, Porto Alegre, RS.

4 Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre, Porto Alegre, RS.

5 Programa de Pós-Graduação em Biociências, Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre, Porto Alegre, RS.

AVALIAÇÃO DO POTENCIAL ANTIMICROBIANO DOS ACTINOMICETOS ORIUNDOS DE LAVOURAS CAFEEIRAS ORGÂNICAS E CONVENCIONAIS

MARCACINI, Larissa Vitória1@; KIMURA, Lina1@.

@Autor correspondente: Larissa Vitória Marcacini. larissa.marcacini@sou.unifal-mg.edu.br; Lina Kimura. lina.kimura@sou.unifal-mg.edu.br.

Introdução: As bactérias são seres essenciais e inseparáveis da vida na terra, algumas inofensivas e até benéficas para o seu hospedeiro, sendo intrinsecamente ligadas aos comportamentos desses organismos, assim habitando diversos ambientes. Dentre os microrganismos que compõem esse domínio, os actinomicetos, mais especificamente do gênero Streptomyces spp., são provenientes, principalmente, do solo, considerado ambiente propício ao seu desenvolvimento e apresentam capacidade de sintetizar os metabólitos secundários, como os antibióticos e enzimas extracelulares, ambos com atividade antibacteriana, antifúngica e antiprotozoária, as quais podem ter fatores interferentes em relação ao seu desempenho. Objetivo: Propusemo-nos a avaliar o impacto do manejo de lavouras cafeeiras convencionais e orgânicas na diversidade do solo e no potencial antimicrobiano dos actinomicetos. Método: Amostras de solo em uma área específica dos cultivos cafeeiros foram coletadas e submetidas à diluição seriada em solução salina 0,9%, semeada em meio de cultura sólido, através da metodologia Pour Plate e incubados à temperatura ambiente. A partir das colônias obtidas realizou-se análises macro e microscópicas para caracterização do grupamento microbiano. As colônias de actinomicetos foram isoladas e posteriormente inoculados frente a outros microrganismos oportunistas e ou patogênicos em meio Ágar Mueller-Hinton, com o intuito de observar a performance inibitória dos actinomicetos em relação ao crescimento dessas espécies confrontadas. Resultados: Foram isoladas 7 colônias de actinomicetos na amostra orgânica e 6 colônias de actinomicetos na amostra convencional, no qual em análise microscópica, 9 cepas apresentaram hifas filamentosas ou fragmentavam-se em bacilos. Em relação aos isolados do solo orgânico, houve inibição de crescimento por 3 cepas para Streptococcus pyogenes, 5 cepas para Candida albicans, 3 cepas para Candida krusei enquanto que para Staphylococcus aureus não houve nenhuma cepa isolada que demonstrou inibição de crescimento. os isolados do solo convencional, ocorreu inibição somente do crescimento de Candida krusei por 2 cepas. Conclusão: O manejo orgânico não apresentou número expressivo de isolamento se comparado ao manejo convencional, porém apresentou maior inibição de crescimento frente aos microrganismos de interesse de estudo em infecções hospitalares em relação aos microrganismos isolados do manejo convencional.

Palavras-chave: Actinomicetos; Antimicrobianos; Solo.


1 Curso de Graduação em Farmácia, Departamento de Ciências Farmacêuticas, Alfenas, MG.

AVALIAÇÃO DO TRATAMENTO COM EXTRATO DO CAROÇO DO AÇAÍ E EXERCÍCIO NA RESPOSTA VASCULAR E PERFIL OXIDATIVO DE RATOS HIPERTENSOS

DE OLIVEIRA, Beatriz Cardoso1@; SOARES, Ricardo de Andrade1; DE MENEZES, Matheus Pontes1; SILVA, Dafne Beserra1; DE BEM, Graziele Freitas2; OGNIBENE, Dayane Teixeira2

DA COSTA, Cristiane Aguiar2; RESENDE, Angela de Castro2.

@Autor correspondente: Beatriz Cardoso de Oliveira. me.beatrizcardoso@gmail.com.

Introdução: A hipertensão arterial (HA) é um dos principais fatores de risco para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares. A prática regular de atividade física é um tratamento não farmacológico e o extrato hidroalcoólico do caroço da Euterpe Oleracea Mart. (ASE), popularmente conhecido como açaí, tem propriedades anti- hipertensivas, antioxidantes e promove melhora da performance física. Objetivo: Avaliar os efeitos do tratamento com ASE e do exercício físico moderado na função vascular de animais espontaneamente hipertensos (SHR) e associar com o estado oxidativo e a performance física. Método: (CEUA 006/2017) 10 ratos Wistar (CONTROLE) e 40 SHR machos divididos nos grupos SHR, SHR+ASE (200mg/kg/dia/8semanas por gavagem intragástrica), SHR+TR (treinamento em esteira por 30minpor dia, 5dias por semana, durante 8 semanas) e SHR+TR+ASE. O TR foi realizado com intensidade moderava, com 50% da velocidade máxima atingida durante o teste de esforço máximo, que foi realizado antes do início, no meio e ao final do protocolo experimental. O peso corporal e a pressão arterial (PA) foram aferidos semanalmente. Os níveis séricos de lactato e glicose foram dosados antes do início e ao final do período de treinamento. Ao final, teste oral de tolerância à glicose (TOTG) também foi realizado. O leito arterial mesentérico e a aorta foram utilizados nos ensaios de reatividade vascular em resposta à acetilcolina e noradrenalina. Os níveis de marcadores da peroxidação lipídica, enzimas antioxidantes e nitrito foram avaliados em plasma e aorta. Triglicerídeos e Colesterol total foram dosados no plasma. A análise morfológica e imunohistoquímica do 8- isoprostano foram realizadas em aorta. Resultados: O tratamento com ASE reduziu o peso corporal, sem alteração adicional pelo TR. A glicemia aumentada no SHR não foi alterada pelo ASE ou TR, assim como não houve diferença no TOTG entre os grupos. O treino associado ao extrato reduziu os níveis de colesterol e triglicerídeos. O ASE aumentou os níveis de lactato ao final das 8 semanas. O TR promoveu uma melhora na performance física e o tratamento com ASE promoveu uma melhora adicional de 14% do tempo e 32% na distância percorrida no teste de esforço. O ASE reduziu a PA, melhorou a resposta vascular, reduziu a espessura da parede da aorta e aumentou os níveis de nitrito, resultando em uma melhora da função vascular. Além disso, reduziu os marcadores do dano oxidativo e aumentou a atividade das enzimas antioxidantes. Conclusão: O tratamento com ASE promoveu um ganho adicional na performance dos animais submetidos ao treinamento físico e atuou na manutenção do desempenho adquirido. Este efeito benéfico do extrato pode ser atribuído em parte a redução da PA e a melhora da função vascular, o que não foi promovido pelo treinamento isoladamente, associada a uma redução do estresse oxidativo, resultando na melhora da disfunção endotelial comumente observada na hipertensão.

Palavras-chave: Hipertensão; Estresse oxidativo; Exercício físico.


1 Programa de Pós-Graduação em Biociências, Instituto de Biologia Roberto Alcântara Gomes- UERJ, Rio de Janeiro, RJ.

2 Instituto de Biologia Roberto Alcântara Gomes, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ.

AVALIAÇÃO DOS EFEITOS ANTI-INFLAMATÓRIO E ANALGÉSICO DA RESOLVINA D5 NO MODELO DE DOR E INFLAMAÇÃO INDUZIDO POR CARRAGENINA EM CAMUNDONGOS

MAXIMIANO, Thaila K. E.1@; BERTOZZI, Mariana M.1; SARAIVA-SANTOS, Telma1; ZANINELLI, Tiago H.1; DE PAULA, Maria R. F.1; VERRI, Waldiceu A.1.

@Autor correspondente: Thaila K. Maximiano. thaila.maximiano@uel.br.

Introdução: A inflamação é uma resposta imediata causada por um agente agressor ou injúria tecidual, a qual ativa a produção de mediadores inflamatórios por diversas células e mecanismos. Estes mediadores químicos gerados no local de inflamação agem sobre receptores específicos nos neurônios nociceptivos primários e são responsáveis por reduzir o limiar de ativação dos mesmos promovendo a sensibilização periférica. A Resolvina (RvD5) é um mediador lipídico pró-resolução (MLPR) derivado do ácido docosahexaenóico (DHA), um metabólito do ômega 3, que tem sido estudada pelo seu efeito analgésico e anti-inflamatório. A carragenina, um polissacarídeo sulfatado presente em algas marinhas vermelhas, ao entrar em contato com células teciduais residentes e leucócitos recrutados para o foco inflamatório, promove a produção de diversos mediadores pró-inflamatórios e espécies reativas de oxigênio (EROs) que, em última instância, promovem a produção de prostanóides e aminas simpáticas Objetivo: Dito isto, esse projeto teve como objetivo avaliar o efeito analgésico e anti-inflamatório da RvD5 na dor e inflamação induzidas por carragenina em camundongos. Método: Camundongos Swiss (machos) foram tratados com RvD5 nas doses de 1, 3, 10 e 30 ng (determinação da melhor dose) ou veículo (etanol 3,2% em salina), via intraperitoneal (i.p.), uma hora antes do estímulo com carragenina (300 µg/ 20 µL via intraplantar (i.pl.) e 1 mg/ 200 µL, i.p.). Foram realizadas as análises de hiperalgesia mecânica (von Frey), hiperalgesia térmica (placa quente e hargreaves), edema, atividade da enzima mieloperoxidase (MPO) e análise histopatológica por hematoxilina e eosina (H/E) na pata de camundongos, além disso, foi realizada a contagem de leucócitos totais e perfil leucocitário em modelo de peritonite. Resultados com p-valor menor que 0,05 foram considerados significativos. Resultados: Nós demonstramos que a RvD5 apresenta efeito analgésico e anti-inflamatório de maneira dose-dependente. A RvD5 nas doses de 3 e 10 ng por animal foram capazes de reduzir a hiperalgesia mecânica em todos os ponto-tempos avaliados e, de modo semelhante, a RvD5 na dose de 10 ng por animal foi capaz de promover a redução da hiperalgesia térmica em ambos, placa quente e hargreaves. No que se refere ao efeito anti-inflamatório desse MLPR, a RvD5 na dose de 10 ng por animal foi capaz de promover a redução do edema provocado pela carragenina em todos os ponto-tempos avaliados, e a RvD5 nas doses de 10 e 30 ng foram capazes de promover a redução da atividade da enzima MPO, sendo que esta é comumente utilizada como marcador indireto da migração de neutrófilos para os tecidos, um leucócito de grande importância na inflamação de natureza aguda. Também demonstramos que a RvD5 nas doses de 1, 3 e 10 ng foram capazes de reduzir a migração de leucócitos totais, polimorfonucleares e mononucleares para a cavidade peritoneal. Conclusão: Portando, a RvD5 apresenta possuir efeito analgésico e anti-inflamatório em modelo de dor e inflamação aguda induzido por carragenina, sendo este um MLPR promissor para o tratamento de doenças de cunho inflamatório.

Palavras-chave: Dor Inflamatória; Resolvina D5; Mediadores lipídicos pró- resolução.


1 Programa de Pós-Graduação em Patologia Experimental, Instituto Universidade Estadual de Londrina, Londrina, PR.

AVALIAÇÃO QUANTITATIVA DO PERFIL DE EXPRESSÃO DE BIOMARCADORES EM TUMORES MAMÁRIOS DE CADELAS

LIMA, Sabryna Stéffany Cordeiro1@; PINHEIRO, Danilo do Rosário2,3; DE SOUSA, Raissa Melo3; BURBANO, Rommel Mário Rodriguez1,4; BORGES, Bárbara do Nascimento1,3.

@Autor correspondente: Sabryna Stéffany Cordeiro Lima. sabryna.cordeiro.lima@ifch.ufpa.br.

O câncer de mama é uma das doenças mais comuns em mulheres e causa mais comum de morte por neoplasias em cadelas, especialmente em animais não castrados. Além da importância para a veterinária, por ter ocorrência espontânea, genética, etiologia, classificação histológica e fatores de risco semelhantes aos de humanos, tumores mamários caninos são considerados bom modelos experimentais para o câncer de mama em mulheres. Assim, a identificação de marcadores comuns entre as espécies é importante para um melhor entendimento dos mecanismos moleculares envolvidos no desenvolvimento e progressão dessa neoplasia. Desse modo, o presente estudo verificou a expressão de genes envolvidos no ciclo celular (CCNA2, CCNB2, CHEK2 e TTK) como biomarcadores em tumores mamários de cadelas. Amostras tumorais e não tumorais de tecido mamário foram coletadas de 40 pacientes submetidos à mastectomia no Hospital Veterinário da UFRA- campus Belém (HOVET). O RNA foi obtido utilizando um kit comercial e a quantificação da expressão dos genes foi realizada por PCR em tempo real utilizando o sistema TaqMan. Todos os procedimentos do estudo foram aprovados pelo Comitê de Ética no Uso de Animais da UFPA. Não foi observada correlação entre a expressão dos genes analisados e as características clínicas das pacientes analisadas (idade, gestação, pseudociese, uso de progestágenos, entre outros). Por outro lado, diferenças na expressão entre os subtipos moleculares foram observadas em CCNA2 (especialmente amostras dos subtipos Luminal A e Luminal B), e em TTK, que apresentou um discreto aumento de expressão no subtipo Triplo Negativo. Por outro lado, CCNB2 e CHEK2 apresentaram diferença de expressão entre os tecidos tumorais e não tumorais, independente do subtipo molecular. Os resultados sugerem que os níveis de expressão de CCNA2 e TTK podem ser utilizados como marcadores de prognóstico e/ou resposta ao tratamento, enquanto os de CCNB2 e CHEK2 podem ser considerados marcadores diagnósticos em tumores mamários caninos.

Palavras-chave: Oncologia comparada; Biomarcadores; Câncer de mama.


1 Programa de Pós-Graduação em Neurociências e Biologia Celular, Instituto de Ciências Biológicas, Universidade Federal do Pará, Belém, PA.

2 Campus de Paragominas, Universidade Federal Rural da Amazônia, Paragominas, PA.

3 Laboratório de Biologia Molecular, Instituto de Ciências Biológicas, Universidade Federal do Pará, Belém, PA.

4 Laboratório de Biologia Molecular, Hospital Ophir Loyola, Belém, PA.

AVALIAÇÃO SUBJETIVA DA QUALIDADE DO SONO EM ATLETAS DE FITNESS FUNCIONAL

BENVINDO, Vinícius Vieira1@; GUALBERTO, Pedro Ian Barbalho1; TIBANA, Ramires Alsamir2; DERESZ, Luís Fernando1.

@Autor correspondente: Vinícius Vieira Benvindo. viniciusvieira.nutricao@gmail.com.

Introdução: O Fitness Funcional (Crossfit®) é um exercício de alta intensidade caracterizado por combinar várias capacidades físicas e movimentos multiarticulares na mesma modalidade. Para que o atleta alcance o desempenho máximo nos treinamentos e competições é necessário que ele esteja fisicamente recuperado entre as sessões de treinamento. Neste sentido, destaca-se a importância do sono na prática esportiva, visto as suas funções na reparação de danos musculares, processos de recuperação fisiológica, alívio da fadiga mental, dentre outros. Objetivo: Descrever a qualidade do sono de atletas Fitness Funcional na fase transmutação da periodização do treinamento. Método: Estudo transversal e descritivo com amostra composta por atletas da categoria elite do Fitness Funcional. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Instituição dos autores (CAEE 55073022.5.0000.5147) e registrado no REBEC sob número RBR-369svc4. Foram coletadas informações sociodemográficas e de qualidade do sono (Índice de Qualidade do Sono de Pittsburgh IQSP). A normalidade dos dados foi avaliada pelo teste de Shapiro-Wilk e os dados estão apresentados em média (± desvio padrão) e frequência absoluta (%). As análises foram realizadas no software SPSS v. 21. Resultados: A amostra (n=19) foi composta por atletas de Fitness Funcional da categoria elite, do sexo masculino, com idade de 30,4 ± 5,3 anos e tempo na modalidade de 61,3 ± 13,5 meses. Os resultados do IQSP indicam que a qualidade do sono é ruim em 17 (89,5%) dos atletas, embora na autoavaliação (Componente 1 - Qualidade subjetiva do sono) 13 (68,4%) atletas indicaram ter boa qualidade do sono. Dezesseis atletas (85,9%) apresentaram maior prevalência de classificações negativas nos distúrbios do sono (Componente 5). 11 (57,9%) dos atletas indicaram predomínio do turno da manhã para a realização das atividades diárias, 10 (52,6%) dos treinos e 11 (57,9%) ter o turno de trabalho e estudos alternado, respectivamente. Ainda, 14 (73,7%) não realizavam outros tipos de treino, 18 (94,7%) não utilizavam fármacos ou fitoterápicos e 16 (85,9%) não possuíam doenças que possam interferir na qualidade do sono. Conclusão: Ainda que os atletas relatem boa autoavaliação na qualidade do sono, os dados do IQSP demonstraram necessidade de melhorias na qualidade do sono, principalmente nos domínios de eficiência do sono e horas de sono dormidas dos participantes. Estes resultados podem implicar na qualidade dos treinos subsequentes e na presença de dor e/ou fadiga, bem como em variáveis relacionadas ao desempenho.

Palavras-chave: Hábitos de Sono; Qualidade do Sono; Performance Esportiva.


1 Programa de Pós-Graduação em Ciências Aplicadas à Saúde, UFJF – GV, Governador Valadares, MG.

2 Universidade Federal do Mato Grosso (UFTM) – Faculdade de Ciências Médicas.

CARACTERIZAÇÃO DE MÃES E RECÉM-NASCIDOS INFECTADOS POR SARS- COV-2 NO PERÍODO GESTACIONAL

SANTOS, Alessandra M. G.1@; SILVA, Aline D.2; VIERA, Claudia1.

@Autor correspondente: Alessandra M. G. Santos. ale.garcia75@gmail.com.

Introdução: A pandemia de Covid-19, causada pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, descoberto em janeiro de 2020 na China, resultou elevados números de casos e óbitos ao redor do mundo. Grupos específicos tendenciaram a um risco elevado ao serem contaminados pelo vírus, entre eles as gestantes, devido as alterações naturais da gestação serem intensificadas em caso de adoecimento pelo coronavírus. Ainda, questões acerca de possíveis prejuízos ao feto ainda permanecem incertas e necessitam de acompanhamento para serem esclarecidas. Objetivo: Caracterizar as mães acometidas pelo SARS-CoV-2 no período gestacional, bem como apresentar as informações perinatais destes Recém-Nascidos (RN). Método: Pesquisa quantitativa, retrospectiva, realizada com nascidos vivos do município de Cascavel/ PR, do período de julho de 2020 e dezembro de 2021, nascidos de mães que foram infectadas pelo SARS-CoV-2 durante a gestação. Resultados: No período analisado, 1860 gestantes realizaram exames para detecção do vírus SARS-CoV-2. Destas, 271 (14,6%) testaram positivo para SARS-CoV-2, necessitando de internamento em 79 (29%) dos casos. Das que testaram positivo, 05 (1,8%) evoluíram a óbito. Na ocasião do parto, 214 ocorreram no município de Cascavel/PR, onde os RN apresentaram idade gestacional média de 37 semanas (± 2,8 semanas). Nascimentos prematuros somaram 46 ocorrências (21,5%). O nascimento via cesárea ocorreu em 136 (63%) casos. O peso médio ao nascimento foi 3042 gramas (±662 gramas). Nenhuma malformação congênita foi relatada entre estes casos. Conclusão: Observando os dados apresentados, nota-se um aumento de nascimentos via cesárea, mesma situação encontrada em outros estudos que apontam o aumento de cesáreas durante a pandemia, principalmente em mulheres que positivam para o Covid-19. Estes estudos, ainda, relatam tendencia para partos prematuros, corroborando com os dados encontrados no município de Cascavel/PR, nesta pesquisa. Desta forma, o cuidado e acompanhamento destes RN deve ser continuado no período pós-parto, a fim de assegurar condições adequadas de desenvolvimento para estas crianças, visto as condições relacionadas a prematuridade e o desconhecimento acerca de possíveis alterações relacionadas a contaminação pelo SARS-CoV-2 no período gestacional.

Palavras-chave: Covid-19; Gestantes; Recém-nascido.


1 Programa de Pós-Graduação em Biociências e Saúde da Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Cascavel, Paraná.

2 Curso de Graduação em Enfermagem, Departamento de Ciências da Saúde da Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Cascavel, PR.

CARACTERIZAÇÃO QUÍMICA E POTENCIAL FUNCIONAL DE ANTOCIANINAS DE TORTA DE GROSELHA NEGRA (RIBES NIGRUM L.) EM RATOS INDUZIDOS AO CÂNCER DE COLON

LIMA, Amanda dos Santos1@; PINHEIRO, Lucas Cezar2; NOVAES, Rômulo Dias3; ALMEIDA, Leonardo Augusto4; MARTINO, Hercia Stampini5; GRANATO, Daniel6; GIUSTI-PAIVA, Alexandre1; LIMA, Graziela Domingues de Almeida3; CRUZ, Laura da Silva7; PAP, Nora8; AZEVEDO, Luciana9.

@Autor correspondente: Amanda dos Santos Lima. amanda.lima@sou.unifal-mg.edu.br.

Introdução: Cada vez mais estudos sugerem redução no risco de desenvolvimento de vários tipos de cânceres quando associado a ingestão regular de frutas e vegetais. Esse fato se deve ao grande número de compostos bioativos presentes nestes alimentos que podem atuar, direta ou indiretamente, na prevenção ou tratamento destes cânceres. A groselha negra é uma baga amplamente conhecida pelo seu alto teor de compostos bioativos, principalmente antocianinas. Objetivo: Investigar o potencial funcional de antocianinas presentes na pasta comercial da groselha negra em ratos induzidos ao câncer colorretal. Método: O projeto foi previamente submetido à Comissão de Ética no Uso de Animais da UNIFAL-MG, COBEA sob o 0011/2021. 60 ratos Wistar machos, com 4 semanas de idade, foram separados em grupos 6 contendo 10 animais cada, e mantidos em condições controladas de temperatura (21±2 ºC) e fotoperíodo (12h claro/escuro). Receberam ração comercial (Nuvilab®), incorporada a groselha negra moída na proporção de 5, 10 e 15% e água ad libitum antes e durante a realização do experimento. As rações foram analisadas em relação ao perfil nutricional e a groselha foi analisada quimicamente em relação ao teor de compostos fenólicos e atividade antioxidante. Para indução do processo carcinogênico, os ratos receberam injeções de dicloridrato de 1,2-dimetil-hidrazina (DMH, Sigma St. Louis, EUA) (DMH, 40 mg/kg p.c.) uma vez por semana durante quatro semanas. Para análise do perfil de crescimento, a pesagem da ração foi realizada diariamente até o fim do experimento, e a pesagem dos ratos semanalmente. Após eutanásia, foram coletados cólon, fígado e fezes para avaliação de atividade antineoplásica, modulação sobre a microbiota intestinal, processo inflamatório e estresse oxidativo, através de análises de focos de criptas aberrantes e focos depletados de mucina, morfologia tecidual, ensaios de GSH, MDA e pela medida da expressão gênica dos marcadores inflamatórios TNF-α, IL-10, BAX, BCL2. Resultados: Através dos nossos achados podemos demonstrar que a groselha negra, em sua maior dosagem, induziu um processo inflamatório e acentuou o estresse oxidativo gerado pelo pró-carcinógeno DMH, evidenciado pela presença de disbiose no microbioma intestinal, alteração na morfologia tecidual do cólon e pelo aumento no número de focos de criptas aberrantes. Esse efeito também foi confirmado pelo aumento dos níveis de citocina inflamatória (TNF-α) e inibição de proteínas pró-apoptóticas (BAX), bem como pelo aumento da peroxidação lipídica (MDA) e depleção dos sistemas de defesa antioxidantes (GSH e GSSG) para combater o dano gerado. Conclusão: A ingestão da groselha negra nas dosagens mais altas não exerceu efeito protetor contra o desenvolvimento de lesões pré- neoplásicas nos ratos Wistar. Sem dúvida, todas as preocupações sobre a atividade pró-oxidante dos antioxidantes naturais estão relacionadas a altas doses e, por isso, as atividades pró-oxidantes das antocianinas precisam ser melhor investigadas em estudos futuros.

Palavras-chave: Antocianinas; Câncer colorretal; Inflamação.

Financiamento: FAPEMIG/DOF nº. 2505962/2018, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).


1 Programa de Pós-Graduação Multicêntrico em Ciências Fisiológicas, Universidade Federal de Alfenas, Alfenas, MG.

2 Programa de Pós-Graduação em Biociências Aplicadas à Saúde, Universidade Federal de Alfenas, Alfenas, MG.

3 Departamento de Biologia Estrutural, Universidade Federal de Alfenas, Alfenas, MG.

4 Departamento de Microbiologia e Imunologia, Universidade Federal de Alfenas, Alfenas, MG.

5 Departamento de Nutrição e Saúde, Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, MG.

6 Universidade de Limerick, Departamento de Ciências Biológicas, Faculdade de Ciências e Engenharia, Limerick, Irlanda.

7 Curso de Graduação em Farmácia, Universidade Federal de Alfenas, Alfenas, MG.

8 Processamento e Qualidade de Alimentos, Instituto de Recursos Naturais Finlândia (Luke), Helsinque, Finlândia.

9 Laboratório de Análise Nutricional e Toxicológica in vitro e in vivo (LANTIN), Universidade Federal de Alfenas, Alfenas, MG.

CITOTOXICIDADE IN VITRO DO EXTRATO HIDROALCÓOLICO LIOFILIZADO DE AMORA (MORUS NIGRA L.) EM CULTURA DE CÉLULAS

BENTO, Nathália1@; CRUZ, Laura da Silva2; SOUZA, Amanda Bubula3; CARMO, Mariana A. Vieira4; BONIFÁCIO, Lucas1; FERNANDES, Carolina3; OLIVEIRA, Raphaela R. Gaban5; KABBAS JÚNIOR, Tufy6; GRANATO, Daniel7; AZEVEDO, Luciana8.

@Autor correspondente: Nathália Bento. nathalia.bento@sou.unifal-mg.edu.br.

Introdução: A Morus nigra L., mais conhecida como amora, é uma fruta pertence à família moraceae e possui grande importância para a indústria farmacêutica, pois detém uma série de compostos fitoquímicos, que são comumente estudados pelos seu amplo potencial bioativo. Entre os diversos benefícios, encontram-se os potenciais antioxidante, antinociceptiva, hipoglicemiante e anti-inflamatória. Objetivo: Analisar o potencial citotóxico in vitro do extrato hidroalcóolico liofilizado da Morus nigra L. nas linhagens de células de adenocarcinoma de pulmão (A549) e adenocarcinoma ileocecal (HCT8). Método: O extrato da Morus nigra L foi cedido pelo grupo de pesquisa da UEPG ao LANTIN. As linhagens de células tumorais foram adquiridas do Banco de Células do Rio de Janeiro. As culturas celulares foram sub cultivadas em meio DMEM (Dulbecco’s Modified Eagle’s Medium/Nutrient Mixture F- 12 Ham), suplementadas com soro fetal bovino (SFB) a 10% e mantidas na estufa à 37º C em atmosfera umidificada com 5% de CO2. As linhagens celulares A549 (1x104) e HCT8 (1x104) foram plaqueadas em placas de 96/poços contendo 100 µL/poço de meio DMEM (10% de SFB) por 24 horas. Posteriormente, as amostras foram diluída em meio DMEM em sete concentrações diferentes (0,5, 10, 20, 50, 100, 200 e 1000 μg/ml) e adicionada nas células como tratamento por ٤٨ horas sob tensão de ٥٪ de CO2. Após o período de incubação, 10 µL de MTT (3-(4,5-dimethylthiazol-2-yl)-2,5- diphenyltetrazolium bromide; 5 mg/ml) foi adicionado aos poços, sequencialmente as células que foram incubadas por 4 horas a 37ºC. Por fim, o meio foi retirado e adicionou-se 100 µL de DMSO/poço. Foram realizados testes de absorbância, sendo detectado em comprimento de onda de 570 nm em espectrofotômetro. As análises foram feitas em quadruplicata. Os parâmetros IC50 (50% de inibição da viabilidade celular), GI50 (50% de inibição do crescimento) e LC50 (50% de morte celular) foram obtidos. Resultados: Verificou-se que o extrato de Morus nigra L. apresentou ação direta sobre a viabilidade das células testadas, bem como em relação à taxa de proliferação, porém não apresentou valores de letalidade celular, como demonstrado pelos parâmetros na A549 - IC50= 753,1 µg/ml, GI50= 102, 2 µg/ml e LC50> 1000µg/ml e, na linhagem HCT8 - IC50> 1000 µg/ml, GI50= 714,3µg/ml e LC50> 1000 µg/ml. Conclusão: Conclui-se que o extrato da Morus nigra L, quando testado nas linhagens A549 e HCT8, tem potencial para reduzir a viabilidade das células e reduzir a proliferação das mesmas, contudo não apresenta comportamento letal para as células.

Palavras-chave: Adenocarcinoma de pulmão; Adenocarcinoma ileocecal humano; Viabilidade celular.

Financiamento: FAPEMIG/DOF nº. 2505962/2018, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).


1 Curso de Graduação em Ciências Biológicas, Universidade Federal de Alfenas, Alfenas, MG.

2 Curso de Graduação em Ciências Farmacêuticas, Universidade Federal de Alfenas, Alfenas, MG.

3 Curso de Graduação em Biotecnologia, Universidade Federal de Alfenas, Alfenas, MG.

4 Laboratório de Análise Nutricional e Toxicológica in vitro e in vivo (LANTIN), Universidade Federal de Alfenas, Alfenas, MG.

5 Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas, Universidade Federal de Alfenas, Alfenas, MG.

6 Departamento de Química, Universidade de Ponta Grossa (UEPG), Ponta Grossa, PR.

7 Universidade de Limerick, Departamento de Ciências Biológicas, Faculdade de Ciências e Engenharia, Limerick, Irlanda.

8 Departamento de Nutrição, Universidade Federal de Alfenas, Alfenas, MG.

CITOTOXICIDADE IN VITRO DO EXTRATO HIDROALCÓOLICO LIOFILIZADO DA CAMELLIA SINENSIS SOBRE CÉLULAS TUMORAIS

CRUZ, Laura da Silva1@; SOUZA, Amanda Bubula2; CARMO, Mariana A. Vieira3; BENTO, Nathália4; BONIFÁCIO, Lucas4; OLIVEIRA, Raphaela R. Gaban5; DE MOURA, Cristiane6; GRANATO, Daniel7; AZEVEDO, Luciana3.

@Autor correspondente: Laura da Silva Cruz. laura.cruz@sou.unifal-mg.edu.br.

Introdução: Camellia sinensis é uma espécie da família Theaceae, nativa de regiões subtropicais e reconhecida pelos altos teores de flavonoides e antocianinas. Estes compostos fenólicos são de grande interesse das indústrias alimentícia e farmacêutica, devido aos seus potenciais biológicos, tais como a atividade antioxidante, antiproliferativa e anti-inflamatória. Objetivo: Avaliar o potencial citotóxico in vitro do extrato hidroalcóolico liofilizado da Camellia sinensis (Et75%) em linhagens de células cancerosas. Método: A amostra (Et75%) foi produzida pelo grupo de pesquisa da UEPG e cedidos ao LANTIN. Utilizou-se neste experimento duas linhagens de células tumorais, adenocarcinoma de pulmão (A549) e adenocarcinoma ileocecal humano (HCT8), sendo todas as linhagens obtidas do Banco de Células do Rio de Janeiro. As culturas celulares foram mantidas em meio DMEM (Dulbecco’s Modified Eagle’s Medium/Nutrient Mixture F-12 Ham), suplementadas com soro fetal bovino (SFB) a 10% (HCT8, A549) e mantidas a 37º C em atmosfera umidificada com 5% de CO2. As linhagens celulares A549 (1x104) e HCT8 (1x104) foram semeadas em placas de 96/poços contendo 100 µL/poço de meio DMEM (10% de SFB) por 24 horas. Em seguida, a amostra foi diluída em meio DMEM em sete concentrações (0,5, 10, 20, 50, 100, 200 e 1000 μg/ml) e adicionada nas células como tratamento por 48 horas sob tensão de 5% de CO2. Após o período de incubação, 10 µL de MTT (3-(4,5-dimethylthiazol-2-yl)-2,5-diphenyltetrazolium bromide; 5 mg/ml) foi adicionado aos poços, sendo as células incubadas por mais 4 horas a 37ºC. O meio foi removido e adicionou-se 100 µL de DMSO/poço. A absorbância foi detectada em comprimento de onda de 570 nm em espectrofotômetro. Cada análise foi realizada em quadruplicata. Os parâmetros IC50 (50% de inibição da viabilidade celular), GI50 (50% de inibição do crescimento) e LC50 (50% de morte celular) foram obtidos. Resultados: As diferentes concentrações do Et75% mostraram citotoxicidade sobre as linhagens celulares avaliadas, apresentando na linhagem A549 IC50= 95,26 µg/ml, GI50= 62,00 µg/ml e LC50= 195,4 µg/ml e, na linhagem HCT8 IC50= 414,8 µg/ml, GI50= 222,2 µg/ml e LC50= 457,6 µg/ml. Conclusão: Conclui-se que o Et75% apresentou citotoxicidade sobre as linhagens celulares avaliadas, sendo assim, a amostra apresentou uma potencial inibição do crescimento das linhagens celulares cancerosas testadas.

Palavras-chave: Citotoxicidade; MTT; Viabilidade celular.

Financiamento: FAPEMIG/DOF nº. 2505962/2018, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).


1 Curso de Graduação em Ciências Farmacêuticas, Universidade Federal de Alfenas, Alfenas, MG.

2 Curso de Graduação em Biotecnologia, Universidade Federal de Alfenas, Alfenas, MG.

3 Laboratório de Análise Nutricional e Toxicológica in vitro e in vivo (LANTIN), Universidade Federal de Alfenas, Alfenas, MG.

4 Curso de Graduação em Ciências Biológicas, Universidade Federal de Alfenas, Alfenas, MG.

5 Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas, Universidade Federal de Alfenas, Alfenas, MG.

6 Departamento de Química, Universidade de Ponta Grossa (UEPG), Ponta Grossa, PR.

7 Universidade de Limerick, Departamento de Ciências Biológicas, Faculdade de Ciências e Engenharia, Limerick, Irlanda.

CITOTOXICIDADE IN VITRO DO EXTRATO HIDROALCÓOLICO LIOFILIZADO DA VITIS VINIFERA SOBRE CÉLULAS TUMORAIS

BONIFÁCIO, Lucas1@; CRUZ, Laura da Silva2; SOUZA, Amanda Bubula3; CARMO, Mariana A. Vieira4; BENTO, Nathália1; FERNANDES, Carolina3; OLIVEIRA, Raphaela R. Gaban5; KABBAS JUNIOR, Tufy6; GRANATO, Daniel7; AZEVEDO, Luciana8.

@Autor correspondente: Lucas Bonifácio. lucas.bonifacio@sou.unifal-mg.edu.br.

Introdução: Vitis vinifera é uma espécie de uva pertencente à família Vitaceae, nativa do continente asiático e possui altos teores de flavonoides e antocianinas, compostos estes que são de grande interesse das indústrias alimentícia, por ser uma das frutas mais consumidas no mundo e na indústria farmacêutica, devido ao seu grande potencial biológico, tais como a atividade antioxidante, anti-inflamatória e antiproliferativa. Objetivo: Avaliar o potencial citotóxico in vitro do extrato hidroalcóolico liofilizado da Vitis vinifera em linhagens de células cancerosas. Método: A amostra foi produzida pelo grupo de pesquisa da UEPG e cedidos ao LANTIN. Foram utilizados neste experimento duas linhagens de células tumorais, de adenocarcinoma ileocecal humano (HCT8) e adenocarcinoma de pulmão (A549), sendo ambas as linhagens obtidas do Banco de Células do Rio de Janeiro. As culturas celulares foram mantidas em meio DMEM (Dulbecco’s Modified Eagle’s Medium/Nutrient Mixture F-12 Ham), suplementadas com soro fetal bovino (SFB) a 10% (HCT8, A549) e mantidas a 37º C em atmosfera umidificada com 5% de CO2. As linhagens celulares A549 (1x104) e HCT8 (1x104) foram semeadas em placas de 96/poços contendo 100 µL/poço de meio DMEM (10% de SFB) por 24 horas. Logo após, a amostra foi diluída em meio DMEM em sete diferentes concentrações (100, 250, 500, 750 e 1000 μg/ml) e adicionada nas células como tratamento por 48 horas sob tensão de 5% de CO2. Após o período de incubação, 10 µL de MTT (3-(4,5- dimethylthiazol-2-yl)-2,5-diphenyltetrazolium bromide; 5 mg/ml) foi adicionado aos poços, sendo as células incubadas por mais 4 horas a 37ºC. O meio foi removido e adicionou-se 100 µL de DMSO/poço. A absorbância foi detectada em comprimento de onda de 570 nm em espectrofotômetro. Cada análise foi realizada em quadruplicata. Os parâmetros IC50 (50% de inibição da viabilidade celular), GI50 (50% de inibição do crescimento) e LC50 (50% de morte celular) foram obtidos. Resultados: As diferentes concentrações do extrato mostraram citotoxicidade sobre as linhagens celulares avaliadas, apresentando na linhagem A549 IC50= 900,9 µg/ml, GI50= 548,2 µg/ml e LC50= 948,6 µg/ml e, na linhagem HCT8 IC50= 424, 8 µg/ml, GI50= 404.3 µg/ml e LC50= 626.3 µg/ml. Conclusão: Conclui-se que o extrato da Vitis vinifera apresentou citotoxicidade sobre as linhagens celulares avaliadas.

Palavras-chave: Citotoxicidade; MTT; Viabilidade celular.

Financiamento: FAPEMIG/DOF nº. 2505962/2018, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).


1 Curso de Graduação em Ciências Biológicas, Universidade Federal de Alfenas, Alfenas, MG.

2 Curso de Graduação em Ciências Farmacêuticas, Universidade Federal de Alfenas, Alfenas, MG.

3 Curso de Graduação em Biotecnologia, Universidade Federal de Alfenas, Alfenas, MG.

4 Laboratório de Análise Nutricional e Toxicológica in vitro e in vivo (LANTIN), Universidade Federal de Alfenas, Alfenas, MG.

5 Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas, Universidade Federal de Alfenas, Alfenas, MG.

6 Departamento de Química, Universidade de Ponta Grossa (UEPG), Ponta Grossa, PR.

7 Universidade de Limerick, Departamento de Ciências Biológicas, Faculdade de Ciências e Engenharia, Limerick, Irlanda.

8 Departamento de Nutrição, Universidade Federal de Alfenas, Alfenas, MG.

COMPARAÇÃO DAS CARACTERISTICAS AO NASCIMENTO DE RECÉM- NASCIDOS DE MÃES INFECTADAS E NÃO INFECTADAS PELO SARS-CoV-2

VIERA, Cláudia1@; SANTOS, Alessandra M. G.1; SILVA, Aline D.2.

@Autor correspondente: Cláudia Vieira. clausviera@gmail.com.

Introdução: A doença causada pelo novo coronavírus, identificado como SARS- CoV-2, desencadeou a pandemia de Covid-19 e, trouxe com ela, dúvidas e questionamentos a respeito de repercussões do organismo ao ser infectado pelo vírus. Alguns grupos necessitam maior acompanhamento, visto o risco elevado de desenvolver as formas mais graves da doença, como o caso das gestantes. Nesta situação, além das preocupações com a evolução da doença na gestante, questiona- se também sobre os possíveis prejuízos ao bebê e de que forma estes prejuízos poderão se manifestar. Para tanto, primeiramente faz-se necessário conhecer as características de crianças nascidas de mãe positiva e mães negativas para o SARS- CoV-2. Objetivo: Comparar as variáveis de nascimento de bebês nascidos de mães que foram infectadas pelo SARS-CoV-2 no período gestacional em relação aos bebês cujo as mães não foram infectadas pelo vírus no período gestacional. Método: Pesquisa quantitativa, retrospectiva a partir do Sistema de Informações de monitoramento de Covid-19 do município de Cascavel/ PR, no período de julho de 2020 e dezembro de 2021. Considerou-se como Grupo Covid-19 Positivo (GCP), os bebês que as mães tiveram testagem positiva para SARS-CoV-2 em qualquer fase do período gestacional. Para o Grupo Covid-19 Negativo (GCN), considerou-se as mães que tiveram apenas resultado negativo em testagens para SARS-CoV-2 durante a gestação. Resultados: A população do estudo foi composta por 1578 mulheres, sendo 271 (17%) casos de infecção por Covid-19 na gestação, compondo o GCP e 1307 (83%) casos que não foram infectadas no período gestacional, compondo o GCN. A partir destas mulheres, foi constituída a amostra com 1302 nascidos vivos no município de Cascavel/ PR, naquele período, considerando nove gemelares. O GCP foi composto de 214 (16%) nascidos vivos e o GCN com 1088 (84%). A idade gestacional média ao nascer do GCP foi 37 (±3) semanas, no GCN foi 38 (±2) semanas. Em relação aos nascimentos prematuros, estes ocorreram em 46 (21,5%) dos partos do GCP, e em 134 (12,3%) dos partos do GCN. O nascimento via cesárea ocorreu em 136 (63%) dos partos do GCP e em 499 (45,8%) dos partos do GCN. O peso médio ao nascimento foi 3042 gramas (±662 gramas) no GCP e 3163 gramas (±589 gramas) no GCN. Conclusão: as diferenças observadas entre os dois grupos seguem os achados de outros estudos, que apontam a infecção por SARS- CoV-2 no período gestacional, como um fator relacionado ao aumento de nascimentos prematuros e cesáreas. O GCP teve, proporcionalmente, mais casos de prematuridade quando comparado ao GCN, fato que deve ser levado em consideração ao planejar estratégias de acompanhamento e monitoramento pós- natal destes recém-nascidos.

Palavras-chave: Covid-19; Gestantes; Recém-nascido.


1 Programa de Pós-Graduação em Biociências e Saúde da Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Cascavel, PR.

2 Curso de Graduação em Enfermagem, Departamento de Ciências da Saúde da Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Cascavel, PR.

COMPARAÇÃO DE PROTOCOLOS DE CANDIDÍASE VULVOVAGINAL EM ROEDORES: USO DE DIFERENTES MÉTODOS DE IMUNOSSUPRESSÃO

PACHECO, Ana Paula1; ROMAN MUNIEWEG, Felix1; HOESEL, Nicolle1; RIBEIRO, Thais1; BOLDORI, Jean1; RIFFEL, Fernanda1; FAVIN, Fernanda1; COELHO, Matheus1; DENARDIN, Cristiane1@.

@Autor correspondente: Cristiane Denardin. cristianedenardin@unipampa.edu.br.

A candidíase vulvovaginal (CVV) é uma doença infecciosa causada pelo microrganismo Candida albicans (C.albicans), sendo a mais comum do trato genital, afetando cerca de 75% das mulheres em idade reprodutiva. Além disso, é o microrganismo mais encontrado em casos de infecções fúngicas oportunistas. A literatura acerca deste tema possui poucos métodos padronizados de indução, e esses métodos apresentam variações e poucos parâmetros conhecidos. Dessa forma, esses estudos levantam muitas questões que aindam permanecem sem respostas. O objetivo deste trabalho foi padronizar o modelo CVV, em roedores, utilizando dois modelos de imunossupressão: químico e por estresse. Os animais foram expostos a dois métodos de imunossupressão: o primeiro com a ciclofosfamida (IMS) e o segundo por estresse leve imprevisível crônico (CUMS). A inoculação foi realizada com C. albicans ATCC10231, após a confirmação da infecção foi utilizado creme clotrimazol (10mg/g) como tratamento. O período de aplicação foi de 6 dias, durante os quais foram avaliados a fisiologia intravaginal, consumo alimentar, peso corporal e testes comportamentais. Após a realização da eutanásia, foram avaliados exames microbiológicos e parâmetros sanguíneos. Os animais induzidos por estresse (CUMS) apresentaram alterações mais graves no consumo de alimento, ganho de peso, alterações em parâmetros bioquímicos e microscópicos, podendo ser observado um quadro mais grave de imunossupressão e infecção, havendo então a incapacidade de serem tratados, mesmo com o medicamento de referência. Além disso, foi observado alterações comportamentais nestes animais típicas de depressão. O grupo induzido por ciclofosfamida apresentou um quadro de infeção mais local, sendo o mais adequado para avaliação de medicamentos com propriedades antifúngicas. Dessa forma, o método de ciclofosfamida é o mais eficaz, pois a infecção encontra-se localizada no trato urinário, não progredindo de maneira sistêmica, permitindo uma avaliação mais fiel dos sintomas e indicadores desta doença.

Palavras-chave: Candida albicans; Candidíase vulvovaginal; Comparação de métodos; Infecção fúngica.


1 Curso de Graduação em Farmácia, Universidade Federal do Pampa, Uruguaiana, RS.

COMPORTAMENTO DE IMPULSIVIDADE E DO TIPO ANSIOSO EM CAMUNDONGOS MACHOS ALIMENTADOS COM DIFERENTES DIETAS E SUPLEMENTADOS COM PROBIÓTICO

MOLZ, Patrícia1; SCHMIDT P, Natália1; FRAGA S, Brenda1; FERRI H, Milena1; CRESTANI B, Thais1; RODRIGUES R, Daiana1; BONDARCZUK H, Nicole1; BARSCHAK G, Alethea2; BREYER M, Gabriela3; MOURA C, Ana1; MOTTA S, Amanda3; GUEDES P, Renata1,2; GIOVENARDI, Márcia1,2@.

@Autor correspondente: Márcia Giovenardi. marciag@ufcspa.edu.br.

Introdução: O estilo de vida moderno com uma dieta rica em gordura pode contribuir para o desenvolvimento de doenças metabólicas, bem como influenciar em desfechos comportamentais como o aumento do comportamento impulsivo e do tipo ansioso. Por outro lado, são amplamente relatados na literatura, os efeitos benéficos da restrição calórica em diferentes sistemas orgânicos, incluindo o sistema nervoso central, com melhora do estado de saúde e aumento da sobrevida. Além disso, a microbiota intestinal pode ser melhorada ou restaurada através da suplementação com probióticos que podem promover benefícios à saúde, inclusive reduzir a ansiedade e a impulsividade. Objetivo: Investigar o efeito da restrição calórica, dieta hiperlipídica e suplementação com probiótico no comportamento de impulsividade e do tipo ansioso de camundongos machos adultos. Método: Cinquenta camundongos C57BL/6 machos após o desmame foram divididos aleatoriamente em cinco grupos: (1) dieta padrão (CONT), (2) dieta padrão mais probiótico (CONT+PROB), (3) dieta restritiva (RD, redução de 30% da dieta do grupo controle), (4) dieta hiperlipídica (HFD) e (5) dieta hiperlipídica mais probiótico (HFD+PROB). O tratamento com as dietas e probiótico consistiu em 16 semanas. O candidato a probiótico administrado foi o Lacticaseibacillus rhamnosus LB1.5, 1,3 x 108 UFC/ml, sendo oferecido 3 vezes por semana por gavagem. O comportamento do tipo ansiedade foi avaliado pelo teste claro-escuro, calculando o tempo de permanência do animal no compartimento claro ou escuro. O comportamento de impulsividade também foi avaliado pelo teste de tolerância ao atraso da recompensa, a partir da latência para se locomover e comer a recompensa. Ambos os testes foram avaliados ao final do tratamento. A presente pesquisa foi aprovada pelo CEUA/UFCSPA com parecer número 722/21. Resultados: Em relação ao teste de transição claro-escuro, analisou-se a percentagem de permanência no compartimento claro e o número de transições entre os dois compartimentos e não foi verificado diferença significativa entre os cinco grupos estudados em ambos os parâmetros estudados (p>0,05). No teste de tolerância ao atraso da recompensa, os grupos HFD+PROB e HFD apresentaram maior latência para se locomover e comer a recompensa quando comparado com CONT, nos três tempos estudados (8, 15 e 30 segundos; p<0,0001). Por outro lado, nos três tempos estudados, o grupo RD apresentou menor latência para se locomover e comer a recompensa em comparação aos demais grupos (p<0,01). Ainda, não se verificou diferença significativa entre as latências do grupo HFD em comparação ao HFD+PROB (p>0,05). Conclusão: As dietas avaliadas, bem como a administração de probiótico não alteraram o comportamento do tipo ansioso dos animais. Já, em relação ao teste de intolerância a recompensa, podemos afirmar os animais RD apresentaram maior reatividade ao alimento palatável e uma maior motivação para buscá-lo. Já, os grupos HFD e HFD+PROB parecem estar saciados e sem interesse em buscar o alimento palatável.

Palavras-chave: Lacticaseibacillus rhamnosus; Restrição calórica; Dieta hiperlipídica.


1 Programa de Pós-Graduação em Biociências, UFCSPA, Porto Alegre, RS.

2 Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA), Porto Alegre, RS.

3 Programa de Pós-Graduação em Microbiologia Agrícola e do Ambiente, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, RS.

CONGENITAL MYASTHENIA CAUSES A CHRONIC IMPAIRMENT OF AEROBIC AND STRENGTH PERFORMANCE AND EXERCISE-INDUCED HYPERGLYCEMIA IN FEMALE MICE

PESSOA, Pedro W. M.1@; ZANETTI, Gustavo1; PASSOS, Laura G. A1; SIMÕES, Carolina Batista1,2; MANTOVANI, Henrique1; MARQUES, Gabriel3; MAGALHÃES- GOMES, Matheus P. S.3; WANNER, Samuel P.1; SOARES, Danusa1; GUATIMOSIM, Cristina3; GONÇALVES, Dawit A. P.1,2.

@Autor correspondente: Pedro W. M. Pessoa. pedrowilliam520@hotmail.com.

Introduction: Congenital Myasthenic Syndromes (CMSs) comprise rare and diverse hereditary genetic disorders in neuromuscular junction proteins, leading to progressive muscle weakness and impairing the quality of life of these individuals. Among these proteins, those involved in the synthesis (ChAT) and storage (VAChT) of acetylcholine have been shown to be critical to muscle function and homeostasis. Previous studies using VAChT knockdown mice (VKD) expressing ~30% of this protein have demonstrated an impairment in physical performance in male mice. However, it is unknown whether females are also compromised in this CMS model and what age the alterations in performance may occur. Objective: To evaluate aerobic and strength performance and metabolism in female VKD mice from 2 to 6 months of age. Methods: Muscle strength (peak force) was measured monthly by grip strength meter. Aerobic performance (i.e., peak oxygen consumption (VO2peak), time to fatigue (TTF), distance and maximum running speed (Smax)) was also evaluated monthly by incremental load test (ILT) in treadmill in both wildtype (WT) and VKD female mice (2- to 6-month-old; ~22g). Blood glucose and lactate were also assessed after 5 minutes of ILT. All experiments and protocols were approved by The Ethics Committee on Animal Use from UFMG. Results: Muscle strength was impaired (≈ 30%, P<0.05) in VKD mice from 4 to 6 months of age. The aerobic performance evaluated by VO2peak (≈ 45%, P<0.05), TTF (≈ 85%, P<0.05), running distance (≈ 90%, P<0.05) and Smax (≈ 70%, P<0.05) were significantly reduced and an increase in blood glucose was observed post-ILT (≈ 30%, P<0.05) in VKD compared to WT in all analyzed time points. However, no significant difference was found in blood lactate in any group (P>0.05). Conclusion: Our findings show that female VKD mice also present a marked decline in both aerobic and strength performance and an unexpected hyperglycemic response to exercise. Next, the cellular and molecular adaptations in skeletal muscle will be analyzed. We also intend to investigate the effects of non-pharmacological treatments, e.g., exercise training and nutrition, to improve physical performance and slow down the progression of CMS model.

Keywords: Neuromuscular disease; Muscle force; Aerobic capacity; Metabolism; Glycaemia.

Supported by FAPEMIG (APQ-01268-2), PRPq/UFMG (27764*27) and CNPq/PROANTAR (442645/2018-0)


1 Exercise Physiology Laboratory, School of Physical Education, Physiotherapy and Occupational Therapy, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG.

2 Sports Training Center, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG.

3 Department of Morphology, Institute of Biological Sciences, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG.

CONSUMO DE ALIMENTOS ULTRAPROCESSADOS, GANHO DE PESO E DÉFICIT COGNITIVO DURANTE O SEGUNDO ANO DA PANDEMIA DE COVID-19 NO SUL DO BRASIL

VARGAS, Liziane da Silva1@; PERES, Alessandra1,2; GUEDES, Renata Padilha1,2.

@Autor correspondente: Liziane da Silva Vargas. lizianev@ufcspa.edu.br.

Introdução: A pandemia de coronavírus 2019 (COVID-19), teve um impacto significativo na saúde humana e no estilo de vida das populações em todo o mundo. Este estudo tem como objetivo descrever as mudanças no consumo de alimentos ultraprocessados, estilo de vida e cognição de adultos no segundo ano da pandemia de COVID-19 no Rio Grande do Sul, Brasil. Metodologia: Este estudo transversal foi realizado por meio de um questionário estruturado on-line, autopreenchido pelos participantes, contendo informações demográficas (idade, sexo, local de residência), dados sobre COVID-19 (infecção por COVID-19, vacinação, se domiciliar consultório), dados sobre medidas antropométricas (peso e altura referidos, antes e durante a pandemia), informações sobre hábitos alimentares (mudanças de hábitos alimentares durante a pandemia e frequência de consumo de determinados alimentos classificados como ultraprocessados ou não processados), informações sobre hábitos de vida (atividade física e qualidade do sono), ansiedade e cognição. A pesquisa foi realizada no segundo ano de pandemia, de maio a julho de 2021 (14 meses após o início da pandemia no país). Resultados: Um total de 816 participantes foram incluídos na análise final. A maioria dos participantes relatou não ter mudado seus hábitos alimentares (35,1%) ou que seus hábitos alimentares mudaram para melhor (33,2%) durante a pandemia. Apesar disso, 50,2% dos participantes relataram ganho de peso, aumento do sobrepeso (31,6%) e aumento da obesidade (17,9%) durante a pandemia. O ganho de peso foi associado ao aumento do consumo de alimentos ultraprocessados e à redução no consumo de alimentos não processados ou minimamente processados. O menor escore cognitivo foi associado a um aumento de 5% no peso corporal (1 [0; 3], p<0,001), mas sem associação com o consumo de alimentos ultraprocessados. Conclusão: Nosso estudo relata mudanças nos hábitos alimentares e estilo de vida durante o segundo ano da pandemia, que refletiram no ganho de peso, aumento do sobrepeso e obesidade neste período. Aqui apresentamos associações relevantes entre ganho de peso e cognição. Esses achados destacam a necessidade de estudos futuros para investigar as consequências a longo prazo da pandemia na saúde e na cognição da população.

Palavras-chave: Alimentos ultraprocessados; Ganho de peso; Cognição; Saúde; COVID-19.


1 Programa de Pós-Graduação em Biociências, Departamento de fisiologia comportamental e metabólica, Porto Alegre, RS.

2 Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre, Porto Alegre, RS.

CRESCIMENTO DE RECÉM-NASCIDOS PREMATUROS NOS PRIMEIROS DOIS ANOS DE VIDA

ROVER, Milene1@; GUIMARÃES, Ana Tereza1; VIERA, Cláudia1.

@Autor correspondente: Milene Rover. mmsrover@hotmail.com.

Introdução: A cada ano nascem aproximadamente 15 milhões de prematuros (PT) no mundo, com a melhoria no cuidado e aprimoramento de novas tecnologias, houve um aumento da sobrevida desses PT nas últimas décadas, e com isso, um maior risco de desenvolver sequelas a curto e longo prazos. Dentre essas repercussões as alterações no crescimento são frequentes. Objetivo: Analisar o crescimento de PT até os 24 meses de idade corrigida. Método: Estudo longitudinal, prospectivo realizado no ambulatório de Alto Risco de um Hospital Universitário. O poder de análise utilizado foi de 0,95 com um erro tipo I igual a 0,05. Com estes parâmetros, o n amostral calculado foi de 97 crianças. A população compreende PT menores de 33 semanas, internados na UTI Neonatal do hospital campo do estudo, no período de 2019 a 2021 e acompanhados no Ambulatório de Alto Risco, durante os primeiros dois anos de vida. Excluiu-se os PT filhos de mães usuária de drogas, em uso de drogas psiquiátricas, mães adolescentes, PT que foram para adoção, que apresentaram necessidades especiais de saúde ou morbidades e malformações que interferem no crescimento, síndromes genéticas ou que foram a óbito no período de acompanhamento. Os escores Z dos dados antropométricos (peso, estatura e perímetro cefálico (PC) do nascimento, alta hospitalar e acompanhamento até 24 meses de idade corrigida foram calculados inicialmente pela curva de Fenton e Kim (2013) até 40 semanas e após pelo programa WHO Anthro, até 24 meses de idade corrigida. Os dados foram coletados por períodos, considerando a IG corrigida: Primeiro período: primeiro mês, segundo período: dois a três meses; terceiro período: quatro a cinco meses; quarto período: seis a oito meses; quinto período: nove a 12 meses e 29 dias; sexto período: 13